Instagram

29 de novembro de 2012

Cobertura de uma longa viagem através das fotos que não fiz

15 de Novembro, Ana Rosa, São Paulo
Origamis coloridos, pendurados em barbantes, decoram o centro do bar. Ao fundo, camisetas de bebê com estampas de bandas de rock também estão penduradas e complementam a decoração improvisada. Enquanto um gordinho de óculos grita ao microfone (cantando Tim Maia, mas impossível saber isso através da foto não feita), um sorridente Jair Naves gira no chão em um movimento inesperado (porém aplaudido), com a mesma sagacidade com que se joga do palco ou sobe nas estruturas montadas em seus shows. À sua esquerda, Siba permanece sentado, olhar intelectual, concentrado na conversa com a bela mulher ao seu lado. Fernando Catatau estava do lado de fora e não sairia na foto (e provavelmente não se deu conta do que acontecia por ali).

1º de Novembro, Lapa, Rio de Janeiro
As duas dançarinas/acrobatas estão na linha dos meus olhos. Estou na parte de cima do Circo Voador e elas, há metros do chão, penduradas em tecidos presos ao teto do local. Apesar dos corpos definidos e dos muitos volumes, ressaltados pelas roupas justas, fica claro os poucos anos que cada uma carrega. Ao meu lado, encostado na barra de proteção (da qual esqueci o nome), um hippie universitário (que em Minas seria simplesmente chamado de "tilelê") as fotografa. Ao fundo da imagem, o Iconili se prepara para a passagem de som para o show que faria ali, horas mais tarde, para centenas de pessoas. Dos 11 integrantes da banda, seis estão olhando para a dança/acrobacia das garotas, três estão concentrados em seus instrumentos e dois não apareceriam na foto, pois saíram para fumar maconha.

10 de Novembro, Leblon, Rio de Janeiro
Um close em uma escada de madeira fina, com poucos degraus, aparentemente molhados. Ao fundo, percebe-se que a escada leva a um palco. Ao lado da escada, um dos integrantes do Dibigode aparece borrado pelo movimento, levando as últimas cervejas do camarim. Faço a foto antes que o Ed Motta suba essa mesma escada e aposto R$ 20 que ela quebrará com ele. 

14 de Novembro, Vila Madalena, São Paulo
Sentados na cozinha, ao redor de uma mesa circular coberta com plástico branco de detalhes azuis, sobre o qual estão um pacote de pão, uma embalagem de 1 litro de suco de uva e meio croissant que comprei no dia anterior (quando a atendente da padaria ria do meu sotaque mineiro e pedia, com uma mistura de prazer e dó, que eu repetisse cada palavra), estão Felipe Cordeiro e seu pai, Manoel Cordeiro, compondo. Manoel está de costas, pode-se ver apenas o braço do violão que carrega no colo. Felipe está de frente para ele, bigode e cabelos atrapalhados, sorrindo. Tocam uma música que compõem em parceria com um renomado artista de São Paulo e que ficaria na minha cabeça por longas horas.

13 de Novembro, Pompeia, São Paulo
Em frente à entrada do camarim da Choperia do Sesc Pompeia, acima da cozinha da unidade do Sesc, paro, de costas para a entrada, e faço uma foto de mim mesmo. Quatro anos antes, naquele mesmo lugar, registrei o momento da minha primeira viagem como produtor cultural. Não gosto da foto e a refaço três vezes. No fim, desisto e encho de efeitos no celular.

12 de Novembro, Rua Augusta, São Paulo
Parece cena de churrasco na casa de um bicheiro, mas estamos durante a madrugada em um "bar de acompanhantes". Apareço na foto com duas garotas seminuas me abraçando, uma de cada lado, fazendo V com os dedos para a foto e, ao fundo, o churrasqueiro oferece um espetinho (gratuito),  a um japonês de óculos, com seus trinta e poucos anos, todo sorridente.

16 de Novembro, Casa das Caldeiras, São Paulo
Estamos eu, o Emicida e a Renata, produtora dele, no camarim, de pé, enquanto o pessoal do Mãodeoito conversa sentado, ao lado. O Emicida sorri e lembra de quando nos encontramos em Londres, enquanto ele traficava Guaraná Antarctica no Barbican. Ele segura um adesivo do Iconili e a Renata, uma camisa da banda. O suor escorre na minha teste e cai no meu olho, fazendo com que ele saia fechado na foto.

23 de Novembro, Centro, Rio de Janeiro
A imagem é apenas um borrão em tons de ferrugem com um rastro de luz incandescente. A foto seria de um dos muitos vagões deteriorados da estação Leopoldina, com sua decadência transformada em atração durante a realização do festival Back2Black. No momento da foto, o baixista da banda ______ (melhor não contar o nome), me puxa pelo ombro e conta que Patrícia Pillar e Regina Casé estão por ali e, acredite, pretende abordar (com interesses sexuais) a primeira delas que encontrar. Finjo que vi a Nneka no meio da plateia, aponto a direção, e ele parte.

