28 de março de 2013

Projeto Música Independente prorroga inscrições

Inicialmente marcado para o dia 29 de Março, o fim das inscrições no projeto Música Independente foi estendido para 1º de Abril, segunda-feira. A inscrição é gratuita e regulamento e formulário de inscrição estão disponíveis no site do projeto, www.musicaindependente.art.br. Ao todo, serão escolhidos 20 artistas mineiros (ou residentes em MG há mais de um ano) para se apresentarem nas noites quinzenais que o projeto promoverá na casa de shows Granfinos, em Belo Horizonte. 

Em cada noite se apresentarão dois grupos, que receberão, cada um, R$ 2.500 de cachê além de 40% da bilheteria da noite. Os shows também serão registrados em áudio e vídeo e posteriormente terão trechos transmitidos na Rádio Inconfidência e na Rede Minas. 

Após o término do período de inscrições, uma comissão técnica formada por 3 membros analisará as propostas e, entre os selecionados, 25% serão oriundas do interior de MG. 



O Música Independente é realizado em parceria pela Sim – Sociedade Independente da Música, Rede Minas e Rádio Inconfidência, com patrocínio da Vivo através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. O projeto é voltado para os artistas mineiros com a intenção de dar visibilidade a seus trabalhos, formar público para a música produzida no Estado e contribuir para a profissionalização da cena musical independente. Após realizar mais de 100 shows desde seu surgimento, em 2005, o Música Independente teve uma pausa entre 2010 e 2012. As ações programadas para 2013 potencializam os resultados já obtidos nas edições anteriores e as ações propostas têm o objetivo de dar maior visibilidade à música mineira e fomentar o trabalho de novos artistas. 


Música Independente na internet 

musicaindependente.art.br
facebook.com/projetomusicaindependente

27 de março de 2013

Alguns vídeos que quase passaram batidos...

... porque eu estava meio desligado (aperte).

Labirinto - "Piam ket"


"Cicatriz", música nova da Nação Zumbi


Constantina - "Juan el marinero (com Franny Glass)"


Quarto Negro - "Quando o mar não vem"


Quase Coadjuvante - "Ritalina"


Tereza - "Sandau"


Bonde Vertigem - "Por aí"

26 de março de 2013

Entrevista sobre a cena independente e mídias digitais

Alguns estudantes do curso de Especialização em Mídias Digitais do SENAC/SP estão fazendo uma pesquisa sobre "novas formas de produção e divulgação de música através das mídias digitais" e entraram em contato para conversarmos sobre o assunto. Respondi algumas perguntas para eles, conforme você pode ler abaixo.

Como você situa a produção musical independente nos dias de hoje?
Ela é a maior parte do que se produz mundialmente. Antigamente as grandes empresas de música estavam focadas em vender muito mas de poucos artistas (a lógica inversa da cauda longa, criando poucos grandes astros mas que rendem muito), mas até mesmo elas estão cada vez mais ligadas no que acontece no meio independente agora, pois é a cena mais efervescente, com mais novidades (e, por isso também, com potencial de lucratividade).

O que está dando certo?
As bandas estão alcançando um público maior e com menos custo pra que isso aconteça.

O que não funcionou?
A sustentabilidade na cena independente ainda é muito difícil e o mercado precisa se desenvolver. É preciso formar mais público e profissionais que atuam nesse mercado, assim como se aproximar mais da iniciativa privada para captar recursos para a cena independente.

No seu blog você compilou um manual para a divulgação de bandas independentes, utilizando as plataformas digitais e as mídias sociais. O quão importante hoje é o ambiente digital no sucesso de uma banda/músico?
É através dessas plataformas que a maioria dos artistas chega ao público. Se dependessem exclusivamente de gravadoras e veículos tradicionais de mídia, a difusão de suas obras seria extremamente limitada. A divulgação online é essencial. Mesmo que o próprio artista não disponibilize seu material online, à medida que ele atingir um público interessado sua transposição pro ambiente virtual é quase que natural atualmente.

