Instagram

31 de janeiro de 2011

Como colocar o player do MySpace em blogs e sites

Encerrando a série de tutoriais para "adaptar" ferramentas de publicação de áudio eis um mini-tutorial de como colocar o player do MySpace em blogs e sites. Sim, você pode usar o player do MySpace no seu blog, por exemplo, e com isso potencializar a divulgação de sua música ou dos artistas dos quais gosta.

Neste caso, uso como exemplo a banda instrumental Constantina, de Belo Horizonte, que está se preparando para tocar no festival SXSW 2011 no Texas (EUA) e aos poucos tem divulgado as canções de seu novo álbum, intitulado Haveno (o primeiro com a formação de sexteto).

Para fazer o teste utilizei o código do player acima, do Constantina, para transformá-lo no player da banda 4instrumental, uma das apostas do Meio Desligado para 2011.


O código é um pouco monstruoso e para que ele ficasse visível substituí o caracter "<" por "???". Ao usar o código aperte CTRL + F e busque pelos ???, substituindo-os pelo sinal de "<".

???object align="middle" height="230" id="myspace" name="myspace" width="450"> ???param name="movie" value="http://lads.myspacecdn.com/videos/Main.swf">
???param name="allowFullScreen" value="true">
???param name="allowscriptaccess" value="always">
???param name="wmode" value="transparent">
???param name="flashvars" value="uid=-1&pcc=pt-BR&cc=pt-BR&el=http%3a%2f%2fwww.myspace.com%2f4instrumental&pertid=8a30d7d347ee51710000000000000000&pguid=4eb6550188224ee789420493fd1ec638&hash=MIGmBgkrBgEEAYI3WAOggZgwgZUGCisGAQQBgjdYAwGggYYwgYMCAwIAAQICZgMCAgDABAhr3pCBUjvGfAQQeVuqQ%252fIBsf%252fG%252fjcSUB2eCgRYyRjO986fGOys3%252bpPIHInHAPe5tATqwFaH86bbEjCaFhC787JiSsx1YnQZ7W5jkdbjj%252bYPMsH8zo35lIiKMfQBTbQauXbEmY9gmKcsrZL9QniJjph2bJRpQ%253d%253d&skinid=17&skin=http%3a%2f%2flads.myspacecdn.com%2fvideos%2fartistInternational.xml&isus=false&on=1&afsongs=4&ayt=15&c1=0x320A58&c2=0xE36C1D&c3=0x363636&c4=0x00ADEE&cip=189.107.181.9&sip=172.16.0.2&ili=false&proftype=7&pfc=SitesProfile&plid=22172&profid=388430374&ptype=4&artid=12735659&pmix=False&shuffle=False&ap=1&fast=2&fatt=0&fadd=5&fapf=False&rast=5&ratt=0&radd=0&rapf=False&bast=-1&batt=-1&badd=-1&bapf=False&aytast=-1&aytatt=-1&aytadd=-1&xad=1&yad=1&zad=-1&xadoff=1&yadoff=1&zadoff=-1&facp=1&racp=1&showaa=False&xnoad=-1&ynoad=-1&znoad=-1&xnoadcp=-1&ynoadcp=-1&znoadcp=-1&xnoadpf=False&ynoadpf=False&znoadpf=False&v=1.0.1.177&noalbslider=1&novidslider=0&fscd1=30&fscd2=60&enableembeds=0&enablemgl=1&ar=0&g=0&isstusr=1&pertid64=8165569591663603850&ptime=60&pcnt=1&showmm2=True&ctzinfo=-2&sabd=60&usefu=1&hostenv=www.&t=1&mt=audio&logerr=0&bacp=0" />
???embed src="http://lads.myspacecdn.com/videos/Main.swf" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" flashvars="uid=-1&pcc=pt-BR&cc=pt-BR&el=http%3a%2f%2fwww.myspace.com%2f4instrumental&pertid=8a30d7d347ee51710000000000000000&pguid=4eb6550188224ee789420493fd1ec638&hash=MIGmBgkrBgEEAYI3WAOggZgwgZUGCisGAQQBgjdYAwGggYYwgYMCAwIAAQICZgMCAgDABAhr3pCBUjvGfAQQeVuqQ%252fIBsf%252fG%252fjcSUB2eCgRYyRjO986fGOys3%252bpPIHInHAPe5tATqwFaH86bbEjCaFhC787JiSsx1YnQZ7W5jkdbjj%252bYPMsH8zo35lIiKMfQBTbQauXbEmY9gmKcsrZL9QniJjph2bJRpQ%253d%253d&skinid=17&skin=http%3a%2f%2flads.myspacecdn.com%2fvideos%2fartistInternational.xml&isus=false&on=1&afsongs=4&ayt=15&c1=0x320A58&c2=0xE36C1D&c3=0x363636&c4=0x00ADEE&cip=189.107.181.9&sip=172.16.0.2&ili=false&proftype=7&pfc=SitesProfile&plid=22172&profid=388430374&ptype=4&artid=12735659&pmix=False&shuffle=False&ap=1&fast=2&fatt=0&fadd=5&fapf=False&rast=5&ratt=0&radd=0&rapf=False&bast=-1&batt=-1&badd=-1&bapf=False&aytast=-1&aytatt=-1&aytadd=-1&xad=1&yad=1&zad=-1&xadoff=1&yadoff=1&zadoff=-1&facp=1&racp=1&showaa=False&xnoad=-1&ynoad=-1&znoad=-1&xnoadcp=-1&ynoadcp=-1&znoadcp=-1&xnoadpf=False&ynoadpf=False&znoadpf=False&v=1.0.1.177&noalbslider=1&novidslider=0&fscd1=30&fscd2=60&enableembeds=0&enablemgl=1&ar=0&g=0&isstusr=1&pertid64=8165569591663603850&ptime=60&pcnt=1&showmm2=True&ctzinfo=-2&sabd=60&usefu=1&hostenv=www.&t=1&mt=audio&logerr=0&bacp=0"  allowfullscreen="true" wmode="transparent" width="450" height="230">


