Pesquisar este blog

Carregando...

23 de outubro de 2011

"Minha tribo é o mundo", novo CD de Flávio Renegado

Flávio Renegado é provavelmente o maior nome do novo rap brasileiro produzido fora da cidade de São Paulo. Se ainda não está reconhecido nacionalmente entre os principais nomes do gênero, trata-se de mais uma entre as várias barreiras enfrentadas pelo artista que em breve deve ser derrubada com seu segundo CD, Minha tribo é o mundo. Lançado na internet no dia 19 de Outubro, o álbum está disponível para download gratuito de duas formas: você pode baixá-lo em troca de uma tuítada divulgando o CD ou simplesmente inserindo seu endereço de email, no qual receberá um link personalizado para download.

Produzido por Plínio Profeta, que já trabalhou com Lenine, Tiê e O Rappa, o CD apresenta uma sonoridade mais urbana e influenciada pela multiplicidade dos movimentos sonoros contemporâneos. Sem se prender a limites geográficos, sua música dialoga com batidas africanas, ritmos caribenhos, texturas do hip hop norte-americano, a energia da música eletrônica e a malandragem do samba. Uma prévia dessa diversidade poode ser conferida na faixa-título, primeira música de trabalho do CD, cujo vídeoclipe foi produzido pela equipe do portal Natura Musical e pode ser assistido abaixo.


Tido por alguns como sucessor de Marcelo D2 por suas incursões pelo samba-rap, o trabalho de Flávio Renegado extrapola os limites tradicionais do rap mas, em vez de carregá-lo de regionalismos (como faz muito bem o cearense RAPadura), dialoga com uma música global e resulta num cosmopolitismo ímpar no rap brasileiro, como explicita no título de seu novo CD.

Remete musicalmente a artistas tão distantes quanto Theophilus London e Paralamas do Sucesso, ao mesmo tempo em que suas letras contêm sacadas geniais próprias de um poeta das ruas cuja desenvoltura o permite circular entre favelas e condomínios de luxo. Entre um refrão e outro estão frases de efeito e mensagens de amor, mas também relatos cadenciados de alguém que lutou muito na vida e acredita que compartilhar suas experiências é tanto um processo de aprendizado quanto de ensino. Uma mistura de músico, compositor, poeta e filósofo que não possui tempo ou lugar definido, que faz da vida sua escola e aprende com as pessoas ao seu redor. Alguém que leva para a música a receptividade, o movimento e a habilidade típica do brasileiro e abraça o mundo, sem distinção, "contamina os playboys e também a favela / traz o discurso de paz em loucos tempos de guerra / quebrando fronteiras num nanosegundo / pra quem no mundo anda só e pra quem é de todo mundo".


 

Nenhum comentário :