No contraponto com a estrutura de produção tradicional das gravadoras, o que as iniciativas digitais trazem de diferencial? E o que não funciona?
No ambiente digital são todos produzindo para todos, em vez de alguns detentores dos meios de produção e distribuição definirem o material a ser difundido. Aumenta a produção e, consequentemente, a competitividade e a dificuldade em se destacar em meio ao grande volume disponível.

As plataformas digitais podem ser importantes em outros aspectos? Quais?
O meio digital influencia toda a cadeia produtiva da música. Do empresário que se organiza e fecha shows através da internet às ferramentas de produção e pós-produção acessíveis via web, passando aí pelo cara que aprende a tocar algum novo instrumento pela web (ou cujo próprio "instrumento" tocado é virtual) ao público que compra os produtos da banda e o ingresso do show virtualmente. As possibilidades são inúmeras.

Você apontaria tendências nesse cenário?
O fim do download. As conexões estão cada vez mais rápidas e o volume de músicas disponíveis para audição online não para de crescer. Os números de celulares conectados 24 horas à internet também cresce sem parar. Nesse contexto, se a música está disponível online à qualquer momento, em qualquer lugar, não faz sentido o armazenamento de arquivos da forma como estávamos (ou estamos) acostumados.

Você acha que é possível viver de música hoje? Como?
Claro! É dificil, mas claro que é possível. O que eu percebo trabalhando nesse mercado é que a maioria dos músicos, para sobreviver somente da música, é obrigada a tocar com mais de um artista. Eles geralmente possuem seus trabalhos autorais mas para ter uma renda melhor precisavam trabalhar como músicos de apoio de outros grupos e em gravações de estúdio.

Com tantas ferramentas de produção, onde se situa a figura tradicional do produtor musical? Acredita que esta função tende a desaparecer?
O produtor vai muito além de saber utilizar as ferramentas, é um cara que geralmente tem um grande conhecimento musical, muitas referências e ideias a aplicar ao som da banda. Varia de acordo com a proposta de cada banda, mas não vejo risco para essa função. Uma coisa é se ter alguém que saiba operar tudo, um bom engenheiro de áudio, outra coisa é ter um produtor que entenda a proposta da banda e capte o que ela tem de melhor, que explore seu potencial.

15 de março de 2013

Karina Zeviani no Music Alliance Pact de Março

A paulista Karina Zeviani representa o Brasil na Music Alliance Pact deste mês com a balada "Update", de seu álbum de estreia. 


ARGENTINA: Zonaindie Carmel - Tu Momento 
A musical project led by Alan Soifer and Pablo Antonietti aka Panto, young folks in their own right (they both just blew out 21 candles). El Buen Retiro (on Estamos Felices, one of our favorite independent labels) is Carmel's first album, in which they manage to combine experimentation with electronica and melodies. Tu Momento is the first single from the record, available on iTunes

Jesse Davidson is a 16-year-old songwriter from Adelaide. The track we've chosen may be called Winter, but we think it sounds more like Grizzly Bear recording a leisurely acoustic session somewhere off the Caribbean coast. Alongside muted drums and blissful guitar embellishments that resurface every so often, there's something really pure about Jesse's music. He manages to capture the beauty of isolation in a way that never seems forced. Honest, effortless indie-folk. 

A singer-songwriter with a feminist tendency, Kidcat Lo-Fi's songs range from love to hate and from protest to irony. Her self-titled debut album, out in April, is consciously kept raw and will feature songs called I Will Not Marry Or Reproduce and I Want To Be A Cat. Don't we all?



BRASIL: Meio Desligado 
Para os gringos, sugeri que todos aprendessem um pouco de português para entender a letra de "Update", balada sobre (a vida após) o fim de um relacionamento. A música é exemplo dos bons momentos proporcionados pelo álbum de estreia de Karina Zeviani, ex-vocalista dos grupos internacionais Nouvelle Vague e Thievery Corporation. 

You can hear the world thawing from winter's cold grip on Little Brittle Bones, from Winnipeg, Manitoba's Eagle Lake Owls. The slow and steady vibration of spring echoes through the song's opening moments, before it shakes the last shards of ice off and swells into life. Songs like this are what keep you going through the isolation of a prairie winter. 