Neste caso do player do MySpace o que você deve fazer é:
  1. Ir até o perfil da banda cujo player será utilizado
  2. Acessar o código fonte da página. No Google Chrome basta clicar com o botão direito e escolher a opção "exibir código fonte da página", no Firefox o procedimento é o mesmo e a opção é simplesmente "código fonte". 
  3. Tendo acesso ao código, utilize novamente a busca por caracteres (CTRL + F) e procure por "flashvars".
  4. Copie tudo que estiver dentro das aspas logo após a palavra "value".
  5. Substitua o código em negrito, abaixo, pelo código que você copiou. Faça tudo no bloco de notas para evitar que a formatação html influencie no processo.
  6. Perceba que o mesmo código deve ser inserido em dois pontos diferentes do código geral, não se esqueça disso.
  7. Caso queira alterar o tamanho de exibição do player, altere os valores de "width" e "height" no código. Eles aparecem duas vezes, uma no início e outra no fim do código.
  8. Troque todos os ??? pelo sinal correto, copie e cole o código no editor hmtl utilizado por você para publicar (para quem usa Blogger, Wordpress ou Tumblr, essas ferramentas possuem botões simples para exibição de html bem na página de publicação de posts, é bem fácil).
  9. Agradeça a existência da internet e do Meio Desligado. Se você passar a visitá-lo diariamente, além de contar pros amigos que esse é um blog bacana, eu é que agradeço. Porque, você sabe, quem não gosta, gosta e quem não gosta, curte.

29 de janeiro de 2011

Novo "site" do Fórceps


O principal endereço virtual do Fórceps, www.forceps.com.br, agora tem nova interface, semelhante a de um mini-portal. Você pode concentrar os acessos nesse endereço e ter acesso às atualizações de todas as subdivisões do coletivo, como o CineBrasa, Conector e novidades do blog do Fórceps, entre outras ações.

Coloquei no ar há algumas semanas e esqueci de avisar. Vai lá!

27 de janeiro de 2011

Comoção no (punk) rock

Quase todas as coisas relacionadas à banda punk-comédia Cães do Cerrado (imagine uma mistura da postura do Black Lips + Raimundos tocando músicas do Cólera) costumam ser fora do comum, desde os nomes dos integrantes (Lixo & Corrupção e Malibu são alguns exemplos) aos seus shows (em um deles foi promovida uma luta livre de mascarados, com narração no melhor estilo lucha libre feita pelo ex-vocalista da banda, singelamente conhecido como Dynamite).

Ontem, no show de lançamento do primeiro CD da banda (disponível para download no Bandcamp no esquema "pague o quanto quiser, inclusive nada"), na Obra, em BH, obviamente não poderia ser diferente. Mas, ao contrário do que se poderia imaginar, o que chamou atenção foi um acontecimento marcado pela fofura (ui!) e companheirismo.

Quem conta é o Jonathan Tadeu, guitarrista e vocalista da banda belo-horizontina (assim como a Cães), Quase Coadjuvante. O relato estava no perfil do Jonathan no Facebook e achei válido de ser publicado.

"E ontem que eu inventei de entrar no meio dum mosh durante o show do Cães do Cerrado, quando algum filha da puta se aproveitou da minha falta de sobriedade e abriu a minha mochila...

Foram pro chão: 1 desodorante, 1 pacote de amendoim, 1 mp3, 1 livro da biblioteca pública, 2 FILMADORAS, 1 carteira de trabalho e 1 CPF... eu nao reparei nada disso e continuei dançando. A Obra tava bem cheia e como sempre, tava escuro.
Então, alguem me puxou pra fora da roda e me falou - velho, tua mochila tá aberta, tá tudo no chão!

O mosh se interrompeu e todos que estavam na roda, saíram procurando as coisas pra mim.
Em menos de 2 minutos estava tudo de volta pra mochila..até o pacote de amendoim a galera me devolveu.

Muito obrigado juventude belo horizontina, eu não costumo acreditar em vocês (ou melhor, na gente) mas ontem vocês brilharam!"

E pra terminar, um comentário deixado no Facebook do rapaz sobre o acontecido: "Parece que eu tô vendo final daquela novela das oito que aparecia a galera dando testemunho". Novela da MTV.

25 de janeiro de 2011

Marginalia Lab recebe inscrições para artistas residentes

O Marginalia Lab, projeto de desenvolvimento artístico/tecnológico sediado em BH, lançou uma convocatória para selecionar artistas brasileiros e estrangeiros que farão residência ao longo de 2011. Serão escolhidos três artistas, entre designers, músicos, técnicos, engenheiros, arquitetos, programadores, educadores e qualquer outra pessoa que desenvolva trabalhos de criação e experimentação situados na interseção entre arte e tecnologia. As inscrições podem ser feitas até o dia 1° de fevereiro através de um formulário online.

Os 3(três) artistas serão selecionados de acordo com a seguinte divisão:
- 1 (um) artista local: residente em Belo Horizonte ou Região Metropolitana de Belo Horizonte;
- 1 (um) artista brasileiro, residente em qualquer lugar do pais;
- 1 (um) artista internacional, residente em qualquer outra localidade fora do Brasil;

O período de residência dos mesmos seguirá ainda a seguinte escala:
- Artista de Belo Horizonte ou Região Metropolitana: 15 de março a 15 de maio;
- Artista brasileiro: 15 de abril a 15 de junho;
- Artista estrangeiro: 15 de maio a 15 de julho.

Mais informações sobre o Marginalia Lab e o processo de seleção no site do projeto.

Bandas brasileiras em festivais internacionais

Coachella e South by Southwest, dois importantes festivais musicais norte-americanos, têm em sua programação deste ano artistas independentes brasileiros. No Coachella, que acontece na Califórnia em abril, quem mais surpreendeu foi o rapper Emicida, que aparentemente (a julgar pelo posicionamento de seu nome no cartaz) abrirá a programação do festival. Outros artistas brasileiros que tocam por lá são o CSS, que lança CD novo este ano, The Twelves e DJ Marky. A programação do Coachella 2011 inclui artistas como Arcade Fire, The Strokes, Kanye West, The Black Keys, PJ Harvey, Foals e outros. 

Já o South by Southwest, ou simplesmente SXSW, acontece durante março no Texas e terá Constantina, Kiko Dinucci, Naurea, Nana Rizinni, Rose and Me, Some Community, Thiago Pethit e Tiê (além do Forró in the Dark, que a organização do festival considera como banda americana).

Clique abaixo para ver as programações completas dos dois festivais.

