Pesquisar este blog

Carregando...

9 de abril de 2016

DJ jornalista


Ser o responsável pela música nos intervalos de um show é propício para um DJ jornalista. Nesses momentos, diferentemente de quando se é atração principal da noite e fazer o público dançar é obrigação, é possível atuar como uma extensão da função de jornalista musical. Na verdade, é algo entre o jornalismo musical e a curadoria, porém mais volúvel.

Gosto do termo "DJ jornalista" porque não carrega as pretensões de um DJ tradicional e ao mesmo tempo traz a proposta de apresentar ao público músicas consideradas boas o suficiente para serem ouvidas no pouco espaço disponível entre os shows (neste caso) e que devem funcionar dentro de um determinado contexto, definido pelos artistas que se apresentam na ocasião, o perfil da casa e outras variáveis.

Parece besta, mas não deixa de ser uma questão relevante para quem frequenta shows ou para quem cuida das trilhas dos intervalos. Mesmo que seja uma playlist a ser executada, uma seleção criada de acordo com o contexto e a proposta do evento sempre tem seu mérito e potencializa as chances das pessoas presentes terem momentos mais agradáveis.

Um amigo me disse que isso é coisa de nerd, mas desde 2009 anoto parte das músicas que toco nesses momentos, antes e depois de shows. Parte disso agora está reunido no perfil do Meio Desligado no Deezer. Além das playlists com pedaços desses DJ sets, lá você encontra alguns discos que tenho ouvido e outras playlists temáticas em constante atualização (assim espero).

Abaixo, uma amostra com listas de algumas noites recentes (shows do Baleia e Pequeno Céu, dia 8 de abril e Silva e Leonardo Marques, dia 18 de março), além de uma mais antiga (noite do show do Dibigode com o Transmissor em 25 de outubro de 2013).

BALEIA + PEQUENO CÉU


SILVA + LEONARDO MARQUES



DIBIGODE + TRANSMISSOR

Nenhum comentário :