Although in the beginning WatchOut! stood out with a sound strongly influenced by Los Saicos' primitive punk and North American psychedelic garage, they've now turned to Latin America. In Guayabita, the first preview of their forthcoming album Tribu, to be released by local label BYM Records, the spirit of tropicalia, fusion music and Chilean psychedelia come alive to shape the new sound of WatchOut! 


David Triana aka Dorado is an electronic music producer and DJ from Bogota. His style is a coalescence of UK bass, techno and house music, although in his early life he was greatly influenced by hardcore punk. Triana is currently working with Downpitch Recordings, a new label from his home city. Out Of Her Depth is taken from Tribute EP, his first release. 

We are happy to begin our participation in MAP with a different approach to what is generally known of Cuban music. Vivir La Vida is an ode to self-esteem. It's a song that invites reflection on our path to being and behaving in these troubled times. With his own particular stamp, Karamba uses cumbia, hip hop and rock 'n' roll, combining the freshness of his lyrics and refrains to recreate the impeccable taste that permeates Cuban music. 

The first five songs by Bite The Bullet are released in Germany this month, one being this MAP exclusive download. Comprising one half of one of my favorite Danish bands, the sadly defunct Highway Child, BTB rock in the same retro vein as HC (the abbreviations end here) and still seem a live force to reckoned with as this video shows. A full vinyl release is coming up this fall and I for one can't wait. 

DOMINICAN REPUBLIC: La Casetera Ocean Lips - Submarine 
Ocean Lips take inspiration from Brit-rock, modern art and, of course, the ocean. Their first single Submarine evokes breezy feelings with the wavy sound of their guitars, taking us for a ride to the bottom of the sea. 

Munn is one of the country's best new bands. Their first EP Espirales mixes an electronic rhythm section with different types of samples, analog and digital synthesizers, acoustic instruments, bass, electric guitar and layers of voices, generating atmospheres of trip hop and downtempo. En La Obscuridad is Munn's second single and its video was directed by Lucia Romero. 

Into The Night is a sublime blast of ravey pop from the synth prodder, DJ-cum-FX-whiz and perky chanteuse known as YYZ. Formerly members of Ting Tings surrogates Ghostcat, and with a CV that includes remixing a single by Nicola Roberts of Girls Aloud, YYZ are now purveying an even more commercial brand of mainstream nu disco and fizzily addictive technopop aimed at the shopping mall massive, not the Hoxton passive. 

Highmachine have been playing honest, fun rock music since 2008. Formed from alumni of several Estonian rock and metal bands, they have returned to the bluesy riff rock that drove all of them to music in the first place. Highmachine are performing at the Tallinn Music Week festival in April, at a Rada7.ee showcase. By the way, the video for Sobergeist did pretty well on Estonia's video chart. 

Electropop group Streak And The Raven create an intense atmosphere with minimalistic synth-driven sounds, drawing comparisons to Chromatics and hedonistic early-80s bands. Speed Of Light is included in their recently released debut Love & War, an album that makes a nighttime journey in the spirit of past war and lost love. 

Mermonte was formed in Rennes in 2010. This group of 10 wonderful musicians all have a past in various bands, combining different elements such as jazz, math-rock, pop and post-rock. Band leader Ghislain Fracapane recorded the album Mermonte in 2011, before releasing it in May 2012. Monte is a catchy pop song with glockenspiel and soft French vocals that you will love immediately and put on repeat for weeks. 

There are a lot of stunningly good solo artists in Germany who base their music on looping, DIY and edged rhythms. Tellavision, who just recorded a split-vinyl called Cake with Touchy Mob, stands out from the crowd. Fee Kürten, the woman behind Tellavision, has a knack for drifting melodies and haunting singing. Holidays On Earthquakes perfectly captures these features. 

After creating a series of music pieces, appearing in theatrical plays and collaborating with prominent artists, Melentini has finally completed Explosions Around, The Desert Inside, an enrapturing debut album. It is racked with mostly bare arrangements and a stark, heartfelt vocal delivery that provides the stunning balm to bind this unsettling beauty together. Stricken with fragility, it combines affecting poetic lyrics and piercing sorrow with something ethereal that drags you into an achingly alluring world. It's a record you'll return to again and again. 

The Lightyears Explode are a three-piece punk/garage rock band from Mumbai and a good example of the current crop of independent music coming out of India. Garam Dharam is from the band's debut release and the first word that comes to mind after listening to this song is 'heavy'. If you dig this tune, stay tuned for their debut album which is due out in the next few months. 

Good Boy Badminton are an emo/indie-rock band that routinely rocks their home city and casually tours around the country. They have a good number of followers everywhere. Time Off has been well received by emo fans around the world, with the song remaining on the PureVolume chart for weeks. They are currently planning for an Asian tour. 

Lesser-known amongst the glut of electronic producers who are proving so popular in Ireland lately, Replete is Cork's Peter Lawlor. Easy Love, his latest track which premiered on Earmilk, is not quite house music but comes close. An indiscernible vocal leads over a brooding beat but this slight disorientation is allayed with the sweetest of synths. Not hard to love at all. 

Luca Righi is a young and talented songwriter from Mantua, in the north of Italy, but when you listen to his music you'd think he comes from the heart of the United States. His songs clearly have deep roots in Americana and folk, but then you hear his voice and it's so torn he is probably singing with tears in his eyes. And what you hear is amazing. 

Fenix is in no rush to get to any particular destination, but rather sounds intent on unnerving listeners during its almost four-minute running time. The track comes courtesy of Tokyo outfit Buddy Girl And Mechanic, who specialize in making seductive Krautrock-tinged songs hiding stranger details. On Fenix, check the way the vocals skip jump all over the place, and how those rinky-dink synths sound. Close listening encouraged. 

Kristian Craig Robinson, as Capitol K, has traversed a spectrum of electronic aesthetics throughout 13 years and five albums with releases on Planet Mu, XL and Faith And Industry. A legend of contemporary electronica in the purest sense, Capitol K's genre mashing, globetrotting musical explorations have seen him receive a steady stream of critical praise. Yo Tarzan Tu Jane is taken from his latest album Andean Dub, inspired by a South American road trip. 

The name Yellow Yesterday might refer potential listeners to a nostalgic band that recreates Beatlesque anthems for lazy afternoons. And that was indeed the sound of this Mexico City group, led by the charming Andrés Ibarra (aka Chelito), on their early singles and EPs. For their proper debut, though, Yellow Yesterday seem to have ignited their retro-boosters to deliver this spacey-krauty epic that roars in slow motion like a lazy lion. 

NETHERLANDS: Subbacultcha! Lemontrip - Wander 
With Wander, Tilburg-based producer Lemontrip allows the listener to catch a glimpse of his submerged world. Being sparse with the distribution of melodic and rhythmic information, he makes sure to leave a lot to the imagination of his audience. In this sense, Wander seems to be the embodiment of the overarching theme of exploration, embedded in his debut album Nowhere. Released in November 2012 through his own Fog Mountain Records label, Nowhere consists of six stunning tracks, each displaying Lemontrip's craftsmanship for making slow-paced, melancholic electronic music. Now it's time for the rest of the world to catch on. 

La IrA De Dios was formed in 2001, but it was in 2005 that they began to draw international attention after being signed to German label Nasoni Records, who reissued the band's first album, leading to their first European tour. Last year they released their fifth album, Peru No Existe, a great example of psychedelia and powerful rock. 

You could say that where Bon Iver's last album ends, the new song from Sorry Boys starts, though The Sun in its entirety is something different than Beth/Rest. Their avant-pop single is popular from the spring schedule advertisement of one of the biggest TV stations in Poland. Is it Kate Bush behind the microphone? 

Kubik's new EP, Music For Trevor Reznik, was inspired by the character interpreted by Christian Bale in the 2004 movie The Machinist. Kubik mingles contemporary with traditional, and Basso Profondo is a perfect example of that as electronic sounds combine with the didgeridoo and basso profondo singing, best known in traditional Russian orthodox music. 