Música independente, festivais e Fora do Eixo em matéria d´O Tempo

Meu amigo Carlos Andrei, com quem fiz meu projeto experimental de conclusão do curso de jornalismo, publicou hoje no jornal O Tempo, de BH, uma boa matéria sobre a cena musical independente, com destaque para as ações relacionadas ao Circuito Fora do Eixo. A matéria completa está no site do jornal, abaixo você tem uma prévia.

Se no ano passado os festivais de música independente mostraram a sua efervescência e força catalisadora de ações culturais, em 2011 a expectativa é que o ritmo seja mantido, com possibilidades ainda maiores de crescimento. E boa parcela do motivo dessa expansão se deve não só ao empenho dos músicos, mas à presença de artistas de vários segmentos, que cada vez mais associam-se às esferas dos eventos de música para juntos trazerem novo frescor ao seu significado.

Contextualizados pela era dos coletivos, os projetos responsáveis por movimentar a cena independente - produzida à margem dos interesses predominantes do mercado das artes - vêm passando por mudanças expressivas nos últimos anos. Fato que pode ser percebido na maior flexibilidade dessas realizações em conceber diálogos com outras áreas.

Dessa forma, o presente aponta para uma alteração no próprio perfil dos festivais, que, quanto mais novos, mais nitidamente apresentam-se impregnados pela perspectiva de integração artística. 

22 de janeiro de 2011

Novo vídeoclipe do Black Drawing Chalks

Nesta semana foi divulgado o novo clipe do Black Drawing Chalks, "Red love". A filmagem foi feita em Goiânia, no Bolshoi Pub, em março do ano passado durante a gravação do álbum Live in Goiânia, recém-lançado pela Monstro Discos.


Pra quem já conhece a banda, nenhuma novidade (e isso é bom!): rock´n´roll rápido e pesado e de ótima qualidade.

21 de janeiro de 2011

WikiRebels, documentário sobre o Wikileaks

Lançado no fim de 2010, o documentário WikiRebels aborda a história recente do WikiLeaks, um dos maiores fenômenos políticos/comunicacionais mundiais, e de seu criador, Julian Assange, um dos mais influentes e "perigosos" homens vivos atualmente, segundo a mídia e governos preocupados com as informações divulgadas pelo site.

O caso do WikiLeaks está diretamente ligado ao que vivemos diariamente na área musical (não só nela, mas no setor cultural de forma ampla) com a facilidade de reprodução e distribuição de conteúdos digitais possibilitada pelas tecnologias modernas (conexões mais potentes, maiores capacidades de armazenamento digital a baixos custos, ferramentas de compartilhamento de arquivos, etc). Um dos fatores mais interessantes no WikiLeaks é observar como a tecnologia para fins ideológicos e políticos, destacando a importãncia da livre circulação de informação e do poder das ações colaborativas em rede.

O documentário foi produzido pela SVT, TV pública da Suécia, país com uma das leis mais abrangentes em relação aos direitos autorais e à livre circulação de informação.

Para conhecer mais sobre o WikiLeaks e sua importância duas sugestões são os especiais do jornal Folha de S. Paulo e da revista Veja sobre o tema (sério, não é piada, serve como introdução ao tema e não deixa de ser, de certa forma, contraditório, já que é justamente devido a veículos tendenciosos como os dois que o WikiLeaks passa a ser ainda mais importante). Outra dica é conferir o blog CartaCapital-WikiLeaks, parceria entre a revista CartaCapital e o WikiLeaks.


18 de janeiro de 2011

Dois novos programas no Conector Meio Desligado

Heitor, da Banda Gentileza
Publiquei duas novas edições do podcast Conector Meio Desligado: uma sobre o 2° Fórum da Cultura Digital e outro sobre a Feira Música Brasil, Festival Calango 2010 e entrevista com o Heitor da Banda Gentileza no blog do Conector.

Aqui está uma delas. Pra acessar os materiais completos, contextualizados e tal, acesse o Conector.

Conector Meio Desligado: festival Calango 2010, Feira Música Brasil e entrevista com a Banda Gentileza
 

E esse é um vídeo sobre o EITA, porra!, projeto sobre o qual entrevistei o artista multimídia Jeraman no Fórum da Cultura Digital.

17 de janeiro de 2011

Entre em contato!

Página nova de contato do Meio Desligado no ar há alguns dias, esqueci de avisar por aqui.

Como usar os players especiais do SoundCloud de graça

O SoundCloud é um dos sites mais usados para disponibilizar arquivos de áudio na internet e grande parte de sua popularidade se deve aos seus players de áudio. No entanto, quem já utilizou a ferramenta sabe que em sua versão gratuita é disponibilzado apenas o player básico. Para se utilizar os players "mini" (uma versão minimalista e menos poluída visualmente) e "artwork" (personalizado a partir de uma imagem escolhida pelo usuário) é necessário contratar algum pacote da versão "premium" do SoundCloud, pagando, no mínimo, €29 por ano.

Abaixo você verá como adaptar o código de incorporação dos players do SoundCloud para utilizar essas outras duas versões, mais interessantes, de forma gratuita.

O player básico do SoundCloud, disponibilzado a todos os usuários, é esse:
  

Esta é a versão mini:

E esta é a versão "artwork":

Para usar ambos os players especiais você pode usar como base os códigos abaixo e fazer algumas simples alterações, conforme explico na sequência.

O primeiro código abaixo é o da versão mini do player, lembrando que troquei os sinais de < antes dos parâmetros "div", "object", "param" e "embed" por ??? para que o código ficasse visível e o player não fosse carregado. Ao utilizar o código você deve inserir o < no lugar de cada um desses "???".
Tudo o que você precisa fazer é pegar o código fornecido junto ao player padrão de uma determinada música e copiar o valor da url que aparece nele, como "http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fforceps%2Ffusile-combat-samba&amp". Basta copiar e colar esse valor substituindo a url no código abaixo, em laranja, e você terá o player mini com seu arquivo de áudio no SoundCloud. É importante lembrar que você deve fazer o upload de seu arquivo para o SoundCloud, isso não funciona com arquivos hospedados em outros sites.