27 de novembro de 2012

O encontro do Rage Against the Machine com a Companhia do Pagode


Obra do Rafael Bertazi, que também teve a audácia de misturar David Bowie e Gaby Amarantos, Ramones e Roberto Carlos, Talking Heads e Tim Maia, Gorillaz e Mutantes, entre outros, conforme você pode ouvir aí em baixo.


26 de novembro de 2012

Dicas de aplicativos: QR codes, fotos 360º, postais hipsters e outros

Echoism
Costuma-se dizer que a simetria é parte crucial no potencial de atração de um rosto. Quanto mais simétrico, mais atraente. O aplicativo Echoism lida com a questão de forma crítica e artística, reprozindo, simetricamente, os dois lados dos rostos fotografados, com resultados, digamos, inusitados.
Disponível gratuitamente para iPhone e online.



Hipster
Cartões postais digitais e hipsters. Alguns efeitos simulam até a textura e amassos dos papeis. Não é um app para o uso diário e tem poucos efeitos relevantes, mas eventualmente pode gerar bons resultados.
Disponível para download gratuito no iPhone e plataforma Android.





Photosynth
App gratuito criado pela Microsoft para a criação de imagens em 360 graus. Mais difícil de usar do que o concorrente Dermandar (pago), mas pode gerar resultados incríveis, como a imagem abaixo.
Disponível para Windows Phone e plataforma iOS (Apple).



QR reader, i-nigma e Paperlinks
Três opções de leitores de QR code para iPhone. O i-nigma (versão para iPhone e Android, outras no site do desenvolvedor) tem interface um pouco infantil, o Paperlinks é minimalista e tem o melhor design e o QR reader, mesmo em sua versão gratuita, se sobressai por ser o único aplicativo, entre os três analisados, capaz de criar QR codes.

15 de novembro de 2012

Music Alliance Pact: mais de 50 edições!


Edição comemorativa da Music Alliance Pact. Teste seu inglês aí, com uma seleção especial com alguns dos artistas independentes mais interessantes de 40 países. O download completo da coletânea pode ser feito aqui.

ARGENTINA: Zonaindie 
For the 50th edition of MAP we have chosen a brand new band from a western suburb of Buenos Aires. Plástico's sound is a mixture of trip-rock with some electronic and acoustic elements that caught the attention of famous producer Raphael Gordon (The Strokes). Together they recorded a couple of tracks. One is Subir Al Tren, which was used on their first video. The other is Cinicos, previously unreleased, which is a great preview of their upcoming debut album. 

It's hard to pin down what exactly defines that distinct 'Australian' sound. For all the ringing guitar riffs and choruses sung in unison etched into our collective memory, there's something about Australian music that still flails an antipodean flag. We isolate ourselves on the coast; we recycle stories about strangers, lovers and backyard melancholia; we make poetry championing the suburbs. Melbourne singer Courtney Barnett is certainly at home on her track History Eraser. A colloquial ode to The Triffids, ticket inspectors and nights with good company, this track is a perfect summary of the earnest freewheelin' and rambling wit that makes music from this end of the world just so great. 

AUSTRIA: Walzerkönig 
Outer Space Dancer is the first single from the new, fourth Mauracher album Super Seven, out now on Fabrique Records. For this album, Tyrolean electronic musician Hubert Mauracher has teamed up with singer Sonia Sawoff (of Sawoff Shotgun). Together, they create synth-filled dream-pop with ethereal lyrics such as, "When I close my eyes, I stop thinking". 

BRASIL: Meio Desligado 
From our capital Brasília comes Sexy Fi, a band that knows how to make a good first impression. Their debut album was produced by John McEntire (Tortoise) and received great reviews in Brazilian alternative blogs. "Pequeno Dicionário Das Ruas" is the song that opens the album and sees them experiment with indie-rock, resulting in a tropical, alternative sound. 

Toronto duo Some Minor Noise's Tape Experiment gets its name from the fact that every sound used, except the kick, snare and vocal, was recorded through a 13-year-old cassette deck, an Optimus CTR-117 (Google it), to a very worn cassette tape that's at least 10 years old. The end result has a richness and humanity that's very often missing from electro-pop, and a perfect example of Some Minor Noise's refreshing take on a familiar genre. 

CHILE: Super 45 
Synthesizer layers, guitars with heavy feedback and a lo-fi sound are the attributes of duo Nader Cabezas. On their new album, El Hijo Del Mounstruo, released through LeRockPsicophonique, their music goes deeper into this direction, resulting in dense and obscure rock but without losing focus on what matters - the songs. Doble En El Espejo is taken from this album. 

CHINA: Wooozy 
Chui Wan is a four-piece experimental psychedelic rock band from Beijing. Their lush arrangements of guitar, keyboard, viola, other assorted instruments and random sound samples often eschew reliable melodies and vocal harmonies in favor of occasional passages of minimal drone or maximal sonic layerings. They will have their debut release tour with Brooklyn-based band Psychic Ills in China this month.

COLOMBIA: El Parlante Amarillo
Alfonso Espriella - Cielo Adentro
Alfonso Espriella is a tireless and dedicated musician who has been making alternative rock for more than 10 years. Joel Hamilton produced his most recent EP, Anima, from which Cielo Adentro ("Heaven Inside") is taken. It evokes marked influences of acts such as Caifanes from Mexico or Robi Draco Rosa from Puerto Rico, with deep lyrics and an emotive sound.

DENMARK: All Scandinavian
The Savage Rose - Soldier On The Run
On Love And Freedom, The Savage Rose's 21st album since their eponymous debut in 1968, the legendary rock outfit stage love and politics on an amazing backdrop of hauntingly soulful rock - just as they did when they were a young band - taken to magical heights by frontwoman Annisette's breathtaking vocal and a performance I could never do justice to in words. Because it's anniversary time on MAP, here's a mindbogglingly exclusive download of Soldier On The Run.

DOMINICAN REPUBLIC: La Casetera
Janio Lora - Mi Nueva Edad
For this MAP special edition, singer-songwriter and dreamer Janio Lora has recorded a new demo. Produced by Argentinian composer Pablo Dacal, Mi Nueva Edad blends elegant tango melodies with poignant lyrics as a preview of what to expect from Janio's upcoming album.

ECUADOR: Plan Arteria
Da Pawn - Casi Siempre
A band's music lasts over time when its songs become part of a generation's culture. Da Pawn, one of the revelations of this year, reworks a popular single by the important electronic indie-pop band Can Can into a beautiful folk-rock song. This track is taken from the free download album Malas Influencias (Remixes y Reversiones), which celebrates the 10th anniversary of Can Can.

ENGLAND: The Guardian Music Blog
Dan Croll - From Nowhere (Ben Gomori's Staring You In The Eye Remix)
Dan Croll is a Liverpool Institute For Performing Arts graduate who doesn't like The Beatles, a folkie who's gone electronic, and a bespectacled boffin who is no softie - in fact, he could have played rugby for England until an accident waylaid his plans. Instead he's the new golden boy of indie Afro-tinged synth'n'b. From Nowhere is his debut single, a catchy slice of electro-pop with a breezy vocal about losing control and a hook designed to lodge in your skull.

FINLAND: Glue
Statues Made Of Matchsticks - If I Didn't Comb My Hair
Folk trio Statues Made Of Matchsticks joins the 50th MAP post celebration with an exclusive song recorded at their rehearsal room this month. If I Didn't Comb My Hair features the band's signature laid-back acoustic sounds and a sweet pop melody to create a perfect sunset-on-front-porch kind of song.

FRANCE: Yet You're Fired
Colours In The Street - Paper Child
Colours In The Street's members are still in high school but have acquired a big following with only two years behind them thanks to delightful pop songs with strong English influences and a very thorough sense of composition. Having won several contests with only the few songs from their first EP, Euphory, they decided to push further and have been recording a second EP, Paper Child, due out on December 15, from which this song is taken. Watch them playing an acoustic set in a bathroom here

GERMANY: Coltran
Touchy Mob - Seven Hills (Afternoon Touchymap version)
I'm very proud to present an exclusive recording by my favourite German artist Ludwig Plath aka Touchy Mob, who was first featured on MAP in February 2011. He has reworked his song Seven Hills with guitar, bass and rattle - resulting in something he calls 'fuzzybuzzy'. I love his velvet voice and how his attention to detail and songwriting skills make my hair stand on end.

4 de novembro de 2012

Pós-rádio #6


Amabis - "Menino horrível"
Jair Naves - "Pronto para morrer (o poder de uma mentira dita mil vezes)"
Flaming Lips - "Do you realize?"
Scarlett Johansson - "Falling down"
Matéria Prima - "Paraísos artificiais"
Helmet - "Unsung"
Black Drawing Chalks - "Disco ghost"
Meat Puppets - "Plateau"

Imagem: obra de Sarah Lucas.

3 de novembro de 2012

Coletânea Cena Independente #10

Desta vez o Meio Desligado e outros dois blogs acabaram ficando de fora da coletânea mensal Cena Independente, que reúne bandas alternativas de diferentes Estados brasileiros. A comunicação entre os participantes do projeto migrou para o Facebook e isso acabou um atraso nas informações, resultando na perda de prazo por parte de alguns blogs.

De qualquer forma, em Dezembro todos os 14 blogs participantes retornam (espero). E, até lá, você pode escutar a coletânea deste mês e/ou fazer o download da Cena Independente #10.