Time to hit the dance floor! The self-proclaimed rockeros con guille de salseros ("rockers posing as a salsa band") of Orquesta El Macabeo have just released the first single from their upcoming third album. Lluvia Con Sol showcases the mean and dirty brass section and populist lyrics that have become staples of the band's sound. If you still haven't heard of these guys - local punk and hardcore players now spearheading Puerto Rico's 'old school' salsa revival - now's a great time to start. 

The Noise is an indie-rock band formed in the summer of 2011 in Sibiu. The four-piece has shared a stage with some of Romania's better-known alternative bands and is scheduled to do quite a bit more of that in the coming year. The group's sound is the result of a diverse set of influences ranging from 60s beat music to modern-day noisemakers. New single Ringo Starr is meant to serve as a taster of things to come.

As a part of the first compilation by the newly-created Beryoza community, OL transforms a Soviet musical hit by Alla Pugacheva, stretching a catchy refrain into a club anthem. 

Vigo Thieves are the quintessential festival band. Think anthems. Massive, swaggering raise-the-roof anthems. Heartbeats is the pick of the bunch and was the official song adopted by T in the Park for their website last year. The group have a couple of EPs under their belt, although curiously they remain unsigned. For a band with this much commercial appeal, you'd imagine that won't be the case for very much longer. 

Oh the glorious fuzz! Obedient Wives Club take their self-styled Spectorgaze (remember this kids!) to all new heights with the release of their Murder Kill Baby EP. What awaits is the throwback-to-saccharine 60s girl-band inspired pop paired with an almost manic dose of fuzzed out backwash that only the evilest of musical geniuses would dare tread upon. Don't let any of their gentle imagery fool you - this music is a hard citrussy candy shell wrapping the warm centre of acid bombs. Stay lucid, or don't. 

SOUTH KOREA: Korean Indie Modsdive - North 
Psychedelic post-rock band Modsdive gathers some of the best indie musicians in Korea, crafting amazing instrumental tunes on the foundation laid by MAP alumni Auhm. Formed a year ago, the band is scheduled to release their first full-length album this month. As a taste of what's to come, here is the dynamic and captivating North. 

Pol Wagner is a songwriter from Girona and currently living the nights of Barcelona. He says he's in love with American folk and booze, and you can tell by his dark but tender songs, written in his room and clearly influenced by Conor Oberst, Elliott Smith and Tom Waits.

Sweden's latest supergroup, Nord & Syd - which consists of members from Vapnet, Laakso, Holy Madre, Ironville and Penny Century - released their debut full-length Som En Människa on March 13 via Hybris. The album is said to revolve around death, love and alienation - in other words your typical melodic, solidly produced and, of course, completely outstanding Swedish indie-pop.

SWITZERLAND: 78s My Name Is George - Crazy Star 
My Name Is George, from Winterthur, have released their fifth studio record in which they again celebrate the pompous and melodic side of rock 'n' roll. Welcome in the neon-coloured world of My Name Is George. It's disco pop as disco pop can be. 

Sapan, one of Turkey's most promising bands, has been around for three years. With their second EP Tundra they began writing songs in English, which should improve their future prospects. Opening track It's Alright is a very hopeful and soothing indie-rock tune. 

This five-piece from New York takes classical instruments and pushes them to new levels by crafting half pop/half indie sounding tunes. Featuring a violin, mandolin, cello, drums and stand-up bass, Miracles Of Modern Science sound familiar, but at the same time highlight talents becoming rarer and rarer to find in modern music. 

Satelite is a pop/rock band that formed in Puerto Ordaz in 1997. They were first played on radio stations with home recordings and managed to share the stage with renowned bands such as Los Amigos Invisibles, Los Pericos and Desorden Público. They define their music as rock made using traditional instruments with electronic sounds and ambience inspired by outer space.

