Instagram

31 de julho de 2012

Coletânea Cena Independente de Julho





Iconili
MINAS GERAIS: Meio Desligado
Iconili – O Rei de Tupanga (afrobeat / jazz / alternativo)
Em nova fase na carreira (agora com oito integrantes), a Iconili prepara novo CD, do qual “O Rei da Tupanga” é a primeira amostra. O som instrumental da banda une batidas africanas, jazz e experimentações psicodélicas e resulta em uma das maiores apostas da nova cena mineira.
Para quem gosta de: Bixiga70, Mulatu Astatke, Jaga Jazzist

PARAÍBA: Atividade FM
Grandphone Vancouver – It All (alternative)
Grandphone Vancouver é o projeto de TCC do Fernando Ventura, estudante de Arte e Mídia na UFCG, e também músico. Para finalizar seu curso ele preparou um lançamento de um clipe para a música “Miss Me”, que acabou se tornando um viral. Em breve, estará lançando o EP “When The Echo Returns”, pelo selo Vigilante. A sonoridade da banda lembra um pouco o trabalho dos britânicos do Radiohead em seus primeiros álbuns.
Para quem gosta de: Rieg, Gauche, City and Color

PARANÁ: Defenestrando
Audac – Distress (indie/electro/trip)
A mistura de uma guitarra para lá, um sintetizador para cá, um baixo hipnotizante e uma dupla feminina nos vocais sussurrados do Audac há de fazer marmanjos e garotas ficarem de pelos arrepiados. Após algum tempo sumido, o grupo liderado por Débora Arobed e Alyssa Aquino ressurge com nova formação (Pablo Busseti na bateria e Alessandro Oliveira, ex-Copacabana Club, na guitarra) caindo já de cara nas graças do blogueiro Lúcio Ribeiro: em agosto o Audac se apresenta no Popload Gig, abrindo para os australianos do Tame Impala.
Para quem gosta de: Portishead, Sneaker Pimps

BAHIA: el Cabong
Nana – Expressionismo Alemão (chanson/neo-bossa/dream-pop)
Numa Bahia que sempre coube de tudo, há essa garota ruiva, alvíssima, tímida, que morou na Rússia e decidiu que ia viver de música. Nana canta, toca piano, teclado e escaleta, faz programação e cria uma música doce, carregada de poesia e leveza. Com um EP gravado e preparando o primeiro CD, ela traz um imaginário entre o lúdico e o onírico que passa por montanhas russas, filmes thecos, piscas piscas de Natal e o pôr-do-sol de Salvador.
Para quem gosta de: Stereolab, Serge Gainsbourg, Brigitte Bardot, Tom Jobim



RIO DE JANEIRO: RockinPress
People I Know – Brazil 3 (eletrônico/mininal/downtempo)
Antes do SILVA e o Mahmundi tomarem a internet brasileira como fizeram, lembrem-se que eles tiveram um outra mente para ajudar e pontuar o som que eles produzem. Esse rapaz se chama Lucas de Paiva e é a intercessão entre o indie-eletrônico e a mpb produzido pelos jovens citados. O trabalho é instrumental e eletrônico, mas conserva os detalhes orgânicos que tornam seu trabalho tão elogiado, como mostra “Brazil 3” e seus assobios próprios para cachorro em cima de uma batida seca e repetitiva.
Para quem gosta de: Mahmundi, SILVA, David Guetta

MATO GROSSO: Factóide!
Maria Albina – Café (pop rock)
O EP Café foi uma surpreendente evolução da banda Maria Albina, que mostra o amadurecimento de seus membros como músicos e como pessoas, a música título é uma grata surpresa, e ainda tem um leve toque country que tem marcado as produções mais novas daqui de Cuiabá.
Para quem gosta de: Soulstrippera, Beatles

RIO GRANDE DO NORTE: FUGA Underground
Arthur R. – Sunshine (rock psicodélico)
Se existe uma unanimidade no rock potiguar são Os Bonnies. Não bastasse fazerem música consistente em cima do bom e velho rock ‘n’ roll, é uma banda que ainda cresce ao vivo. Arthur R. é guitarrista e vocalista da banda. Paralelamente ao trabalho com Os Bonnies, o músico vem experimentando outras sonoridades, compondo e registrando de forma despretensiosa seu material solo – em parte publicada em seu blog. No ano passado, ele juntou algumas dessas faixas em um disco: “Li-Mo-Na-Da” (que você pode baixar lá no Hominis Canidae). Seguindo uma linha similar à banda principal, “Sunshine” é uma de suas gravações mais recentes e a segunda a ganhar clipe.
Para quem gosta de: The Sonics e Beach Boys

Dead Leaves – Sweet Cida (rock/pop/blues)
Para darmos o ponta pé inicial nesse projeto, escolhemos a banda Dead Leaves, que nasceu em 2004 aqui em Fortaleza. Como eles mesmos dizem “criam e recriam” a sonoridade, mas nunca deixam de lado o rock cru e simples das bandas de garagem. O quarteto George Alexandre, Humberto Kelvin, João Luiz e Lara Viana já tem 3 EPs na bagagem.
Para quem gosta de: Verónica Decide Morrer, The Libertines, The Strokes