???div class="widget tiny">
???object height="18" width="100%"> ???param name="movie" value="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fforceps%2Ffusile-combat-samba&auto_play=false&player_type=tiny&color=000000">
???param name="allowscriptaccess" value="always">
???embed allowscriptaccess="always" height="18" src="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fforceps%2Ffusile-combat-samba&auto_play=false&player_type=tiny&color=000000" type="application/x-shockwave-flash" width="100%">  
 
O mesmo deve ser aplicado no código do player "artwork" (abaixo), sendo que a imagem apresentada será aquela que você subir para o SoundCloud quando hospedar o arquivo de áudio no site. Alterando os valores de "height" e "width", assim como no YouTube, você definirá o tamanho da imagem apresentada e, consequentemente, do player. 
 
???object height="300" width="300"> ???param name="movie" value="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fforceps%2Ffusile-combat-samba&auto_play=false&player_type=artwork&color=000000">
???param name="allowscriptaccess" value="always">
???embed allowscriptaccess="always" height="300" src="http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fsoundcloud.com%2Fforceps%2Ffusile-combat-samba&auto_play=false&player_type=artwork&color=000000" type="application/x-shockwave-flash" width="300">

15 de janeiro de 2011

Coletânea de música alternativa: 1ª Music Alliance Pact de 2011

Todo dia 15 você já sabe: é hora de baixar a nova edição da Music Alliance Pact, coletânea global que reúne artistas independentes de destaque em cerca de 40 países de diferentes continentes. O Meio Desligado é o representante oficial do Brasil desde que o país foi incluído na lista. 

Faça o download da coletânea completa ou clique nos nomes das músicas da lista abaixo para ouví-las. 
 
ARGENTINA: Zonaindie  
Les Mentettes Orchestra is the augmented version of Les Mentettes, a psychedelic pop band from Buenos Aires that features more than 20 musicians live on stage. A couple of years ago we featured one of their early recordings, but now it's time to unveil a great song from their first and self-titled album. It was recorded live at ION, a legendary studio that still works with tape and analog equipment. The album is available on iTunes and there's also a video of Cosmic Sidewalks.

Spartak were one of many great bands I discovered on the recently released compilation, The Sound of Young Canberra, which is full of exciting music from the oft-forgotten titular city. Spartak's tune stands out amongst a very strong set that makes a solid case for reevaluating Australia's capital as something of an emerging cultural hub. Nightshift (Version) reminds me of a Spoon demo, bringing together Spoon's knack for effortless songs draped in subtle studio trickery. I look forward to more from these guys. 


BRASIL: Meio Desligado  
"Maria Augusta" é um semi-hit do Apanhador Só, banda do Rio Grande do Sul que no ano passado lançou um bom álbum, cujo download pode ser feito de graça no site da banda. Eles são parte de uma nova cena de bandas com boas canções em português, cena da qual são considerados uma das principais revelações. "Maria Augusta" mostra de forma singela uma banda que não escolhe os meios mais fáceis para se expressar musicalmente e experimenta alternativas na composição e execução de suas músicas, como demonstrado pelo uso de uma roda de bicicleta como instrumento musical.

CANADA: I(Heart)Music  
Think of The Strokes. Now think of The Strokes if they slowed things down considerably, but still managed to retain all their cool and catchiness. Got a picture/sound in your head? Then, as Laughing shows, you've got a good idea of what Hooded Fang sounds like.

CHILE: Super 45  
Génesis heralds the comeback of Elefante Mecánico after their celebrated Memorias De Un Elefante album, self-released in 2008. In this record, Bame, Jota and DJ Antioch pick up on old school hip-hop sounds, throwing inspired rhymes about cosmos, love and eternity.

CHINA: Wooozy  
Beijing-based Pet Conspiracy plays funky, danceable electronic music that takes influences from punk-rock, new wave and disco. The band consists of two female singers, a guitar/synthesizer player and a drummer. Lead guitarist Hu Zi is already an established artist in the Beijing underground scene as an electronic musician. Pet Conspiracy is known for their high-energy live performances and the array of toys and costumes they bring on stage. They have just returned from a successful tour of Europe.

COLOMBIA: Colombia Urbana
Two Colombians and one gringo make up The Colombian Party Cartel. The crew resides in the United States, where every weekend they mix the best Colombian music. Carey James is the lead vocalist and principal producer of CPC. La Murga De Colombia samples a Willie Colón song and creates a new fusion of Colombian cumbia and urban style.

DENMARK: All Scandinavian  
The vessel for frontman Kaspar Kaae's musical output, alternative country and Americana seven-piece CODY hit it big in Denmark in 2009 with their excellent debut album Songs, from which The Light is taken. Come March they'll play both Canadian Music Fest and SXSW, and around the same time the album will be out in the US on Thrill Jockey Records. They're a really great live band as well.

If you're only going to pay attention to one name on all those Tips For 2011 lists then let it be Anna Calvi. Her influences – from Morricone soundtracks to doomy goth and opera – suggest her music could be preposterously overblown, yet Calvi is clearly an expert when it comes to dynamics and restraint. Cavernous drums open proceedings on Suzanne And I, then ominous, twanging guitar lines ring out before Calvi steps up to the microphone. Each new addition ratchets up the tension a notch, drawing you in so that, by the time Calvi's wailing away on top of thundering riffs, crashing cymbals and a couple of spare kitchen sinks, you're too involved to notice. Her self-titled debut album is out on Domino on January 17.

ESTONIA: Popop
Galvanic Elephants hail from Tartu. They came together in August 2010 and have released only one single so far, but that one song has earned them praise from critics and music bloggers and created anticipation for new material that should be released soon. With no concerts announced so far either, Rum Rumble is the only chance to enjoy the rough sound of Galvanic Elephants right now, but it definitely makes you want more.

FINLAND: Glue  
On Volcano is one of the best underground bands in the Finnish indie scene. They play obscure post-rock songs with long instrumental movements and intense dynamics and atmospherics. Their latest EP is available for free on their website.

GERMANY: Blogpartei
Sizarr are lucky guys. Yet to finish school, they have already played big festivals in Germany such as the renowned Melt! without being signed to a label yet. These three guys from Landau have a very distinctive style, especially singer Fabian Altstötter, whose voice is very dark and uses a memorable stretching technique. Together they create modern electonica landscapes inspired by many other genres. They plan to record their debut album this year.

The movie Homeland, directed by Syllas Tzoumerkas, is an explosive parable of Greece coming apart at the seams, shown through the spectrum of a dysfunctional family, which decides to give up one of its members for adoption to a richer relative. The original music score, a compelling concoction of styles that continually surprises, reflects precisely those feelings. drog_A_tek, a band that records moments in real-time and produces temporary audiovisual environments, uses objects, analogue and digital musical instruments, typewriters, frequencies, recording archives/waste and technology landscapes to depict the film's mood. As a result of this, no moment of Homeland is left unfilled with sparkling music ideas. Listen to In_No_Sense, where their ingenuity shines.

Miri began at the LungA festival in the east fjords of Iceland in 2003. The debut EP, Fallegt Þorp, was recorded live one night during this festival in 2005, produced by Curver Thoroddsen. The band plays almost wordless, progressive noise mixed with beautiful guitar work. Góða Konan is featured on their 2010 full album Okkar.

INDIA: Indiecision  
Adam And The Fish Eyed Poets is the solo project of Kishore Krishna from Chennai. His music finds a place between the lush industrial sound of Nine Inch Nails and rootsy American rockabilly. Little Monkeys comes from his debut album, Snakeism. Featuring several clinky electronica bells and whistles, it is a resounding tune that is over almost as quickly as it starts. It's a builder in a hurry; a chorus-heavy singalong that's emphatic and imminently memorable.

INDONESIA: Deathrockstar
Auman means "animal's roar", and their music is wild, dirty and full of energy - like a tiger deep in the Sumatra jungle that is ready to eat its prey. ((Auman)) is the latest group worth hearing in the local headbanger scene.

IRELAND: Nialler9
Formerly of Dublin punk rockers Moutpiece, Gaz Le Rock has expanded his repertoire into an amazing 30-minute radio show called The Loving Room Floor and is now releasing tunes at a blistering pace as Retarded Cop, a project which has the catchiest pop-punk tunes you'll hear all year. A debut LP is forthcoming.

ISRAEL: Metal Israel  
Yerachmiel "Rocky" Ziegler is an international musician who owns Little Apple Studios in the trendy Jerusalem artists' enclave Nachlaot. He is an authentically indie artist, though his work is distributed worldwide and features on several albums. Yerachmiel's music spans several genres but this specific song, Yom Shekulo, is a trance-rock rendition of ancient Passover liturgy that speaks of Messianic times (and it really picks up quite nicely in the middle).

ITALY: Polaroid  
Alberto and Letizia come from the coastal town of Pesaro and there is definitely a breezy, summery shade in their jangly, noisy pop. Behind their C86 abrasive guitars and shining melodies you can hear a bright ode to adolescence and nostalgia, in the vein of The Pains Of Being Pure At Heart or Dum Dum Girls. Well, you can decide not to trust me because I am too involved and helped them release their debut 7'' (on We Were Never Being Boring), but just listen to this bittersweet bonus track and fall in love right now.

Although Disco Ruido! has made its name in Mexico City's hipster nightlife as a non-stop party combo, their debut album delves into a neon-blurred nostalgia from lost childhood afternoons watching pop stars miming on TV. Mercedes sings like a doll high on ephedrine (no doubt this song's title is translated as "amorphous"), while the band explores the enormous legacy of harmonies that dwell in the Mexican collective memory. I wish Thalía and Paulina Rubio (the glamour-pusses from seminal 80s teenybopper group Timbiriche) could be doing this kind of sophisti-pop.

NETHERLANDS: Unfold Amsterdam  
At times pop trio Lola Kite can't resist the playfulness of lo-fi, losing themselves to retro electro-pop tech and washes of hazy, melodic psychedelia - which undoubtedly reminds you of Animal Collective when combined. However, their debut album Lights, finally released this month following loads of gigging promise, shows they're more than a quirky and charming proposition, upping their game with upbeat and snappy dance-pop gems such as Everything's Better.

NEW ZEALAND: Einstein Music Journal  
There's nothing like the enthusiastic waveform tones of Golden Axe. Named after the Sega game, Chris Cudby and Daif Kent's keyboard-based band has been making party-friendly psychedelic music since late 2001. True to their fun and eccentric form, the July release party for their latest album, Fantasy Footwork, saw them play inside a giant paper mâché igloo that they made themselves. Download the Telephone EP and buy Fantasy Footwork from their Bandcamp.

The members of Aristillus are aged 17 and 18 but, in spite of their youth, they sound much more mature than many other hardcore bands. With heavy drums, sharp guitars and lyrics as dark as their sound, I believe they'll soon get a lot more attention. Their influences are Norwegian hardcore bands such as Snöras, JR Ewing, Kollwitz and Rumble In Rhodos, and they're releasing their debut album, Devoured Trees & Crystal Skies, on January 24 on the Norwegian indie label Fysisk Format. Aristillus is playing at by:Larm 2011 and I'm quite sure that won't be the last you'll hear from them this year.

PERU: SoTB  
With a career spanning more than 20 years, Voz Propia is still current, their sound having been renewed to the demands of each time. El Manifesto is their eighth production and it could be the definitive work of this mature band. Post-punk is the essence in their sound again so hold on, Voz Propia is back.

Armando Teixeira, who has been playing in bands and as a solo artist for more than 25 years, is one of the most talented contemporary musicians and producers of modern Portuguese music. He is a creative multi-instrumentist and sought-after producer for labels and studios. Balla is one of his solo projects and we wish to thank Armando for letting MAP make Equilíbrio? the first free, worldwide downloadable track from latest album Equilíbrio.

ROMANIA: Babylon Noise  
Nebulosa is the music space child of three people living on different continents: Noamme, Andrei and Vladimir. The sound is dreamy and sincere, using very simple chord structures and lyrics. Their debut EP, Chimes, can be downloaded from their website, a free ticket to the stars.

SCOTLAND: The Pop Cop
Aaron Wright and The Aprils' self-titled debut album, due out conveniently enough in April, features guest vocal contributions from Camera Obscura's Tracyanne Campbell and Teenage Fanclub's Norman Blake as well as instrumental ones from Belle & Sebastian duo Stevie Jackson and Mick Cooke. Those influences certainly makes themselves heard on Go On Yer Self, which mixes a classic Scottish folk-rock sound with a strong helping of Beatles-esque melody-making. The 24-year-old shaggy-haired Edinburgh singer and his band will be heading out on tour in March as support to The Charlatans. The ingenious video for their new single, Trampoline, is also worth a look.

Hip hop isn't something one associates with Singapore's music scene, but it exists, usually even more underground than rock, metal or hardcore. Ironically, it's in response to rampant commercial radio that the local music community, regardless of style, has become a close-knit family. In his debut, Kevin Lester brings out the collaborative and experimental strengths of hip hop, forging a sound with slashes of rock and soul, and working with some of the country's best singers to put out a record with incredible heart and talent.

SOUTH AFRICA: Musical Mover & Shaker!  
Thieve are a trio hailing from the hub of Cape Town, whose motto and reason for picking the band name comes from the fact that "nothing is original - everybody steals". While you can hear that sentiment heavily influences their song, Champion, they maintain a unique feel with their melding of swirling pop rhythms, a soft rock sound and a nostalgic lovestruck feel to their lyrics. With the experience of all the members being involved in previous well-known bands, they've turned Thieve into a tight-knit group that is set to take over the rock 'n' roll scene.

SOUTH KOREA: Indieful ROK
After a year in the making, experimental shoegaze band Swimmingdoll were finally ready to present their first album, 8wimmingdoll, in the last weeks of 2010. Last Take is a gorgeous layered production with a sound well suited for "the infinite world of the spacewalk" the band wish to portray.

SPAIN: Musikorner  
Oblique's music and aesthetic could remind us of 80s electro-industrial music (or even EBM) bands and, certainly, their biggest inspiration comes from dark synthpop acts such as The Human League or Ladytron. Without Making Noise, the second single taken from the eponymous album of this trio from Barcelona, features dark atmospherics and, of course, a catchy chorus. It's got what it takes to be a perfect futurepop track.

SWEDEN: Swedesplease
Klifton Filente is one of the underappreciated, unsigned and relatively unknown artists from Sweden that I am keeping my eye on. On the song It Takes A Thorn To Remove A Thorn, taken from their Common Ground album, you can hear echoes of Crosby, Stills and Nash as well as the lilting folk-pop of early Paul Simon.

SWITZERLAND: 78s  
Sonic Youth is the keyword when it comes to Aie ça Gicle's musical universe. But the band's debut album S.Y.R.U.P. offers more than just a blueprint. Their influences range from post-punk to grunge to post-rock. They pile guitar layer upon guitar layer, interlace some catchy refrains and try to be as laid-back as possible.

UNITED STATES: I Guess I'm Floating
Chicago's Smith Westerns break out of the relatively dull and dispassionate tunes of their first record and, in the upcoming Dye It Blonde LP, give us 2011's first truly great album. It's a wonderful construction upon the flashy glam rock that gave careers to David Bowie and T-Rex, endlessly listenable and replayable, particularly opening track Weekend.

VENEZUELA: Barquisimeto  
Greasy Grapes are a straight-ahead rock 'n' roll band formed in Caracas in early 2006. Their music is influenced by American traditional southern music, which also inspired legendary bands in the late 60s and 70s such as Led Zeppelin, The Rolling Stones, Faces, Lynyrd Skynyrd and the The Allman Brothers Band. Candles In The Rain is taken from Greasy Grapes' 2009 debut album At The Back Of The Hill, which blends a vintage vibe with rock, soul, blues and country sounds.

14 de janeiro de 2011

CineBrasa: um cineclube diferente (?)

Inicialmente, o CineBrasa era um cineclube criado pelo Fórceps (que, inclusive, está com site novo que coloquei no ar há alguns dias) em Sabará (MG) para exibir filmes que considerássemos interessantes e apresentar convidados especiais comentando essas obras, de modo a permitir uma análise mais profunda por parte do público. Em seguida, veio a vontade de escrever sobre as obras audiovisuais que nos interessam e que consideramos importantes de serem conhecidas por mais pessoas. Depois (ou antes, ou simultaneamente, é difícil e reducionista delimitar tudo) vieram as produções autorais de pessoas envolvidas com o CineBrasa. Um pouco disso, um pouco daquilo, mais muita coisa inusitada (e que sempre torna tudo mais sincero e espontâneo) é o que forma o CineBrasa. Algo em constante transformação e que à medida que mais pessoas participam, se transforma.

No início, por exemplo, foi proposto que somente a produção audiovisual brasileira e produzida de forma independente fosse objeto do CineBrasa, tanto nas exibições no cineclube como em seu blog. Logo surgiram os primeiros questionamentos e chegou-se a uma posição (pois “conclusão” não seria o termo mais indicado) de que isso limitaria e, de certa forma, excluiria, muitas produções interessantes, resultando em uma mistura de curadoria/linha editorial quase xenófoba, um nacionalismo exacerbado desprovido de razão.

É óbvio que falta espaço para que as produções audiovisuais nacionais circulem e sejam assistidas por mais pessoas, mas limitar-nos a ela seria uma auto-exclusão inaceitável, um salto em direção ao caminho oposto do que almejamos = conectar pessoas e obras, promover a circulação da cultura, estimular o pensamento e a produção de obras que nos instiguem, que incomodem, que provoquem os mais diversos sentimentos (das mais variadas formas e nos mais diversos níveis).

E para isso fugimos da sisudez e da punheta retórica do anacronismo típicos dos cineclubes pseudo-intelectuais e sua necessidade de presença física para ter acesso aos filmes. É por isso que um dos diferenciais do CineBrasa é que todas as obras selecionadas podem ser acessadas através da internet, seja através de streaming ou download. Essa é a nossa visão de um cineclube hoje, fruto do momento em que vivemos e de nossa relação com a tecnologia e as mídias digitais.


Acontecerão sessões semanais na sede do coletivo Fórceps (começando hoje, 14 de janeiro de 2011), mas nada impedirá que qualquer pessoa, em qualquer lugar do planeta, interaja conosco e tenha acesso às mesmas produções que serão exibidas. Essa é parte de nossa visão de um cineclube hoje, uma mistura de blog, espaço de exibição e de discussão, uma integração entre bits e átomos. Um não-lugar (a internet) integrada a um espaço físico delimitado (a sede do Fórceps, espaço das exibições públicas)

Hoje, o CineBrasa é isso. A partir da sua participação, nenhum de nós sabe o que será. Ainda bem.

Ps.: você pode indicar filmes e receber as novidades do CineBrasa a partir deste formulário.

Festival Sai da rede: o som que vem da web

Logo que tive o primeiro contato com o festival Sai da rede gostei de sua programação e seu mote do "som que vem da web", com artistas cujas origens/atuações possuem forte ligação com a internet. João Brasil, Lucas Santtana, Burro Morto, Isaar, Lulina, Instituto, Letuce, Tiê e Tulipa Ruiz formam um recorte interessante da produção musical brasileira contemporânea que poderá ser conferido ao vivo no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília ao longo do mês de janeiro (os shows começaram no final de semana passado e continuam até o dia 23 de janeiro).

De um ponto de vista pessoal, discordo da seleção de Tiê pelo fato de ser uma artista de uma grande gravadora (Warner) e cuja divulgação do trabalho está muito ligada a isso (ou seja, não se trata de uma artista cuja repercussão do trabalho é típica da era digital) e Lulina, nesse caso, puramente por critérios subjetivos de qualidade artística (resumindo em poucas palavras: acho um saco e superestimada).



Abaixo está a programação completa do Sai da rede e aqui o texto de apresentação do projeto (que você também pode ler se clicar no "continue lendo" ao fim do texto).

Programação festival Sai da Rede
Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília
de 07 a 23 de janeiro de 2011

1º semana
7/1 (sexta, 21h) – Lucas Santtana
8/1 (sábado, 21h) – Tiê
9/1 (domingo, 20h) – Isaar

2º semana
14/1 (sexta, 21h) – Burro Morto
15/1 (sábado, 21h) – Lulina
16/1 (domingo, 20h) – Instituto

3ª semana
21/1 (sexta 21h) – Letuce
22/1 (sábado, 21h) – Tulipa Ruiz
23/1 (domingo, 20h) – João Brasil

Preço: R$ 15,00 e R$ 7,50 (meia-entrada para estudantes, professores, pessoas com mais de 60 anos e clientes BB).

13 de janeiro de 2011

Sons modernos e posturas antigas (ou Hermano Vianna, eu, você e os novos hábitos de consumo no mercado musical)

O Hermano Vianna viveu, sentiu e expressou textualmente sua experiência com a música, mais especificamente, com o consumo da mesma (catalisado pelo fim da loja Modern Sound, até então uma das mais famosas lojas de CDs do Rio de Janeiro). Ele publicou em sua coluna no jornal O Globo. O Alê Youssef leu, gostou, republicou o texto em seu blog e o divulgou no Twitter. Eu, enquanto ouvia músicas direto no FireFox usando o plugin Fire.fm (que utiliza dados do Last.fm para gerar uma "estação de rádio" no seu navegador), atualizava uma planilha no Google Docs e carregava um vídeo no Vimeo, vi através do Twhirl (serviço que utilizo para acessar o Twitter) que o Alê divulgou em seu perfil no Twitter o texto republicado em seu blog.

Esse é o caminho que me levou ao texto que apresento abaixo a vocês. O processo de encontro ao conteúdo criado pelo Hermano foi publicado para ressaltar como nossos hábitos se transformam e, atualmente, estão cada vez mais relacionados ao conteúdo digital e às famosas "nuvens".

 
Engraçado e lamentável, simultaneamente, é o comunicado de encerramento da Modern Sound. Digo lamentável não porque eu chore pelo fim da loja. O que é triste no comunicado é a constatação de como grande parte da indústria permanece lamentando o fim dos velhos tempos de menos conteúdo disponível e mais lucros para empresas como a loja carioca. "Apesar de todo nosso esforço, infelizmente não foi possível reverter a perda causada pela evolução tecnológica, em que toda a cadeia de negócios ligada a questão do direito autoral foi ferida de morte".

Uma opinião sincera? Se vocês realmente pensam assim, já deveriam ter fechado as portas há mais tempo. E novamente, com a mesma sinceridade: não farão falta alguma. Eu e outros bilhões de pessoas preferimos, sem dúvida alguma, toda a "perda causada pela evolução tecnológica" do que 20 Modern Sound.

A impressão que tenho é que apesar de trabalharem no mercado musical muitas pessoas, como quem assina o comunicado da Modern Sound,  não VIVE o mercado musical atual. Mantêm uma mentalidade extremamente retrógrada, tendem a culpar a tecnologia em vez de utilizá-la para adaptar seus negócios, explorar nichos diferentes, novos modelos de negócios, etc.

A única grande perda provocada pela evolução tecnológica no setor musical refere-se à manutenção de monopólios que exploram (ou exploravam) a escassez de conteúdo musical em seus suportes físicos (como CDs, DVDs e vinis). E essa "perda", que dá espaço para a circulação de uma maior diversidade de artistas em todo o mundo, ampliando o mercado, não reduzindo, é muito bem-vinda. Velhos (hábitos, negócios, modelos,  pessoas) quando se ferem, têm maior probabilidade de morte. Que venham os novos (formatos, modelos, ideias, pessoas).


Clique abaixo para ler na íntegra a coluna do Hermano Vianna.

11 de janeiro de 2011

Como usar o YouTube como seu player de música

Hoje em dia existem alguns bons serviços (gratuitos, inclusive) que permitem a hospedagem de arquivos de áudio e fornecem os códigos para que os players do áudio sejam incorporados em outros sites. Soundcloud e Official.Fm são bons exemplos, assim como o nacional TramaVirtual, que há algum tempo fornece o código "embed" das músicas hospedadas no site.

O problema é que o Soundcloud, por exemplo, possui limites em relação a duração dos arquivos enviados (no total, cada usuário do serviço em sua versão gratuita pode enviar duas horas de áudio) e a TramaVirtual é dedicada a artistas, caso você queira enviar entrevistas ou podcasts, não funcionaria.

Uma opção nesses casos é "hackear" o player do YouTube para utilizá-lo como um simples tocador de áudio. Algo bem simples, na verdade, e que é muito mais prático (e agradável de se ver) do que publicar o grande player de vídeo do YouTube com uma imagem estática ao fundo, fazendo uso apenas do áudio.

Pegue como exemplo essa música da banda Cartolas, "Cara de vilão".
A música foi colocada no YouTube acompanhada somente do que parece ser a capa do CD da banda, ou seja, está usando o YouTube basicamente como um player de áudio.

Pra adaptar o player a esse propósito a única coisa que precisa ser feita é alterar os valores de altura (height) no código para "25". Caso queira deixar o player mais compacto uma opção é reduzir a largura (width) também. Abaixo, coloquei a largura em "250".

object width="250" height="25">
embed src="http://www.youtube.com/v/9L2nX7AAl_g&rel=0&hl=pt_BR&feature=player_embedded&version=3" type="application/x-shockwave-flash" allowfullscreen="true" allowScriptAccess="always" width="250" height="25">(fiz algumas outras alterações pra que o código ficasse visível aqui)

E o resultado:


Essa é uma das soluções que usamos no Conector, assim como o Archive.org, que fornece o código de incorporação e já registra os arquivos em Creative Commons. O ideal é não se limitar ao que os sites e serviços online lhe fornecem como padrão e buscar alternativas que melhor atendam aos seus interesses.

A integração entre YouTube e música também é explorada por uma série de serviços online, alguns deles listados abaixo:

10 de janeiro de 2011

Temporal: A arte de Stephan Doitschinoff

Recuperando um texto de um antigo blog, parte do meu projeto de conclusão do curso de jornalismo há alguns anos.

Conheci o trabalho de Stephan Doitschinoff anos atrás, quando o artista foi responsável pela arte visual do álbum Dante XXI, do Sepultura, e desde então acompanho (e me surpreendo) com suas obras. Recentemente, descobri o documentário Temporal: A arte de Stephan Doitschinoff, que registra a temporada de Doitschinoff em uma pequena cidade do interior da Bahia na qual pôde aprofundar-se na arte sacra e no folclore.


Em seus 13 minutos de duração, Temporal registra o processo que resultou em parte da cidade de Lençóis coberta por pinturas de Doitschinoff, apresentando o desenvolvimento das pinturas e comentários do próprio artista sobre as obras. Um dos fatores mais interessantes é a forma como as pinturas se adaptam aos muros e paredes degradados e como a cultura local influenciou o trabalho. As imagens feitas no cemitério da cidade são ótimos exemplos disso: apesar de manterem a identidade e o estilo de Doitschinoff, são trabalhadas de forma a assimilar a religiosidade e a história local, resultando em uma beleza não apenas estética, mas carregada de significado.

A direção do curta é de Bruno Mitih e a trilha sonora é composta por músicas do Hurtmold.

Bandas independentes brasileiras que lançarão novos trabalhos em 2011

Primeiro, uma explicação: eu não poderia fazer uma lista de "CDs que serão lançados", já que alguns (ou muitos) dos trabalhos citados não terão suporte físico no momento de seus lançamentos, sendo disponibilizados na internet.

Aproveitando a lista que o Luciano publicou no El Cabong, filtro e atualizo os trabalhos de bandas independentes brasileiras que serão lançados em 2011 e que devem render algumas belas músicas. Lembrando que 2011 já tem dois interessantes lançamentos na cena independente (em breve com críticas publicadas no Meio Desligado): Baptista virou máquina, do Burro Morto, e Olidance, da Academia da Berlinda (ambos liberados para download pelas próprias bandas).

Em negrito estão os que considero os mais aguardados e explico brevemente o motivo.

Chega de papo, segue abaixo a lista.

  • Cães do Cerrado (janeiro)
  • L.A.B (fevereiro)
  • Nuda (março) - A banda sai do clichê do que se espera das bandas de Recife e vem com seu primeiro álbum após um elogiado EP lançado há cerca de 3 anos. Em A Maré Nenhuma, título do CD, ainda virá uma cover de Chico Buarque: "Ode aos ratos".
  • 4instrumental (junho) - é uma das principais novas bandas de MG e altamente elogiado pela maioria das pessoas que já os viu ao vivo. Em 2011 será uma das bandas que mais tocará em festivais independentes pelo Brasil
  • Transmissor (1° semestre) 
  • Momo (1° semestre)
  • Constantina (1° semestre)
  • Canastra (1° semestre, produzido por Charles Gavin, mais sobre esse CD na entrevista que fiz com um dos caras da banda)
  • Renegado (2° semestre) - Outra promessa da nova música brasileira que tem potencial para estourar e partir as rádios de todo o país. Ouvi algumas coisas, ainda em estágio de pré-produção, e são empolgantes.
  • Marcelo Camelo - Já se passaram quase 3 anos desde sua estreia solo. Ele avisou que o novo CD tem mais pegada, mais rock que o primeiro. Já justifica o destaque na lista, não?
  • Siba - Siba troca a rabeca pela guitarra nesse novo CD, produzido por Fernando Catatau, do Cidadão Instigado
  • Macaco Bong - Depois de lançar um CD que é praticamente um manifesto de um importante movimento cultural contemporâneo, o que esperar na sequência?
  • Mini Box Lunar (produzido pelo Miranda)
  • Júlia Says
  • Copacabana Club - Produzido por Dudu Marote, o álbum de estreia da banda irá definir se o hype em torno da banda fez algum sentido realmente.
  • Fusile
  • Dibigode
  • Madame Saatan
  • China
  • Mundo Livre S/A
  • Rebeca Matta
  • Jair Naves
  • Fóssil
  • Elma
  • Los Porongas
  • Nevilton - Ao vivo é incrível, mas seus registros até o momento ainda deixam a desejar. Tem potencial para fazer parte do mainstream do rock nacional.
  • Hell´s Kitchen Project
  • Hellbenders
  • Camarones Orquestra Guitarrística
  • Vespas Mandarinas
  • Wado
  • Supercordas
  • Romulo Fróes
  • Otto
  • B Negão e os Seletores de Frequência - Quando o B Negão lançou seu CD anterior o Napster ainda funcionava.
  • Lirinha - Seu futuro é marcar seu nome na música popular brasileira ou só virar mais um mala tilelê? Seu primeiro CD solo pode dar algumas dicas sobre a resposta.
  • Volver
  • Gigante Animal
  • Orquestra Contemporânea de Olinda (com participação de David Byrne, ex-vocalista do Talking Heads)
  • CSS (ha!) - A banda é importante por muitos motivos, você gostando do som ou não. Donkey, seu último CD, é bom e pesado. A expectativa em torno dos rumos apresentados no novo CD são grandes.