14 de março de 2013

Mistureba

Viajando há semanas, difícil encontrar tempo para finalizar textos mais elaborados (apesar de ter vários deles aqui no rascunho). Enquanto isso, algumas pílulas aqui:



Dois shows do Iconili esta semana semana em São Paulo. Ótima dica pra quem está na cidade (apesar da minha opinião, nesse caso, ser muito tendenciosa, já que eles fazem parte da Quente, minha agência/produtora).


O rapper mineiro Flávio Renegado se uniu à Fernanda Takai e Gulherme Arantes pra lançar uma música nova. Potencial hit vindo aí, com lançamento marcado pro dia 19 de março.


8 de março de 2013

Projeto Música Independente seleciona artistas para shows em 2013

Criado em 2005 com o objetivo de fomentar a produção musical contemporânea em Minas Gerais, o projeto Música Independente retorna em 2013 e está com edital aberto para selecionar os artistas que se apresentarão em sua nova edição. Ao todo, serão escolhidos 20 bandas / artistas mineiros (ou residentes em MG há mais de um ano) para se apresentarem nas noites quinzenais que o projeto promoverá na casa de shows Granfinos, em Belo Horizonte. 

Em cada noite se apresentarão dois grupos, que receberão, cada um, R$ 2.500 de cachê além de 40% da bilheteria da noite. Os shows também serão registrados em áudio e vídeo e posteriormente terão trechos transmitidos na Rádio Inconfidência e na Rede Minas. O regulamento e o formulário de inscrição estão disponíveis no site do projeto, www.musicaindependente.art.br

Após o término do período de inscrições, uma comissão técnica formada por 3 membros analisará as propostas e o resultado final será divulgado no dia 8 de Abril, no site do Música Independente. Das propostas selecionadas, 25% serão oriundas do interior de MG. 

O Música Independente é realizado em parceria pela Sim – Sociedade Independente da Música, Rede Minas e Rádio Inconfidência, com patrocínio da Vivo através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. O projeto é voltado para os artistas mineiros com a intenção de dar visibilidade a seus trabalhos, formar público para a música produzida no Estado e contribuir para a profissionalização da cena musical independente. Após realizar mais de 100 shows desde seu surgimento, em 2005, o Música Independente teve uma pausa entre 2010 e 2012. As ações programadas para 2013 potencializam os resultados já obtidos nas edições anteriores e as ações propostas têm o objetivo de dar maior visibilidade à música mineira e fomentar o trabalho de novos artistas.

1 de março de 2013

Cena Independente de fevereiro

Cena Independente é uma coletânea mensal, inspirada no Music Alliance Pact, que busca apresentar aquilo que há de mais novo e relevante na música nacional através da curadoria de blogs especializados, cada um responsável por um estado brasileiro.


BLOGS CURADORESAtualmente o projeto conta com 16 blogs de todas as regiões do país, mas ainda há bastante espaço para novos parceiros, principalmente da região norte. Caso seu estado não apareça na lista, entre em contato conosco e ajude a disseminar a boa música nacional transformando o seu blog em mais um curador da coletânea.




TRACKLIST
01 Shotgun Wives – Draw [GOIÁS: Alice Ilícita]
02 Luiz Pessoa – Chaos Magic Disco [PERNAMBUCO: AltNewspapper]
03 Cacique Revenge – Perigo Púrpura [PARANÁ: Defenestrando]
04 Clara e a Noite – Fotos Coloridas [RIO GRANDE DO NORTE: FUGA Underground]
05 Seychelles – Ghosts Are Gone [SÃO PAULO: Move That Jukebox]
06 André Mendes – A Cidade Que Eu Digo Não [BAHIA: El Cabong]
07 Carlos Posada e o Clã – Retalhos [RIO DE JANEIRO: RockInPress]
08 Apanhador Só – Paraquedas [RIO GRANDE DO SUL: Ignes Elevanium]
09 Quase Coadjuvante – Ritalina [MINAS GERAIS: Meio Desligado]
10 TICK – Watchman Of Square [ALAGOAS: Sirva-se]
11 Gallo Azhuu – Praia [MARANHÃO: Shock Review]
12 Verónica Decide Morrer – Aqui Jazz Você [CEARÁ: Implosão Sonora]
13 1000 Kicks On The Cocks – 4.20 [MATO GROSSO: Factóide]
Link para download da mixtape