SÃO PAULO: Move That Jukebox
Looking For Jenny – Is It A Photon In My Hair (lo-fi/noise/shoegaze)
Com a responsabilidade de ser o 50° lançamento do ótimo selo carioca Transfusão Noise Records, o quarteto paulista Looking For Jenny plugou as guitarras e despejou meia dúzia de canções distorcidas e vibrantes em seu novo EP, Monkey Rudiments. As influências do lo-fi, do shoegaze britânico e do noise rock americano são escancaradas a cada acorde. Ou seja, se você curte Pavement e Dinosaur Jr, pra ficar só nos mais óbvios, não deixe de se entusiasmar com o Looking For Jenny, a novidade mais barulhenta e empolgante de São Carlos.
Para quem gosta de: Dinosaur Jr., My Bloody Valentine, Yuck

ESPÍRITO SANTO: Ignes Elevanium
Merda – Nem Todo Brasileiro Que Gosta de Futebol Gosta do Neymar (hardcore/punk)
O Merda já está na estrada, porões e na mente dos jovens libertinos há um bom tempo, misturando críticas sociais, muito humor e um monte de tranqueiras que as pessoas comuns costumam descartar. Na sua formação temos integrantes de bandas como Mukeka di Rato, Zémaria, Morto Pela Escola, The Barlfly Surfers e Os Pedrero. Ou seja, o resultado só poderia dar em Merda, a banda mais esculachada de boa de Vila Velha e que vem neste ano com o “Índio Cocalero”, do qual retiramos o single “Nem todo brasileiro que gosta de futebol gosta do Neymar”.
Para quem gosta de: Mukeka di Rato, Os Pedrero, Morto pela Escola

Dry Bones Valley – Surrender (metal)
O Dry Bones Valley é um grupo recém formado que toca metal, como está no release da banda “Metal pesado, maloqueiro e sem dever nada pra ninguém” e é bem isso mesmo. A banda está divulgando seu auto-intitulado EP de estreia, mixado e masterizado por Geovani Maia (Estúdio Phantom), produzido pelos próprios integrantes e gravado de maneira 100% caseira dentro do quarto do baterista. Para a mixtape desse mês indico a música ‘Surrender’ que é a mais ‘de boinha’ pra não assustar os que tem ouvidos sensíveis, mas vou logo avisando é metal fióte \,,,/.
Para quem gosta de: Todo tipo de som pesado

ALAGOAS: Sirva-se
Coffeeshop – Algumas Cervejas e Uma História (hardcore melódico/alternativo)
Uma banda com pouco mais de um ano, mas com várias conquistas, fruto de um trabalho focado e decidido. Nesse pouco tempo já puderam tocar fora da cidade, gravar um split-cd virtual e participar de vários eventos por aqui. A música “Algumas Cervejas e Uma História” faz parte da lista de sons da primeira gravação e deve ganhar um vídeo clipe logo menos.
Para quem gosta de: Noção de Nada e Zander

Delinquentes – Formigueiro Febril (Hardcore/punk)
Com 27 anos de carreira, o Delinquentes é banda de referência na cena roqueira paraense. Tendo à frente o respeitado Jayme Katarro – fundador e único integrante da formação inicial – eles lançaram no primeiro semestre de 2012 o EP “Formigueiro Febril” pelo selo Takakaos Records. A formação atual traz ainda Pedro Bernardo (guitarra), Pablo Cavalcante (baixo) e Raphael Lima (bateria). O EP antecedeu o Dia D, show de gravação do primeiro DVD da banda, ainda em processo de finalização.
Para quem gosta de: Ratos de Porão, Inocentes, Rammstein, Sex Pistols

MARANHÃO: Shock Review
Garibaldo e o Resto do Mundo – Mulheres de Salto (rock/pop/alternativo)
Garibaldo e o Resto do Mundo nasceu em São Luís em 2009. Em 2010 saiu o disco de estreia da banda, com oito faixas que vão do pop ao experimental. Ainda em 2010 o disco e a banda foram indicados em duas categorias do prêmio da rádio universitária do Maranhão: “Revelação” e “Melhor CD de pop-rock”. Atualmente, a banda tem se dedicado à pré-produção do segundo disco que começa ser gravado em setembro desse ano e, provavelmente, será lançado ainda no segundo semestre de 2012.
Para quem gosta de: Pato Fu e Brendan Benson

PIAUÍ: Uptune
Estro – Alegria do Sorriso (indie rock)
Inspiração, entusiasmo poético ou artístico, riqueza de imaginação. Estro, começou de um projeto de dois amigos, Rodrigo Gondim e Felipe Barros, que colocaram suas composições na internet e perceberam que aquilo podia da certo. Um tempo depois convidaram Lucas Gaspar para a bateria e Neto Carvalho para a guitarra, o que deu uma nova roupagem para a banda. Sentimentos refletidos em canções.
Para quem gosta de: Chico Buarque, Jack Johnson, Bob Dylan

Nenhum comentário: