Instagram

28 de junho de 2010

Mombojó, Planant e Bonaparte no novo Conector

Fiz uma nova edição do podcast do coletivo Fórceps, o Conector:


15 minutos, 3 bandas, 3 músicas. Nesta edição do Conector você escuta novas músicas do Mombojó (“Papapa”), Planant (“Sing for the lousy morning”) e Bonaparte (“Fly a plane into me”).
  • “Papapa” fecha o 3° CD do Mombojó, Amigo do Tempo, disponível para download grátis no site da banda recifense (radicada em São Paulo), www.mombojo.com.br 
  • Planant é uma nova banda de Natal/RN. “Sing for the lousy morning”, música que você escuta aqui, é parte de seu 1° EP, cujo link para download gratuito está no MySpace da banda, www.myspace.com/planant
  • Bonaparte é praticamente um coletivo musical com cerca de 20 membros de diferentes países que se alternam nos shows. O som mistura influências circenses, punk, electro e indie. www.bonaparte.cc

Esta edição foi montada no Vegas 7 e a locução foi gravada em um celular Nokia N95. As músicas ao fundo da locução são “Computer in love”, do Bonaparte, e “Antimonotonia”, do Mombojó.

27 de junho de 2010

O Compacto da Petrobras

Simples, conciso e bem feito, assim como o nome já entrega, Compacto é o programa audiovisual digital dedicado à cultura brasileira produzido pela Petrobras e que estreou na semana passada. Contando com uma bela equipe, que inclui Ronaldo Evangelista como curador e Buguinha Dub como responsável pela captação de áudio, o vídeocast terá edições curtas, de 10 minutos, provocando o encontro de personagens de diferentes áreas da cultura, a começar pela música.


Em sua primeira edição os convidados são Cidadão Instigado e Siba, que tocam juntos "Deus é uma viagem", do Cidadão. Mesmo com a conversa rendendo pouco, em parte pela introspecção/timidez de Catatau, mentor do Cidadão, são minutos prazerosos que registram dois importantes artistas da cena contemporânea brasileira (e que planejam novo trabalho juntos).

O material produzido está registrado em Creative Commons e o projeto também possui perfis no Twitter e YouTube, entre outras redes sociais virtuais.

24 de junho de 2010

O que a geração MySpace deveria saber sobre trabalhar de graça

Não é necessariamente pelo que é apresentado no texto "O que a geração MySpace deveria saber sobre trabalhar de graça", de Trebor Scholz, que gosto desse artigo, mas pela reflexão que o mesmo pode estimular (ou estimulou em mim). Parte do e-book  (livro digital) Apropriações do (in)comum: espaço público e privado em tempos de mobilidade, lançado em 2008 pelo festival Arte.mov em parceria com o Instituto Sérgio Motta, o texto provoca questionamentos sobre uma atuação mais consciente nas redes sociais virtuais (assim como na internet de forma mais abrangente) e é facilmente aplicável à presença da música na internet. Afinal, nossas escolhas e ações são partes ativas na definição do mercado musical (assim como na construção de tudo ao nosso redor), mesmo que não detenhamos o poder exclusivo de determinar os resultados.

Escolhas aparentemente simples como focar toda a divulgação de um artista no MySpace, por exemplo, têm muito a dizer sobre o mercado musical atual. Por que escolher exclusivamente o site norte-americano, que sequer permite a opção de download das músicas, e não o brasileiro TramaVirtual (que ainda PAGA a banda pelos downloads realizados de suas músicas) ou a interessante plataforma BandCamp, que além de streaming (audição das músicas) possibilita o download de álbuns completos em diferentes formatos (.mp3 em alta ou baixa qualidade, .ogg, flac, etc) e até mesmo que as músicas sejam vendidas?

É preciso pensar de forma mais abrangente, visando diferentes momentos da cadeia produtiva. Se mais artistas passarem a utilizar o TramaVirtual a tendência é que mais pessoas acessem o site. Em decorrência do aumento no número de acessos, a Trama poderia negociar novos patrocinadores para o site, valores mais altos. Observando o sucesso da iniciativa, outras empresas poderiam adotar o mesmo modelo de remuneração (ou semelhantes, como uma junção do modelo TramaVirtual + Bandcamp). Resultado: mais dinheiro para os artistas, melhor distribuição da produção e da renda, maior formação de público.

Esse é apenas um exemplo, mas o que importa é que enquanto os próprios artistas permanecerem atrelados a estratégias do mainstream não haverá estrutura acessível e funcional para que os independentes possam se estabelecer de forma sustentável.

Abaixo, o texto que estimulou essa publicação. Para download completo do livro digital do qual o artigo faz parte, acesse este link do Instituto Sérgio Motta.

"Se você concorda com a teoria da “performance virtuosa” e “do ato de ser um falante” de Paolo Virno e Maurizio Lazzaroto como o mais novo trabalho imaterial (do Norte), aí sim, a web social é a nova fábrica sem paredes. Eu não assino embaixo da naturalização da exploração do trabalho que é tão querida pelo capitalismo. Onde estão as pessoas que se preocupam se os grandes lucros são feitos da sua criatividade distribuida? A maioria dos participantes não é consciente do seu papel no comportamento do mercado. 

Os sites mais centrais na World Wide Web criam massivos valores excedentes e pequenas iniciativas são freqüentemente compradas pelos Walmarts da internet (NewsCorp, Yahoo, Google) no exato momento que eles atraem numero suficiente de visitações nas paginas. As pessoas passam maior parte do tempo nos sites desses gigantes e não em lojas menores e caseiras (“mom and pop stores”). Cerca de 12% de todo o tempo gasto por americanos na internet é gasto no MySpace. 

Nicholas Carr assinalou que 40% de todo o tráfego na web é concentrado em 10 websites. (www.sina.com.cn, www.baidu.com, www.yahoo.com, www. msn.com, www.google.com, www.youtube.com, www.myspace.com, www. live.com, www.orkut.com, e www.qq.com). 

A maioria destes sites devem a sua popularidade para a riqueza de conteúdo gerada pelos visitantes que passam uma quantidade significativa de tempo sobre estes poucos, muito poucos sites, criando assim riqueza para um punhado de proprietários corporativos. O que atrai as pessoas para dentro? 

Numa recente entrevista à Forbes Video Network, Jay Adelson (CEO do Digg.com) foi questionado “o que vai fazer as pessoas voltarem?” Adelson respondeu: “Comunidade é o que realmente faz com que as pessoas voltem. Estas pessoas são apaixonadas pelo o que o Digg tem feito por elas. A experiência como usuário que obtêm ao ser parte dessa comunidade só está melhorando a cada dia.” Atenção se traduz em valor monetário concreto e a comunidade é o produto. O capitalismo cru offline é replicado na forma online, muito contra as esperanças de uma recente cibernética e o “de volta a terra” interligado, aspirações contra-culturais do final dos anos 60 e inicio dos 70 as quais Fred Turner escreve sobre.

A dinâmica do - sendo utilizado - pode deter muito menos verdades para websites periféricos na concêntrica hierarquia da web participativa. A “ mom and pop store “ online tem uma relação muito mais benevolente dos benefícios dos participantes em contraposição as despesas de funcionamento da empresa. E depois existem também duas ou três iniciativas sem fins lucrativos como o Archive.org e Craig Newmark sustentando a “forte esperança”. Eles não estão, com certeza, dominando a leitura e escrita na web. 

O “trabalho afetivo”, imaterial, das redes publicas produz dados. Contribuintes comentam, codificam, classificam, encaminham, lêem, assinam, conectam, moderam, fazem remixagens, compartilham, colaboram, escolhem favoritos, escrevem, trabalham, jogam, conversam, fofocam, discutem e aprendem, Eles preenchem perfis: 120 milhões de pessoas compartilham informações pessoais com a NewsCorp, por exemplo. 18 milhões de estudantes compartilham tamanhos detalhes em seus Facebooks com o Yahoo. Eles compartilham informações sobre suas musicas e clubs favoritos. Eles não ficam tímidos ao listar os livros que estão lendo e os filmes que estão assistindo. Eles detalham suas orientações sexuais e informações postais com cidade, telefone e e-mail. Eles compartilham fotos, histórico educacional e empregos. Perfis, mesmo quando somente visível aos amigos (e claro, ao Yahoo) que listam suas atividades diárias, interesses gerais e amigos.

Parece evidente que toda esta sociabilidade em rede canalizada representa valor monetário. Depois da bomba pontcom, os titãs do Google não iriam comprar um website de vídeos jovem como o You Tube, pelo valor da Companhia New York Times, se não houvesse um claro valor monetário. 

A ética arriscada relacionada à propriedade e exploração do trabalho do “núcleo da web sociável” se torna aparente se olhamos as políticas de privacidade do Yahoo para o Facebook. “O Facebook também pode coletar informações sobre você de outras fontes, tais como jornais, blogs, serviços de mensagens instantâneas, e outros usuários do serviço Facebook por meio da operação do serviço (por exemplo, tags em fotografias), a fim de lhe fornecer mais informações úteis e uma experiência mais personalizada". 

É um sonho se tornando realidade para qualquer pesquisador de Mercado. Mas isso não é brecado por políticas de privacidade bizarras, o Yahoo também reivindica seus direitos sobre o conteúdo do Facebook: “Ao postar conteúdo de usuário em qualquer parte do site, você automaticamente concede, e você representa e garante que tem o direito de conceder, a Companhia uma irrevogável e perpétua, não exclusiva, transferível, totalmente paga, licença mundial (com o direito de sublicenciar) para usar, copiar, executar publicamente, exibir publicamente, reformatar, traduzir, trechos (no todo ou em parte) e distribuir tal conteúdo... “ 

A imagem da rede publica- sendo usada - é, no entanto, complicada pelo fato de que os participantes inegavelmente ganham muito pela participação. Existe o prazer da criação e o mero gozo social. Participantes ganham amizades e um sentimento de pertencer a um grupo. Eles compartilham suas experiências vivenciadas e arquivam as suas memórias. Eles estão conseguindo empregos, acham companhia e provavelmente contribuem para um bem maior. 

A dimensão e grau de exploração do trabalho imaterial é mais inquietante quando olhamos para o site com maior tráfego. A web sociável torna mais fácil às pessoas usar e essa dinâmica poderá somente ser amplificada através do aumento da conexão de aparatos móveis aos grandes sites de rede social."

Imagem: Uribaani

23 de junho de 2010

CD e vinil juntos

Constantemente escrevo sobre diferentes estratégias desenvolvidas na busca por gerar renda no mercado musical, sendo que várias delas são relacionadas ao meio digital. No que diz respeito à música em suportes físicos, muitas pessoas e empresas parecem não entender que, na atual conjuntura, CDs devem ser tratados como sendo muito mais do que uma mídia (entendendo mídia como qualquer meio para transmissão de informação), mas sim um produto diferenciado que justifique sua compra por motivos além do conteúdo musical (uma vez que as músicas estarão sempre acessíveis na internet, com ou sem autorização de seus autores).

Indo além da discussão inócua sobre vinil vs CD, alguns artistas com espírito empreendedor saem na frente e, mesmo que as vendas não sejam satisfatórias, ao menos conseguem boas ações de marketing.

Toda essa introdução mini-reflexiva se deve ao lançamento de The Occurrence - Sleeper Wakes, do americano Jeff Mills, lançado em um disco híbrido metade CD, metade vinil (vendido por $35 e atualmente esgotado). Basta girar o vinil/CD de acordo com o aparelho reprodutor de música que for utilizado.

Imagino que os custos de produção sejam altos, mas serve de exemplo para que os músicos brasileiros busquem se desvencilhar de formatos e estratégias convencionais e pensem em alternativas interessantes e que se adequem às suas propostas artísticas.

22 de junho de 2010

Programação do Savassi Festival 2010

Dividido por vários palcos em Belo Horizonte, no fim de julho começa mais uma edição do Festival de Jazz da Savassi, região agitada da zona sul da cidade. Este ano serão cerca de 50 shows e apresentações de quase 30 DJs.



De 27 a 31 de julho


Sá e Pimenta 
Aeroporto de Confins
Rodovia MG 0800, KM 7,9
Informações: (31)3689-2700
Shows gratuitos


3a feira
19h00-21h00 | Tocaiangá

4a feira
19h00-21h00 | Dudu Braga

5a feira
19h00-21h00 | Jazz’n’Coffee


Shopping 5a Avenida

Rua Alagoas, 1314, Savassi
Informações: (31)3281-0033
Shows gratuitos

5a feira

18h00-19h50 | Nova Dixie Band 

6a feira

18h00-19:50 | Jimmy Duchowny Band (EUA/BRA) 

Sábado

12h00-13h50 | Big Band do Palácio das Artes


Pátio Savassi

Av. do Contorno, 6061, Savassi
Informações: (31)3263-8500
Shows gratuitos

5a feira
20h00-21h15 | Juarez Maciel e os Jazzidas

6a feira
20h00-21h15 | Jairo de Lara Trio

Sábado
20h00-21h15 | Grupo Ramo


Museu Inimá de Paula
Rua da Bahia, 1201, Centro
Informações: (31)3213-4320
Ingressos: R$20,00 (inteira)/R$10,00 (meia)

5a feira
21h00h-22h15 | Alma Thomas Quartet (EUA/BRA)

6a feira
21h00-22h15 | Frederico Heliodoro Quinteto

Sábado

21h00-22h15 | Jared Gold (EUA) 


Teatro Dom Silvério
Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi
Informações: (31) 2191-5700
Ingressos: R$20,00 (inteira)/R$10,00 (meia) 

5a feira
21h00h-22h15 | Benjamin Taubkin Trio (SP)

6a feira
21h00h-22h15 | Do Mississipi ao São Francisco, com Rodica Blues & Sérgio Pererê (EUA/BRA)

Sábado

21h00h-22h15 | John Ellis Quartet (EUA) 


Café com Letras
Rua Antônio de Albuquerque, 781, Savassi
Reservas e informações: (31) 3225-9973
Couvert: R$12,00

5a feira 
20h00 | Yuri Popoff

6a feira
20h00 | Alberto Continentino e Bernardo Bosisio (RJ)

Sábado

20h00 | Gabriel Grossi Quarteto (RJ)


Chicletes com Guaraná
Rua Alvarenga Peixoto, 388, Lourdes

Reservas e informações: (31)9177-8060 /(31)2512-6252
Couvert: R$ 30,00


5a feira

21h00-23h00 | Cliff Korman (EUA)

6a feira
21h00-23h00 | Mike Moreno Trio (USA)

Sábado
21h00-23h00 | Ull Moeck Trio (Ale)



Outono 81
Rua Outono, 81, Carmo
Reservas e informações: (031)3227-3009

Couvert: a definir

5a feira
21h00-22h15 | Juarez Moreira interpreta baladas dos Beatles


Studio BarRua Guajajaras, 842, Centro
Reservas e informações: (031)9731-3356

Couvert: R$20,00 masculino/R$15,00 feminino


Sábado
DJ Garrell
24h00
-1h15 | Iconili
1h30 - 2h45 | Dibigode




The Art from Mars
Rua Rio de Janeiro, 1930, Lourdes
Reservas e informações: (31) 3337-9116
Couvert: R$30,00

5a feira

19h00-21h00 | DJ Leo Mille
21h00-23h00 | DJ Louis
23h00-01h00 | Bittencourt 

6a feira
Lounge & Deep-House
19h00-21h00 | DJ Leo Mille
21h00-23h00 | DJ Joca-San (RJ)

23h00-01h00 | DJ Menorah

Jazz
21h00-23h00 | Mark Lambert e convidados (EUA/BRA)

Sábado
Lounge & Deep-House 
19h00-21h00 | DJ Leo Mille
21h00-23h00 | DJ Angelo Martorell(GO)

23h00-01h00 | DJ Neto

Jazz 
21h00-22h15 | Frank Herzberg Trio convida John Stein (ALE/EUA/BRA)




Dia 1 de agosto
Rua Antônio de Albuquerque, entre as ruas Sergipe e Paraíba
Rua Alagoas, entre as Av. Getúlio Vargas e Cristovão Colombo


Palco Conexão Vivo 
(rua Antônio de Albuquerque, em frente ao Café com Letras)
13h00-14h00 | DJ Fael 
14h00-15h15 | Galinha Caipira Completa (DF) 
15h15-16h00 | DJ Fael 
16h00-17h15 | Scott Feiner convida Gabriel Grossi (EUA/BRA)
 
17h15-18h00 | DJ B
 
18h00-19h15 | Cynthia Scott (EUA) 
19h15-20h00 | DJ B
 
20h00-21h15 | Lucien Johnson Sextet (NZ/BRA) 


Palco NET 
(rua Antônio de Albuquerque, próximo à praça da Savassi)

13h00-14:00  | DJ Daniel Poeira

14h00-15h15 | Matheus Rodrigues Septeto

15h15-16h00 | DJ Daniel Poeira

16h00-17h15 | Thomas Rotter Quartet (ALE/BRA)

17h15-18h00 | DJs Marcelo Dolabela & Frederico Pessoa: brazilian jazz b
18h00-19h15 | Leonardo Cioglia Quinteto (BRA/EUA) apresenta "Música de Mineiros"
19h15-20h00 | DJs Marcelo Dolabela & Frederico Pessoa: brazilian jazz b

20h00-21h15 | Projeto Coisa Fina (SP)

Palco Instituto Cidades Criativas 
(rua Alagoas com Av. Cristovão Colombo) 

13h00-14h00 | DJ Rub 
14h00-15h15 | Tiago Barros Quarteto

15h15-16h00 | DJ Rub 
16h00-17h15 | Enéias Xavier e Vinicius Dorin Quarteto
 (BH/SP)
17h15-18h00 | DJ Angelo Martorell(GO)

18h00-19h15 | Chico Amaral convida Manuel Rocheman (BRA/FR)

19h15-20h00 | DJ Angelo Martorell(GO)
20h00-21h15 | Paraphernália convida João Donato (RJ)


Palco Petrobras Jazzy 
(rua Alagoas, em frente ao 5a Avenida)

13h00-14h30 | DJs Rud & DJazz (a.k.a. Maria Alice Martins)

14h30-15h30 | DJ Nest
15h30-16h30 | Alexei Michailowsky

16h30-17h30 | Yubaba
17h30-18h45 | Donatinho
 (RJ)
18h45-20h00 | Trotter (SP)
20h00-21h15 | DJ Robinho Set Especial Deep Jazzed

Palco Instituto Unimed-BH 
(rua Antônio de Albuquerque, próximo à rua Paraíba)

13h00-14h00 | DJ Yuga

14h00-15h15 | Thiago Delegado

15h15-16h00 | DJ Yuga

16h00-17h15 | John Stein & Frank Herzberg Trio (EUA/ALE/BRA)
17h15-18h00 | DJ Marcita Mujer
18h00-19h15 | Dave Stryker Organ Trio (EUA)

19h15-20h00 | DJ Marcita Mujer

20h00-21h15 | Big Band do Palácio das Artes


Palco Mineiriana
(rua Paraíba, no deck da Livraria Mineiriana)

15h00-16h15 | Mauro Continentino

17h00-18h15 | Túlio Araújo e o projeto Dobradura

19h00-20h15 | Joana Queiroz e Associação Livre (RJ/BH)

Festa de Encerramento

Velvet Club

Rua Sergipe, 1493, Savassi
Informações: (031)3786-0456
Ingressos: R$15,00


22h00-00h00 | DJ Deivid

00h00-02h00 | DJ Soneca a.k.a Trotter
 (SP)
02h00-04h00 | DJ Gui Henriques



Workshops
5a feira – 29/07

Artista: Marcello Pellitteri (EUA/Bateria)
Tema: Uma abordagem rítmica da improvisação
Local: Pro Music
Horário: 20h
Ingresso: R$15,00
Endereço: Av. Nossa Senhora do Carmo, 550 - São Pedro
Informações: (31) 3221-3400

Artista: Lucas Miranda
Tema: Produção Musical Eletrônica - Ableton Live Suites
Local: A definir
Horário: A definir
Ingresso: gratuito
Endereço: A definir
Informações: A definir

6a feira – 30/07


Artistas: John Stein (EUA),  Mike Moreno (EUA) e Mark Lambert (EUA)
Tema: 
A Guitarra no Jazz

Local: Teatro Dom Silvério

Horário: 14h30
Ingresso: R$15,00
Endereço: Av. Nossa Senhora do Carmo, 230 - Savassi
Informações: (31) 2191-5700


Artista: Vitor Serra
Tema: Produção Musical - Finalização para Cinema e Web
Local: A definir
Horário: A definir
Ingresso: gratuito
Endereço: A definir
Informações: A definir


Sábado – 31/07

Artista: Erik Mark (SP)
Tema: Ensaio MEB - A História da Música Eletrônica Brasileira
Local: A definir
Horário: A definir
Ingresso: gratuito
Endereço: A definir
Informações: A definir


2a feira – 02/08

Artista: Projeto Coisa Fina (SP)
Tema: 
A música de Moacir Santos
Local: Escola Estadual Barão do Rio Branco

Horários: Manhã e tarde
Ingresso: gratuito
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 1059, Savassi
Exclusivo para os alunos da escola

Artista: Cynthia Scott (EUA/Voz)

Tema: Cantando Jazz
Local: Pro Music
Horário: 18h
Ingresso: R$15,00
Endereço: Av. Nossa Senhora do Carmo, 550 - São Pedro
Informações: (31) 3221-3400

Artista: Thomas Rotter (ALE/contrabaixo) e Ull Moeck  (ALE/piano)

Tema: Fundamentos do Improviso no Jazz
Local: Pro Music
Horário: 20h
Ingresso: R$15,00
Endereço: Av. Nossa Senhora do Carmo, 550 - São Pedro
Informações: (31) 3221-3400

Artistas: Dudu Braga (Betim/Cavaquinho) & Márcio Marinho (DF/Cavaquinho)
Tema: 
O Cavaquinho e o Jazz
Local: Guitar Shop
Horário: 20h
Ingresso: R$15,00
Endereço: Rua Pernambuco, 1108, Savassi
Informações: (31) 3261-4595
Horário: 19h