MINAS GERAIS: Meio Desligado
Quase Coadjuvante – Ritalina

indie rock/lo-fi
O instrumental excepcional de “Ritalina”, uma das faixas mais pesadas do CD “Cartas para a próxima estação”, serve como introdução ao trabalho da banda belo-horizontina Quase Coadjuvante. Nela, estão presentes alguns dos principais elementos recorrentes da banda, como as boas letras, as influências indie/noise e um clima noventista despertado em quem era jovem demais para ter aproveitado aquela década, ressaltando ainda mais a melancolia e a sensação de deslocamento transmitida nas letras.
Para quem gosta de: Violins e Jair Naves
Mais de Quase Coadjuvante no site oficial

ALAGOAS: Sirva-se

TICK – Watchman Of Square
grunge/rock alternativo
Suja, gritada e simples, assim é música da TICK, banda alagoana da cidade de Arapiraca. O clima sombrio de algumas canções faz disso uma característica forte no som dos caras, grunge garageiro que mostra sem medo a influência de bandas como Nirvana. Atualmente como um power trio a TICK acabou de lançar um demo-clipe da música “Watchman Of Square” que é a nossa indicação da vez pra coletânea. A formação atual da banda está cada vez mais se encontrando e já mostra estar no caminho certo e cada vez mais encarando com seriedade a produção autoral. Vamo acompanhar pra ver no que dá.
Para quem gosta de: Nirvana, Mechanics, Sonic Youth
Mais de TICK no TNB
GOIÁS: Alice Ilícita

Shotgun Wives – Draw
folk
Com influências das raízes do folk como Bob Dylan, Johnny Cash, Tom Waits, Woody Guthrie entre outros, mas também com fortíssimas influências de bandas como Modest Mouse, Mimicking Birds, Velvet Underground a banda goiana Shotgun Wives lançou em janeiro de 2013 seu primeiro EP intitulado “Hail To The Lizard King”, EP que conta com 5 músicas: “Dirty Money”, “Left Hand”, “Draw” e “Safe Kids”. Ouçam a seguir “Draw” o primeiro single da banda. E prestem bem atenção porque o som dos caras é doidimais fi!!!
Para quem gosta de: Johnny Cash, Bob Dylan, Mumford and Sons
Mais Shotgun Wives no Facebook
PERNAMBUCO: AltNewspapper
Luiz Pessoa – Chaos Magic Disco
rock/instrumental/experimental
Luiz pessoa é um daqueles músicos matemáticos, fez parte de diversas bandas e produções voltadas para trilhas locais, tanto em curta quanto longa metragens. Tem um disco duplo com composições próprias lançado em 2009 e fez ou faz parte de algumas bandas instrumentais da cena recifense (monodecks e Sãomer Zwadomit, para citar algumas). Na faixa Chaos Magic Disco, ele mostra toda psicodelia contida em seu ser, digna de outros tempos da música mundial recheada de alucinógenos e muitas cores, mas feita em tempos de equipamentos digitais.
Para quem gosta de: Monodecks, Pink Floyd, drogadinha
Mais de Luiz Pessoa no Soundcloud
PARANÁ: Defenestrando

Cacique Revenge – Perigo Púrpura
funk/psicodelia
Novíssimo e promissor nome de uma nova safra de bandas que se estabelece em Curitiba, o Cacique Revenge é liderado por Cassiano Fagundes, veterano que se notabilizou ao passar por bandas como Bad Folks e Cassim & Barbária. Prestes a lançar o disco de estreia (“na verdade será um álbum magazine, com uma revista junto”, explica Cassiano) “Perigo Púrpura” é uma das primeiras composições do grupo a cair nas mãos do público. Instrumental e psicodélica, a faixa é uma viagem espacial funk lisérgica.
Para quem gosta de: James Brown e Guizado
Mais de Cacique Revenge no Soundcloud