Instagram

1 de agosto de 2012

Jornalismo retardado

Tenho mais de 30 textos incompletos salvos na pasta de rascunho. Chegou a hora de (começar a) me livrar deles, do jeito que estão.


Flaming Night 10 (2009)
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________
____________________________________________________________________

Preencha as três linhas acima com clichês do jornalismo musical sobre o rock´n´roll e é bastante provável que a maioria das pessoas que estiveram presentes ao festival Flaming Night, no último sábado, em Belo Horizonte, os comprove. Das danças esquisitas e frenéticas do público durante o  show de abertura do Fusile aos moshs e stage dives constantes ao longo da apresentação do Black Drawing Chalks, foi uma noite memorável e que representa o bom momento da música independente e alternativa no Brasil.

Doidão da Flaming Night



MP3 da semana: Momo - "Flores do bem"
      
Artista: Momo
Música: Flores do bem
Cidade: Rio de Janeiro
Pra quem gosta de: folk indie, Sufjan Stevens, Atlas Sound, Clube da Esquina

Demorei tanto a publicar essa música que o player de áudio usado para arquivá-la, o Odeo, já nem funciona mais. Pra compensar, aqui vai um link para ouvir e fazer o download.


Festival Calango 2010: o que está acontecendo agora

Nesse texto, eu ia contar em primeira mão que o Espaço Cubo / Fora do Eixo sairia de Cuiabá e iria para São Paulo, mas acabei ficando apenas no título. Comecei a fazer a cobertura do festival para uma revista, a matéria caiu no início da elaboração do texto e desanimei.


Fórum da Cultura Digital, Meio Desligado, Gilberto Gil, Macaco Bong e mais

Entre os dias 15 e 17 de novembro aconteceu em São Paulo a 2ª edição do Fórum da Cultura Digital, realizado pelo Ministério da Cultura e da Casa da Cultura Digital. A enorme programação reuniu pesquisadores, intelectuais, ativistas, artistas e outros agentes envolvidos com diferentes aspectos da cultura digital para discutir e refletir temas como a construção de políticas públicas na era digital.

Participei do Fórum para apresentar duas pesquisas que fiz no âmbito da cultura digital. A primeira delas foi meu projeto experimental (nome dado aos projetos de conclusão de curso na faculdade de comunicação da Puc Minas)...


O Álvaro Pereira Júnior não gosta de mim

Não se preocupe, o Álvaro Pereira Júnior não me xingou, não quer me pegar na saída e nem fica me stalkeando. Mas ele definitivamente não gosta de mim. Ou melhor, não gosta do que eu represento.

No dia 1º de Outubro, o APJ (assim, abreviado, porque escrever esse nome completo dezenas de vezes é um porre e não posso usar simplesmente Álvaro porque me lembra do cachorro cego de um vizinho perneta que eu tive) escreveu em sua coluna na Ilustrada, na Falha Folha de S. Paulo, um artigo intitulado "É proibido criticar" (versão "desbloqueada' no blog Conteúdo Livre) no qual rechaçava boa parte da atual cena musical independente do país - não apenas os artistas, mas também produtores e demais agentes culturais envolvidos nessa cena. Para ele, no jornalismo musical brasileiro "é todo mundo meio blogueiro, meio "tuiteiro", meio crítico, meio artista. É todo mundo muito amigo, tudo é muito fofo, tudo é muito "amor" " e os artistas "não precisam nem querem crescer". Ele pergunta: "Até quando esses indies sambistas - e as bandas do tal circuito "fora do eixo" - vão ficar pendurados em Sescs, festivais gratuitos e dinheiro do governo? Se o lulismo desaparecer um dia, a música brasileira se extingue também?".

Não é difícil responder. Em termos de cena independente brasileira, fica claro que o APJ está mais perdido que freira em casa de swing de periferia. Ele baseia toda sua crítica a partir de sua visão da cena paulistana (bastante limitada, diga-se). Alguém que, como ele mesmo escreve, desconhece a dinâmica de funcionamento do Studio SP, acha que Thiago Pethit faz "sambinha" e que admitiu, em matéria posterior, que conhece os artistas citados/criticados apenas pelo YouTube. Seu "colega" de jornal, Marcus Preto, acabou dando uma excelente descrição do APJ: "uma dessas tias que ficam atrás da mesa achando que conseguem adivinhar o mundo lá fora".

E o mundo lá fora, APJ, é um mundo no qual ...


Conhece "circuit bending"? (Fevereiro de 2008)




Constantina (2008)

Se é verdade que as boas coisas da vida acabam rápido, esqueceram de avisar aos integrantes do Constantina. Desavisados, esses sujeitos continuam por aí criando looongas e transformadoras músicas.


FOALS >> JESUS (2008)

"Obrigado".

"Maconha".

"Garota bonita".

Isso foi tudo o que o nanico Yannis Philippakis, vocalista e guitarrista da banda inglesa Foals, disse ao público do Planeta Terra, enquanto fazia aquele que, para mim, foi o melhor show de todo o festival.


Os shows mais surpreendentes de 2009

L.A.B em Porto Alegre (RS)
Grupo Porco de Grindcore Interpretativo em Belo Horizonte (MG)
Nevilton em Londrina (PR)

Nenhum comentário: