Instagram

8 de outubro de 2012

Quarto Negro - Desconocidos (2011)


Desconocidos é um dos meus CDs favoritos de 2011. Quando penso em um novo rock brasileiro, acessível, bem trabalhado, com letras em português que dizem alguma coisa, são bandas como o Quarto Negro que me vêm à mente. 

Não tive pressa em escrever sobre o álbum. Com o passar do tempo, me apeguei ainda mais a Desconocidos. São raros os CDs que ouço logo ao serem lançados e nesse caso não foi diferente. Quando bateu a curiosidade, ouvi aos poucos. E a cada audição percebia que uma música diferente me pegava, que sabia cantar trechos de músicas que acreditava não conhecer direito. Assim, com sutileza rara, Desconocidos se abre ao ouvinte que se mostra aberto à delicadeza e aos detalhes do Quarto Negro.

Um trabalho cujo romantismo sobrepõe-se à melancolia e a solidão carregadas desde o nome da banda às melodias e se mostram nas letras, "na agonia de ficar sempre assim". Um CD que lida com sentimentos pesados de forma leve, porém não superficial, cujos detalhes de produção convidam a ficar juntos mais uma vez, tão sedutores quanto a modelo ruiva do vídeo de "Vesânia II (delírio mútuo)".

Seria pop, se o adjetivo não fosse carregado de lembranças pejorativas. Chamaria de indie melancólico, se o termo não soasse tão bobo, ou simplesmente intenso, se não soasse prepotente. Na dúvida, apenas me deixo levar e aperto play mais uma vez.

Um comentário: