Instagram

29 de maio de 2010

Minha fama de mau

"Em Natal, vc pode passear pelas dunas das praias de bugre. Qd vc sobe, o bugreiro diz: "com ou sem emoção?". Com emoção é só p corajosos... ()

"Aí ontem, umas 23h, o grande Marcelo do blog Meio desligado (q fez a festa de BH), levou eu e Xandi p conhecer a cidade histórica Sabará." ()

"COM EMOÇÃO, MUITA EMOÇÃO!" ()


Relatos da Ana Morena, baixista da Camarones Orquestra Guitarrística, atração da última festa do Meio Desligado, no dia 23 de maio, domingo. Sobre o show, ela também escreveu:
"Agora vamos falar de BH. Olha, me senti tão bem em Belo Horizonte, que pela primeira vez eu me vi morando numa cidade que não Natal." ()
"Difícil descrever o sentimento... AMEI a cidade, e o show, bem o show foi PERFEITO, som perfeito, público maravilhoso, foi massa demais." ()

Ps.: Erasmo Carlos é um bundão.

28 de maio de 2010

Essa é pra quem acha que nunca é tarde pra recomeçar


Entenda como puder (ou quiser).

Manda-chuva

A partir de agora respondo somente pelo nome de "Manda-chuva". Se quiserem falar comigo, por favor comecem todas as suas frases dessa forma.

Atenciosamente,
Manda-chuva.

22 de maio de 2010

Camarones Orquestra Guitarrística e Fusile na festa Meio Desligado, nesse domingo


CAMARONES ORQUESTRA GUITARRÍSTICA
Vindo de uma elogiada apresentação na Virada Cultural de SP e em uma estensa turnê nacional com mais de 50 shows em 2010 (incluindo festivais como Calango, Abril Pro Rock, RecBeat e Bananada), o quinteto instrumental Camarones Orquestra Guitarrística acaba de lançar seu primeiro CD, disponível para download gratuito no MySpace da banda.
Formada no final de 2007, a banda faz música instrumental divertida e dançante, misturando rock, ska, punk, reggae, temas de desenhos animados e filmes, enfim, tudo o que contribuir para produzir uma sonoridade interessante e um show empolgante. A formação conta com músicos renomados da cena potiguar como Ana Morena (baixo), Anderson Foca (Teclado e efeitos) e Xandi Rocha (Bateria), todos produtores e agitadores culturais que já foram de outras bandas bem conhecidas do circuito independente. Nas guitarras dois músicos da novíssima e promissora geração da cena musical potiguar: Karina Monteiro e Leo Martinez.


Com uma mistura enérgica que caminha entre o rock alternativo, ska, punk e ritmos latinos, aliado a uma postura política ativista, resultando em um som difícil de se classificar, o Fusile é considerado um dos principais grupos da nova cena independente de Minas Gerais e tem chamado atenção de público e crítica especializada.
Antes mesmo de lançar seu primeiro CD, o Fusile entrou na programação da Oi FM com a música "Blue Blood" e tocou em importantes festivais da cena independente, como o Garimpo e Flaming Nights, em Belo Horizonte, e o aniversário da Casa da Matriz, no Rio de janeiro. Neste período, fez shows com bandas como Black Drawing Chalks, Do Amor, Copacabana Club e, recentemente, foi escolhida pela banda Móveis Coloniais de Acaju para seu projeto "Móveis convida".
Criado em 2007, o quinteto formado por Shairon Lacerda (vocal, guitarra), Sérgio Scliar (baixo), Henrique Staino (sax), Ygor Rajão (trompete, programações) e Rafael Cocão (bateria), prepara-se para lançar o primeiro EP, intitulado "The Coconut Revolution" (que será lançado ainda neste semestre) e se programa para rodar o país na turnê de divulgação, já recebendo convites para apresentações em importantes casas da cena alternativa e festivais.

Festa Meio Desligado
23 de maio, domingo
17h
R$ 12
Shows: Camarones Orquestra Guitarrística (Natal/RN) e Fusile (BH/MG)
DJ: Meio Desligado
Local: Bordello (Rua Aarão Reis, debaixo do viaduto Santa Teresa, centro de Belo Horizonte)
Contato: 8491.3479

20 de maio de 2010

Mistureba # 9: Manifesta, Flaming Festival, Comitê Club...


Violins (GO), Monno (MG), Enne (MG) e Monograma (MG) na Manifesta, nova festa do coletivo Pegada, que estreia neste sábado (22 de maio) na Casa do Estudante (Avenida Getúlio Vargas n85, Savassi, BH). Eu, Cladão (AObra) e Luiz PF (Vinylland) somos os DJs da noite.

- - - - -

25 e 26.06 - Otto
24.06 - Mark Lanegan (!!!)
12.06 - Los Sebosos Postizos
10.06 - Popload Gig com Girls, Men e Bonde do Rolê Soundsystem
Essas são algumas das atrações do novíssimo espaço para shows alternativos em São Paulo, na Rua Augusta: Comitê Club. Ao lado do Studio SP (dividindo, além das paredes, os mesmos donos), o Comitê é, segundo os proprietários "uma nova casa de shows para 1.000 pessoas. Para shows que ficam entre o @studiosp e o @citybankhall".

- - - - -

Após várias edições da festa Flaming Night, a 53HC realiza no último final de semana de maio a primeira edição do Flaming Festival, ocupando diferentes espaços do bairro Santa Teresa, em Belo Horizonte. Entre os destaques da programação estão Mombojó, Canastra, Fusile e Copacabana Club.

- - - - -

Sexta-feira concorrida em BH. Na mesma noite acontece:
- Transmissor e Los Porongas no Studio Bar;
- Festival Casa de Marimbondo (com 4instrumental, Capim Seco, Julgamento e Mestre Jonas), no Lapa Multishow;
- Reabertura da Velvet com novo visual (feito pelo Azucrina) e iluminação (pelo Superfície)

- - - - - 

E domingo, claro, é hora de festa Meio Desligado com Camarones Orquestra Guitarrística e Fusile, no Bordello, também em BH.

19 de maio de 2010

Festival Bananada 2010

Começa hoje a 12 edição do Bananada, festival musical realizado anualmente em Goiânia/GO. O diferencial do Bananada em relação ao outro festival realizado pela Monstro Discos (o Goiânia Noise) é o foco nas bandas locais e, no caso dos artistas de outros Estados, a preferência por aqueles que nunca fizeram shows em Goiânia.

QUARTA FEIRA 19 / MAIO - BOLSHOI PUB
01:00h Rinoceronte (Santa Maria – RS)
00:15h Mersaut e Máquinha de Escrever (Goiânia – GO)
23:30h Brown-Há (Brasília – DF)

QUINTA FEIRA 20 / MAIO - METROPOLIS
01:00h Plastique Noir (Fortaleza – CE)
00:15h Dawnfine (Goiânia – GO)
23:30h Trivoltz (Goiânia – GO)

QUINTA FEIRA 20 / MAIO - CAPIM PUB
21:30h Desastre (Goiânia – GO)
20:45h Fígado Killer (Goiânia – GO)
20:00h WxCxM (Goiânia – GO)
19:15h Chacina (Goiânia – GO)

SEXTA FEIRA 21 / MAIO – MARTIM CERERÊ
01:00h Violins (Goiânia – GO)
00:30h Gloom (Goiânia – GO)
00:00h Comunidade Ninjtsu (Porto Alegre – RJ)
23:30h Burro Morto (João Pessoa – PB)
23:00h Johnny Suxxx And The Fuckin’ Boys (Goiânia – GO)
22:30h Nevilton (Umuarama – PR)
22:00h Camarones Orquestra Guitarrística (Natal – RN)
21:30h Vida Seca (Goiânia – GO)
21:00h Nublado (João Pessoa – PB
20:30h Procura-se Quem Fez Isso? (Porto Alegre – RS)
20:00h Comma (São Paulo – SP)
19:30h Death From Above (Goiânia – GO)
19:00h Demosonic (Goiânia – GO)
18:40h Ultra Vespa (Goiânia – GO)
18:20h Coerência (Goiânia – GO)

SÁBADO 22 / MAIO – MARTIM CERERÊ
01:00h Black Drawing Chalks (Goiânia – GO)
00:30h La Hell Gang (Santiago – Chile)
00:00h Mechanics (Goiânia – GO)
23:30h Plástico Lunar (Aracaju – SE)
23:00h Caldo de Piaba (Rio Branco – AC)
22:30h Vícios da Era (Goiânia – GO)
22:00h Some Community (São Paulo – SP)
21:30h Motherfish (Goiânia – GO)
21:00h Vendo 147 (Salvador – BA)
20:30h Fadarobocoptubarão (Belo Horizonte – MG)
20:00h Bruto (Brasília – DF)
19:30h Necropsy Room (Goiânia – GO)
19:00h Moka (Goiânia – GO) 
18:40h Space Monkeys (Goiânia – GO)
18:20h ¡Oye! (Goiânia – GO) 


DOMINGO 23 / MAIO - AMBIENTE SKATE SHOP
18:30h Twinpines (São Paulo – SP)
17:30h Bang Bang Babies (Goiânia – GO)
16:30h Hellbenders (Goiânia – GO)
15:30h Waldi e Redson (Goiânia – GO)
13:30h Dedo Sem Osso (Goiânia – GO)

15 de maio de 2010

Música alternativa mundial: Music Alliance Pact de maio

Quem acompanha o Meio Desligado regularmente já sabe que todo dia 15 é dia de novidades alternativas mundiais, mas como tenho certeza que nem todos conhecem o projeto, explico: a Music Alliance Pact é uma rede formada por cerca de 40 blogs de diferentes países, cada um deles focado (em diferentes níveis) na música produzida em seu país de origem. Todos os meses cada um dos membros escolhe uma música de um artista de seu país e a junção de todas as escolhidas é publicada em todos os blogs da rede no dia 15 de cada mês. Dessa forma, os artistas alternativos abrangidos pela MAP alcançam um público estimado em cerca de 250 mil pessoas em um único dia, resultado da soma da média de acesso diário dos blogs que fazem parte do projeto.

O Meio Desligado é o representante brasileiro e neste mês de maio o artista selecionado foi o belorizontino Renegado. Há quase três anos faço a produção do Renegado e nesse período, embora ele tenha vencido diversos prêmios, se apresentado e festivais e programas importantes e iniciado uma carreira internacional, poucas vezes escrevi sobre ele por considerar a relação produtor/crítico deveras tênue (e, por que não, quase anti-ética). Agora, momento em que abandono a produção dele e da também talentosa Aline Calixto, a proximidade já não é um problema.

Além disso, a presença de Renegado na coletânea se justifica não apenas pelo interessante trabalho de renovação do hip hop brasileiro que executa em seu trabalho, mas também pelo fato dele ser o maior artista independente de Minas Gerais na nova geração. Poucos são os artistas que, como ele, conseguem sintetizar a lógica deste projeto que é a Music Alliance Pact, propondo misturas, novidades e abandono de preconceitos.

Quem deixar o preconceito de lado e se aventurar pelas músicas presentes na MAP desse mês vai encontrar artistas bastante diferentes e que estimulam a busca por novidades além do mercado musical convencional. Ou, talvez, confirmar a vocação de alguns países em exportar novas bandas interessantes, como é o caso dos EUA com a divertida Sleigh Bells, principal hype indie das últimas semanas.

Este mês também temos duas curiosidades, uma boa e outra ruim. A boa (e engraçada) é que a banda escolhida para representar a suíça neste mês, a Bonaparte, também já foi a representante alemã meses atrás. Isso acontece porque a banda é formada por pessoas de vários países, incluindo, claro, o Brasil. Já a curiosidade ruim é que o blog Pop Cop, criador do Music Alliance Pact, foi tirado do ar pelo Google por supostamente violar os direitos autorais. O Pop Cop é basicamente uma versão escocesa do Meio Desligado, abordando a cena independente daquele país. A história envolvendo o Google, artistas independentes, direitos autorais e tretas digitais está aqui. Torço para que em breve a situação se resolva e o blog volte ao ar.

ALEMANHA: Blogpartei
L'egojazz - Ovatime
Jazz and sampling are the foundations L'egojazz is built on. These guys from the Bavarian Chiemgau draw their inspiration from many different genres such as electro, indie and drum and bass, and merge them to form an eclectic, improvisational sound. Ovatime is a piece of impulsive music with a funky touch that goes directly into your dancing shoes. The song is a Music Alliance Pact exclusive which shows their electronic side best.

ÁFRICA DO SUL: Musical Mover & Shaker!  
Megan C is a triple threat - a model, classically-trained vocalist and gifted actress. She teamed up with producer extraordinaire Ameen Harron for the song I Got It. It is a blend of slick, uptempo beats combined with MIA-esque rap, hip hop flavour and just a touch of electro to make a surefire dancefloor hit. Megan C is a force to reckoned with, keep an eye out for more from her.

ARGENTINA: Zonaindie 
This is the musical project of singer-songwriter-producer Diego Acosta. We've been following his evolution since the very beginning of our blog, so we're very fond of the folk-rock vibe, languid guitars and moaning vocals of Verdeoscuro's songs. This is his newest release after the departure of long-time partner Victoria Boano and it was released by a new netlabel called Fuego Amigo Discos.

Sydney's Cloud Control made a mark in blogging circles with their previous single, the unforgettable Gold Canary. This time I would like to highlight the track There's Nothing In The Water We Can't Fight, taken from their debut album Bliss Release. From a collection of indie gems, this track is the outstanding crown jewel that caught my attention with its amazing melodies, counter-melodies and lyrics. Bliss Release is truly an album for the 2010 indie-rock fan and I'm glad I got to hear this one early. 


BRASIL: Meio Desligado 
Direto do Alto Vera Cruz, favela de Belo Horizonte, Renegado vem se estabelecendo como um dos principais artistas do hip hop brasileiro e cada vez mais seguindo além do estilo. Com um conciso discurso social (fruto dos anos de trabalho à frente de uma Ong em sua comunidade), suas letras abordam as durezas da vida na pobreza com os prazeres de se aproveitar a vida. "Meu canto" é um ótimo exemplo disso, misturando samba e hip hop de forma muito mais estimulante do que a realizada por outros rappers alardeados por aí...

CANADÁ: I(Heart)Music 
Hannah Georgas' full-length debut, This Is Good, is chock-full of exceptionally good, radio-ready pop-rock. Few of the songs on it are as fun as the slyly naughty Bang Bang You're Dead, complete with its children's choir and chorus of "You're talking shhhh... 'bout me / I'm talking shhhh... 'bout you". If (or, more likely, when) Georgas breaks through in a big way, it'll be songs like this one that will help her do it.

CINGAPURA: I'm Waking Up To...  
Great Empty are an experimental, instrumental band. One of the most beautiful aspects of their music is the raw simplicity that lies at the heart of all their tunes. There is no need for grand opuses, or pitch-perfect production quality. I think flaw is their gift to the realm of music, to ache and bleed out the last vestiges of honest emotion beyond the limits of control. It is heartfelt music, something that's worth remembering and listening to.

CHILE: Super 45 
The long-awaited third record by Gepe will be released this month and is preceded by a suprising first single. Por La Ventana ("Through The Window") must be his poppiest song yet, but it comes from his personal understanding of what pop music is: the mixture of contradictory traditions converging to produce an easy-to-grasp sound. It may be a little upsetting for his hardcore fans but this isn’t the first time Gepe has bent his own rules, and it certainly won't be the last. 

CHINA: Wooozy 
X Is Y is a digital rock band from Shanghai with three French guys - G, Fabien and LON. Their first album was recorded in 2009 and you can download it by clicking here.

COLÔMBIA: Colombia Urbana  
Transporte are not afraid to experiment. Formed by Diana Navarro (vocals) and Juan Felipe Bastidas (drums, guitars, sequences), the duo mix live sounds with digital synths to create their electronic pop. 

CORÉIA DO SUL: Indieful ROK  
Vidulgi OoyoO (literally "Pigeon Milk") is one of Korea's finest shoegaze bands. They recently put out a split album with Chicago's bliss.city.east and it is scheduled for release in Europe and the US later this month. They wanted to apply their own textures to electronica, post-rock, psychedelic blues and more, and the result sounds better than ever. Goodnight Shining is an outstanding instrumental piece that'll make you want to stay in Vidulgi OoyoO's world of droning goodness for as long as possible.

DINAMARCA: All Scandinavian 
At the start of the year, Frank Ziyanak (The Wong Boys, Death To Frank Ziyanak and much more) launched a new website making a solid portion of his impressive musical output - remixes, full albums, demos and rarities - available for download on a "pay your respect" basis. Among the rarities is this remake of The Wong Boys' club-banging smash-hit Git Ur Fuk On, aimed at the Asian market as Git Ur Wong On.

INGLATERRA: The Daily Growl
Archie Bronson Outfit - Shark's Tooth
One of my favourite albums of the year so far is Archie Bronson Outfit's Coconut. It's a beast of an album, full of dirty, greasy, noisy rock thrills. And by that I don't mean lo-fi - with DFA man Tim Goldsworthy in the chair, it's pretty high-spec stuff with amped-up guitars, propulsive rhythms and carefully controlled noise explosions. If it sounds rough, it's meant to be that way. It's less about the tunes (though they are there), more the dark energy seething underneath the wall of sound. This is an album that you know wants to rock you, but you're always afraid that it's going to sneak up on your gyrating body and kick your head in. Exciting.

ESCÓCIA: The Pop Cop  
Sorren Maclean is a 20-year-old singer-songwriter who I recently came across while doing research for a feature on musicians from Scottish islands. Although Sorren lives in Glasgow, he grew up in Mull and still maintains strong ties with the island. His debut album won't be out until later in the year but we've got an exclusive sneak preview from it. You Shook is typical of Sorren's sound, driven by melody and harmonies and very easy on the ear.
ESPANHA: Oscuro Magazine  
Barcelona indie band Barbo created Matagigantes, an alternative rock album full of three-minute pop songs. Exilio En Yokohama speaks of the search for a personal retreat when you see everything around sink. Musically, they try to recover the fighting spirit of early U2, especially with the drum beat and guitar delays.

ESTADOS UNIDOS: I Guess I'm Floating  
All it took was a killer P-Funk sample to make Sleigh Bells the hottest new band of 2010. Their debut album, Treats, is hitting shelves in early June on M.I.A.'s N.E.E.T. label and Tell 'Em is the first official track we've tasted. It's like crack-sprinkled Andes thin mints. Absolutely delicious, intimidatingly addictive.

ESTÔNIA: Popop Picnic - Too Fast Picnic was formed in 2006 and features Rivo Jarvsoo (guitars, electronics), Andres Soosaar (guitars, other instruments) and Marju Taukar (vocals, keyboard, accordion). Flowing guitars mingle with electronic beats and treats, and the influence of '90s British shoegaze is not difficult to notice – Cocteau Twins, Slowdive, My Bloody Valentine, Chapterhouse are all there. The band released their debut album Winter Honey on local label Seksound in February. 

FINLÂNDIA: Glue Captain Cougar - Engagement Song For their second album, Captain Cougar came up with a history-related concept album telling the story of two people growing up on the heels of the Finnish independence and civil war in the early 20th century and emigrating for the never-to-be-found hope and glory of the American land. The cinematic music enhances the melancholy of the story with dense atmospherics and layers of instruments underneath the beautiful voice of Eva Louhivuouri, who acts as the narrator thanks to a collection of soft pop melodies. Early in the story, Engagement Song gives a break to the hard-working people in the rural community.

GRÉCIA: Mouxlaloulouda  
Sleepin Pillow - Silicone
Sleepin Pillow's philosophy is based on bringing together experimental, psychedelic rock along with Greek and Eastern traditional music. They create eerie yet familiar soundscapes while achieving a distinctive sound of their own to form an enveloping whole, with each overlapping texture or shifting tempo plunging the listener further into the darkness. Their album Superman's Blues is rewarding, thoughtful and challenging. It is an ambitious work of power, emotional depth and feeling, with vocals submerged under a claustrophobic blanket of guitars battling with drums.

ISLÂNDIA: I Love Icelandic Music
Who Knew - Sharpen The Knife
Who Knew is a six-piece indie power-pop band that produces catchy melodies and groovy beats. The band was formed by lead singer Armann Ingvi Armannson and backing vocalist and guitar player Baldur Helgi Snorrason in 2006. Sharpen The Knife is taken from debut album Bits And Pieces Of A Major Spectacle, which will be released in Europe on the German 101berlin label on May 21.

INDONÉSIA: Deathrockstar  
White Shoes & The Couples Company - Kampus Kemarau
White Shoes & The Couples Company's music make Indonesians feel proud. Heavily influenced by old Indonesian movies and '60s ballads, they spread the warm feeling of their vibrant, vintage pop tunes all around the world, even if most of the lyrics are in Bahasa Indonesia.

IRLANDA: Nialler9
Kill Krinkle Club - Airport
Justin Cummins and Elena Bergman are an Irish-Swedish duo who released a promising EP back in 2008. They've recently been recording material for their debut album in September (each track will be accompanied by a video) and Airport is one of the first missives available from it, showcasing Kill Krinkle Club's unique electronic/synth-pop sound.

ISRAEL: Metal Israel  
Desert - Letter Of Marque
The evocative mastery of classic dark power metal act Desert exports a majestically melodic, edgy onslaught laced with influences from Judas Priest to Deep Purple. They've shared the stage with Sabaton and Draconian and show formidable talent and promise. 

ITÁLIA: Polaroid  
Vermillion Sands - Miss My Gun
A single out on Fat Possum, an EP on Sacred Bones and now the debut album on Alien Snatch Records - Vermillion Sands may be from Italy but they really talk the international language of rock 'n' roll. Their songs are raw and catchy as hell. You could say they play garage pop with a folk vibe, but you just have to let yourself go and wildly dance. Anna Barattin's twangy voice will hypnotize you.

JAPÃO: JPOP Lover  
Tim & Puma Mimi is indie electro-pop group that consists of Tim (aka Christian Fischer) from Switzerland and Mimi (aka Michiko Hanawa) from Tokyo. They met in the Netherlands at a party in 2003. They are far away from each other but are connected via the internet, using Skype to record their tracks to deliver sweet and frisky tunes. 

MÉXICO: Red Bull PanameriKa  
Carla Morrison - Buena Malicia
Carla Morrison is a beautiful voice in Mexico's new music scene. Emerging from Baja California in 2009, Carla has touched audiences with just a piano, a guitar and her voice, which seems to melt down every soul that dares to listen to it live. Sweet and haunting, her sound is engaging but, more than anything, it's moving. Buena Malicia is taken from her first EP titled Aprendiendo a Aprender. Carla is recording a follow-up with fellow singer (and fan) Natalia Lafourcade, which will go by the name Mientras Tu Dormias. 

HOLANDA: Amsterdam Event Guide  
Zea - Song For Electricity
Zea's music draws influence from all over the world, and this entry especially is a mish-mash number inspired by an Ethiopian track taken from a recent tour through the country. Tribal beats with fast-paced indie-pop guitars merge with high-pitched electronics to create a messy, "wonderfully bonkers" pop number. File Zea in your collection with other eclectic, world-pop big-wigs MIA, Vampire Weekend and Animal Collective.

NOVA ZELÂNDIA: Counting The Beat  
Take teenage angst and energy, pounding drums, speedy riffs, frenetic lead guitar, a hyper vocalist who spits her lyrics rather than sings, songs that duck and dive rather than take a linear path from go to whoa, turn up the treble and approach the whole thing with the aim of having fun. That's Bandicoot. Silence Is Golden is from their second EP Jurassic Warfare and it ticks all those boxes. Jurassic Warfare, along with free 2009 EP Happy Talking are available from Muzai Records

PERU: SoTB  
Mi Perro Poodle Tiene Pulgas Negras exudes creativity both in its hypnotizing, pleasant melody and its lyrics. The minimalism mixes with nostalgia to tell a strange story - the pains and habits of a dog called Poodle. The lyrics seem to make no sense, but in fact the use of metaphors explain and criticize the current society and some dark extracts of Peruvian life.

Rodrigo Gomes and Filipe Campos are Soulbizness, a duo deeply influenced by funk, soul and electronic dance music. They won the first music contest in which they participated, in 2007. In 2008, they released their first EP, Collectables, and soon had a single on a major TV series. 2nd Shake is their second EP, released this last April, and Victimless Crime is one of its four tracks. 

ROMÊNIA: Babylon Noise 
"From now on, no one is safe, nothing is for sure," announced Discoballs - a 100% live electronic group from Bucharest - at the beginning of 2008. They were very well received by the public because such a project was missing from the music scene and because they are really good at what they're doing - playing constantly with sound and managing to make incredible music every time they're on stage. Here's one of the few tracks they've recorded. 

SUÉCIA: Swedesplease  
Big Fox (aka Charlotta Perers) accomplishes her sound mostly by herself playing all the instruments, and doing the production/arranging of the songs. You would think that Saturday would be an uptempo pop song about partying, but instead is a slightly melancholy (yet positive) song about being home alone on a Saturday night. Charlotta admits to being influenced by Feist, Regina Spektor, Frida Hyvonen, Jenny Wilson and Ane Brun but her sound stands out on its own at the same time.

SUÍÇA: 78s
Bonaparte is a multicultural music project based in Berlin. However, the band leader, Tobias Jundt aka Signorino TJ, is a Swiss musician and producer who has gathered members from Germany, France, USA, New Zealand, Mexico, Panama, Austria and Brazil. Together they're putting on an unforgettable show. At the beginning of their energetic and witty live shows everyone is dressed like circus animals. At the end, almost everyone is naked. Bonaparte's music is contagious as hell and will get you in the end. Their second long-player, My Horse Likes You, comes out on June 4.

VENEZUELA: Barquisimento  
Famasloop is a young band with a new approach to music, combining fresh, innovative rhythms with a marketing campaign full of multimedia elements that match their energy. They go from pop to rock and indie, and claim to make music not from genres but from the heart. Vaca Lechera is taken from Casa 4, a release that includes 10 new songs, 12 remixes and four videos.

Aproveite e faça o download gratuito da coletânea completa.

13 de maio de 2010

Revistas Rolling Stone, Piauí, Cult, Brasileiros e outras de graça na internet e em Creative Commons?

Você sabia que as revistas Rolling Stone, Piauí, Cult, Brasileiros, Raça Brasil, Viração, Carta na Escola, Fórum Outro Mundo em Debate e Jornal Rascunho estão disponíveis integralmente, de forma gratuita na internet, e que suas assinaturas anuais custam no máximo R$ 75? E que todo o conteúdo delas está liberado em Creative Commons ou licenças livres semelhantes? Provavelmente você não tem conhecimento de tudo isso simplesmente porque essa não é a realidade, apesar de ser esse o acordo estabelecido entre o Governo Federal e essas publicações. Elas são as nove publicações contempladas pelo Edital de Periódicos de Conteúdo Mais Cultura que estabelece todos os procedimentos acima.

Em um primeiro momento o resultado do edital causou polêmica, principalmente no meio literário, ao selecionar revistas comerciais, ligadas a grandes empresas e patrocinadores. O que acontece é que boa parte dos críticos do edital são responsáveis por publicações menores que não foram selecionadas ou simplesmente não leram o edital. A proposta do Ministério da Cultura, na realidade, é exemplar e, de certa forma, experimental. Experimentalismo, este, necessário não somente na produção cultural objeto do edital como também das políticas públicas.

Ao fornecer apoio financeiro na casa das centenas de milhares de reais a essas publicações o Minc busca expandir o alcance dessas publicações pelo país e, com isso, ampliar o número de leitores, disseminar informação cultural, tornar mais próximo e acessível da população material cultural que posibilite o desenvolvimento intelectual. Para isso, cada publicação aprovada no edital deve disponibilizar 7 mil assinaturas e enviar para os endereços de bibliotecas, centros culturais e pontos de cultura estabelecidos pelo Governo, além de:
- uma concessão de desconto mínimo de 30% sobre o preço comprovadamente cobrado em assinaturas individuais praticado no mês anterior à publicação deste Edital, não podendo ultrapassar o valor de R$ 75,00 (setenta e cinco reais) por assinatura com no mínimo, doze edições
- manter uma versão na internet de todo o conteúdo publicado nas edições impressas atualizado simultaneamente à circulação do material, sob licenças Creative Commons ou outras licenças livres

Excelente, não? Afinal, qual a porcentagem da população brasileira que tem condições de comprar mensalmente a Piauí (R$ 12), Rolling Stone (R$ 9,90) e Cult (R$ 9,90), só para ficar em três das aprovadas?

De acordo com o edital, cujo resultado foi publicado no Diário Oficial da União no dia 19 de fevereiro de 2010, hoje eu deveria poder entrar nos sites de qualquer uma dessas publicações e acessar todo o conteúdo das revistas. Inclusive, poderia republicar parte do material encontrado no site, aqui no meu blog, já que ele não tem fins lucrativos, contanto que indicasse a fonte, ou seja, a revista e o autor do texto.

Ok!

Vamos aos próximos passos:
2. Vejo na parte inferior direita a chamada para a edição do mês, com Black Eyed Peas (sic) na capa e penso "Ugh, vou dar uma lida no que saiu esse mês e ver se é tudo tão bom quanto a capa"
3. Coço o saco, porque ele foi depilado na semana passada e quando os pêlos começam a crescer dá uma super coceira, é um saco
4. Clico em "Edição 44" (que á a última disponível)
5. Vejo a chamada para a matéria sobre meus ídolos Edson e Hudson e a empreitada rocker do segundo e clico na mesma:
"E até natural que, após o fim da dupla com seu irmão Edson, o sertanejo Hudson partisse para uma carreira solo. Mas o caminho escolhido não foi o mais óbvio: depois de gravar um disco instrumental cheio de guitarras (Turbination, de 2007), Hudson resolveu levar a brincadeira a sério e entrar de cabeça no mundo do rock. Ele foi para Los Angeles, onde passou cerca de 20 dias gravando o primeiro trabalho oficial de sua carreira roqueira com o nome Hudson Cadorini e Banda Rollmax. As gravações do primeiro CD contaram com as participações do baterista Matt Sorum (Velvet Revolver, ex-Guns N' Roses) e do baixista Mike Inez (Alice in Chains). "Eles são amigos do produtor", diz Hudson. "O Slash ia tocar, mas não conseguiu espaço na agenda.  
Você lê esta matéria na íntegra na edição 44, maio/2010"

Será que li errado o edital? Volto ao pdf do Minc, item 13, "das obrigações e contrapartidas dos selecionados":
"13.1- Constituem obrigações automaticamente contraídas pelos proponentes selecionados, incluindo o ônus para o cumprimento das mesmas: 
I – produzir editorial e graficamente o número de 12 edições de acordo com a periodicidade da publicação apresentada; 
II – proceder o envio dos exemplares para os endereços individuais apresentados pela DLLL/ SAI/ MinC; 
III – manter produção de conteúdo dedicado à cultura e à produção cultural nos padrões apresentados no portfólio; 
IV – manter uma versão na internet de todo o conteúdo publicado nas edições impressas atualizado simultaneamente à circulação do material, sob licenças Creative Commons ou outras licenças livres".

Peraí, não é essa a revista que recebeu R$ 524.160,00 assumindo, justamente, cumprir as exigências do edital? E por que a assinatura custa R$ 106,92 e vem de brinde uma bolsa horrorosa?

(Uma dor de cabeça me ataca e tento pensar em outras coisas)

Visito o site do jornal Rascunho (contemplado com R$ 420.000,00):
- Preço da assinatura anunal: R$ 60 (exatamente como informaram ao Minc)
- Todo o conteúdo livre para acesso, apesar de que, ao clicar, pedirem usuário e senha, basta clicar em cancelar. Erro ou má fé? Meu lado Poliana me faz crer que se trata apenas de um período de adaptação, liberaram o conteúdo mas permaneceram algumas falhas no sistema.

Há esperança no mundo. E, para mantê-la, deveria parar por aqui.

Continuo.

No site da revista Cult, analisei o conteúdo disponível no com a revista em mãos, simultaneamente. A maior parte do conteúdo da última edição realmente está disponível no site, mas grande parte do dossiê de capa, por exemplo, não está lá. E a assinatura? 12 edições por R$ 103. No resultado do edital, através do qual a revista recebeu R$ 504.000,00, o valor da assinatura anual está em R$ 72.

Cansado e um pouco menos esperançoso, acesso os sites das revistas Piauí e Brasileiros. Ambas publicam o material de suas versões impressas no site (apesar de eu não poder verificar, como no caso da Cult, se essa publicação ocorre efetivamente na íntegra ou não) mas, assim como todas as outras analisadas, ignoram a exigência de publicação do conteúdo registrado em Creative Commons ou semelhantes licenças livres. Lá está, em todos os sites, o velho e maroto copyright, como deixa claro o textículo no fim da página da Piauí: 
"Os direitos autorais de todo o material apresentado neste site, inclusive imagens, logotipos, fotografias e podcasts, são de propriedade da revista piauí ou de seu criador original. A reprodução, adaptação, modificação ou utilização do conteúdo aqui disponibilizado, parcial ou integralmente, é expressamente proibida sem a permissão prévia da revista ou do titular dos direitos autorais".

E, novamente, sobre as assinaturas, em duas versões: uma para os leitores, outra para o Ministério da Cultura:
Assinatura anual da Piauí para o leitor, hoje: R$ 129,60
Assinatura anual da Piauí que consta no resultado do edital: R$ 57
Assinatura anual da Brasileiros para o leitor, hoje: R$ 90
Assinatura anual da Brasileiros que consta no resultado do edital: R$ 63


Entrei em contato com a Rolling Stone, Cult e Ministério da Cultura através de seus respectivos sites, da mesma forma como qualquer cidadão, jornalista ou não, poderia questionar o acontecido. Perguntei porque as publicações ainda não estavam seguindo as obrigações estabelecidas no edital e se havia um prazo para que isso ocorresse. Ninguém me respondeu.

Atualização:
Resposta da Rolling Stone ao leitor Mário César Mancinelli:
"Caros Leitores Rolling Stone,
O resultado do edital, foi sim divulgado dia 19 de fevereiro de 2010, porém ainda não entrou em vigor. Apesar de ter o resultado divulgado, o edital ainda não está assinado entre as partes. Para que passe a valer, em todas suas regras, deverá ser assinado entre o Minc e os veículos contemplados. A partir daí, os veículos tem um período para adaptar-se as normas do edital.
Agradeço o espaço e os manteremos informados.
Leo Belling
Gerente de Marketing
Rolling Stone Brasil
leobelling@rollingstone.com.br"

10 de maio de 2010

Tardes tortas, conversas retorcidas, música disforme

Se o Meio Desligado fosse um programa de TV...


Estrelando: Tulhones, Dibigode, Jazz Comfusion, 4instrumental
Participação especial: Iconili
Trilha sonora: Dizzy Gillespie, John Coltrane, MC Mano Cavernoso



Cobertura da estreia das Tardes Tortas. Há muito tempo não fazia algo em vídeo e resolvi experimentar algumas coisas aqui. É uma mistura documental/jornalística com uma pegada autoral e pensada inteiramente no contexto da internet (tanto na mobilidade da produção e divulgação como na ideia de edição, com apropriações típicas de mashups).

9 de maio de 2010

Iconili (em Paris, 1968)


Paris? 1968?

Iconili, uma das bandas mais legais da atual cena musical de Belo Horizonte, ao vivo em formato especial bem mais jazz e sutil. Quem esteve no festival Real Instrumental no mês passado, do qual fiz a curadoria, pôde conferir por completo o show da banda. Em junho eles lançam novo trabalho, pelo selo Serrassônica, no teatro Klaus Vianna, em BH.

Brincadeiras à parte, filmei com um celular N95 e resolvi aproveitar as limitações do aparelho pra reforçar uma estética suja. Essa foi a última música do show que aconteceu em Macacos, no Mercado Mundo Mico, no último sábado.

8 de maio de 2010

Bandas e festivais independentes na Virada Cultural 2010

Engraçado como durante semanas eu quis divulgar em primeira mão a programação do palco dedicado aos festivais independentes dentro da Virada Cultural de São Paulo e, enquanto esperava a confirmação da produção do evento, acabei me envolvendo com várias outras coisas e ficando sem tempo para escrever por aqui. O motivo de eu ter um interesse especial nessa notícia está diretamente relacionado ao Fórceps, coletivo do qual faço parte: desde o início do ano somos membros da Abrafin, responsável por esse palco na Virada Cultural, e uma das bandas que vão se apresentar também é do coletivo, a 4instrumental.

Cada festival integrante da Abrafin pôde indicar uma banda de seu Estado de origem e os membros da instituição votaram em 3 bandas de sua respectiva região geográfica. Os artistas mais votados nesse processo formam a programação do palco da Abrafin na Virada Cultural nos próximos dias 15 e 16 na capital paulista, sendo que o 4instrumental foi o mais votado em Minas.

A escalação é bastante interessante e apresenta novos nomes da cena independente que, mesmo com o pouco tempo de existência, já têm se destacado no underground, como Vendo 147, Terra Celta, Caldo de Piaba e Camarones Orquestra Guitarrística (que vem rodando o Brasil em uma longa turnê e se apresenta na próxima festa Meio Desligado, dia 23 de maio, em um novíssimo espaço no hipercentro de Belo Horizonte ao lado do Fusile). Pra não ficar perdido entra tantos shows, salve o mapinha e veja com atenção o que te interessa entre as centenas de atrações da Virada (que vão de Instituto e Arrigo Barnabé a CPM 22 tocando Ramones e L.A Guns).

18h10 - Musica do Mato (MT)
19h50 - Caldo de Piaba (AC)
21h30 - Black Drawing Chalks (GO)
23h10 - Camarones Orsquestra Guitarrística (RN)
00h50 - Galinha Preta (DF)
02h30 - Plastique Noir (CE)
04h10 - Baba de Mumm-Rá (TO)
05h50 - Vendo 147 (BA)
07h30 - Hey Hey Hey (RO)
09h10 - 4Instrumental (MG)
10h50 - Aeromoças e Tenistas Russas (SP)
12h30 - Nervoso e Os Calmantes (RJ)
14h10 - Terra Celta (PR)
15h50 - Rinoceronte (RS)
17h30 - Cabruêra (PB)

7 de maio de 2010

Cidade Eletronika

Na próxima segunda-feira, 10 de maio, o festival Eletronika inicia uma edição especial intitulada Cidade Eletronika, focada em arquitetura, design, tecnologia, urbanismo e ecologia que se estende em Belo Horizonte até o dia 16, domingo. A programação inclui intervenções urbanas, shows, oficinas, mostras, palestras, lançamentos de livros e um picnic urbano (!?), tudo com entrada franca e a maior parte em espaços abertos.

O Cidade Eletronika não substitui o tradicional formato do festival, dedicado não somente à música eletrônica mas sim à música de vanguarda e às artes digitais de forma mais abrangente, que deve ser realizado no segundo semestre de 2010.

A programação completa está abaixo e há também a grade de programação para facilitar a escolha de quais ações acompanhar.

PICNIC URBANO
Domingo, 16 de maio. De 11 às 21 horas
Rua Paraíba com Rua Gonçalves Dias, em frente à Escola de Arquitetura da UFMG

Artistas, músicos, arquitetos, designers, vizinhos, passantes, todo mundo é bem vindo: duas ruas serão fechadas para o nosso Picnic.
Traga a toalha xadrez, seu lanche, a cadeira de praia, seu livro preferido, brinquedos, crianças, os amigos, os seus avós: a ideia é interagir, curtir, relaxar, conversar, participar das intervenções, dançar, o que você quiser.

INTERVENÇÕES URBANAS
As rotatórias criadas pelo Instituto Cidades Criativas (ICC), são divertidos e deliciosos espaços para você circular no meio de obras criadas por diferentes artistas durante o domingo inteiro:

CASA DAS VITAMINAS (Nydia Negromonte): ação-instalação que envolve extração e distribuição de sucos de frutas.
 PISEAGRAMA (Árvores Portáteis): monte sua própria floresta: as árvores são móveis, pra você ficar na sombra e água fresca.
GIA: Grupo de Interferência Ambiental / (Caramujo): grupo formado por artistas visuais, designers, arte-educadores e músicos apresentam suas divertidas intervenções.
MOM: Grupo Morar de Outras Maneiras / (Interface de Espacialidade): projeto participativo onde o público é convidado a construir e experimentar espaços em escala real, a partir de maquetes e modelos digitais
BAMBOLÊ DE FOGO (Liga Brasileira de Queimada): jogos de rua, para crianças e adultos: junte amigos e uma bola
MOBÍLIA INDISCIPLINADA: Adriano Mattos e Suportes Mobiliários: os curiosos resultados da oficina de marcenaria estarão disponíveis para quem quiser usar.

SHOWS
Palco montado em espaço público

17h  
Intervenção Sonora com Frederico Pessoa: sons possíveis, paisagens sonoras, fundos musicais inovadores
18h 
EMBOLEX
Pioneiro no desenvolvimento do VJing no Brasil, apresentam-se com grandes nomes nacionais e internacionais. Atualmente desenvolvem um set video-musical composto como um mosaico colaborativo misturando estilos musicais e elementos culturais do mundo inteiro. Conhecidos e desconhecidos contribuem com o material bruto que se transformará num mashup audiovisual. Você pode participar. Envie cartões postais, fotos e vídeos para caixaprego@embolex.com.br. O resultado você vê ao vivo durante a performance.
19h30 
MONDKOPF
GALAXY OF NOWHERE – eleito um dos melhores artistas do ano da revista francesa Les Inrocks. Mistura hip hop, tecno, dance floor, numa produção refinada – uma composição instintiva com partes introspectivas e partes descontroladas.

B. FORUM
10 a 15.05 :: OFICINAS
Inscrições gratuitas. Vagas limitadas.

10 e 11.05 :: MOSTRA DE VÍDEO VIVO ARTE.MOV
Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis
Segunda e terça, dias 10 e 11, das 19h às 20h
Auditório da Escola de Arquitetura da UFMG
Sujeito a lotação (140 lugares)

SEG 10: MOSTRA COMPETITIVA
Seleção feita a partir dos mais de 2.000 trabalhos inscritos nas quatro edições do festival. Videos criados para celulares ou outros meios de fácil acesso, exibidos em telas pequenas ou de baixa definição, na Internet, nas redes sociais
Curadoria: Lucas Bambozzi, Rodrigo Minelli e Marcus Bastos
TER 11: PROGRAMA ARTES LOCATIVAS
Registros de performances, projetos e obras que envolvem artes locativas criadas por artistas do mundo inteiro: Os Duelistas ||| Videoman – videointervenções móveis em contextos urbanos específicos ||| Meu nome é Ronaldo ||| Paintersflat.net ||| Hundekopf, Knife and Fork ||| Can you see me now? Shefield ||| Loca

12 a 15.05 :: MESAS
De quarta a sábado, 12 a 15 de maio, das 19h às 22h
Auditório da Escola de Arquitetura da UFMG
Sujeito a lotação (140 lugares)


QUA 12 :: PISEAGRAMA
Os rumos atuais das cidades, seu desenvolvimento e sua regulação urbana
Mediadora: Fernanda Regaldo / Cientista política e editora de PISEAGRAMA / BH
Debatedores:
Marcos Vinícius Poliano / Coordenador do projeto Manuelzão  www.manuelzao.ufmg.br
Maria Caldas / Consultora técnica especializada da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas . www.pbh.gov.br
Roberto Andrés / Arquiteto, professor da UFMG, editor de PISEAGRAMA.
QUI 13 :: OMEMHOBJETO
Reflexão sobre a capacidade do design e da criação em transformar a sociedade
Mediadora: Renata Marquez / Artista, Arquiteta, Professora de Design e Arquitetura na UFMG
Debatedores:
Guto Lacaz / Artista multimídia – SP
Marcelo Drummond / Artista gráfico e Professor da Escola de Belas Artes da UFMG
SEX 14 :: PEDREGULHO
O papel das artes na recriação e resignificação do mundo contemporâneo
Mediador: Wellington Cançado / Arquiteto e Professor de Design e Arquitetura na UFMG
Debatedores:
Bia Lemos / Curadora e propositora Projeto Pedregulho – RJ
Cris Ribas / Curadora e propositora Projeto Pedregulho – SP
Marconi Drummond / Curador do Museu de Arte da Pampulha / MAP – BH
KazaVazia / Coletivo de arte – BH
SAB 15 :: PALESTRA-SHOW PORO + GIA
19h
Exibição do documentário “PORO: intervenções urbanas e ações efêmeras” (PORO / AIC)
19:30h
Palestra-Show do Grupo de Interferência Ambiental-GIA / Salvador
Mediador: PORO – Marcelo Terça-Nada! e Brígida Campbell / BH
21:00h
Lançamento do CD SambaGIA (Amnésia Discos, 2009)
Primeiro projeto musical do GIA. Um trabalho que aproveita a força de aglomeração do samba, para registrar as ações urbanas e situações ambientais propostas e vivenciadas pelo grupo.


LANÇAMENTOS DE LIVROS
QUI 13 :: 21H :: ESCOLA DE ARQUITETURA
OMEMHOBJETO
GUTO LACAZ (Décor Books, 2010)
460 imagens dos principais desenhos, objetos, instalações, performances e sites criados pelo artista multimídia
SAB 15 :: 11H :: CAFÉ COM LETRAS
PEDREGULHO
Registro das experiências e interferências artísticas junto à comunidade do Pedregulho conhecido como “Minhocão”, na zona portuária do Rio de Janeiro, realizadas pelo grupo ICC (Institutos Cidades Criativas), com arquitetos, urbanistas, pesquisadores, críticos de arte, historiadores
O MELHOR DO INFERNO
De Christiane Tassis
Romance que dialoga com as artes eletrônicas, blogs, celulares, as linguagens não-lineares, as ilhas de edição: o tempo é um timecode. Segundo romance de Christiane Tassis, autora de Sobre a Neblina, editado no Brasil pela Língua Geral e em Portugal pela Editora Quetzal

12 MAI A 6 JUN :: MOSTRA DE CARTAZES
5ª edição – seleção dos participantes do Concurso de Cartazes realizado na Mostra de Design 2009 / Café com Letras

6 de maio de 2010

Rumos Itaú Cultural com inscrições abertas

O projeto Rumos, do Itaú Cultural, está com editais abertos nas áreas de música, teatro, pesquisa acadêmica e literatura até o dia 30 de junho, com exceção do edital de literatura, que se estende até 31 de julho.

Na área musical são quatro categorias, descritas abaixo:
1. Mapeamento: Indicada a artistas e/ou grupos que já tenham um trabalho desenvolvido. Um dos objetivos é colaborar para a difusão e a articulação de suas obras (mesmo aquelas que já foram lançadas em discos ou difundidas pela internet, por exemplo).

2. Homenagem: Cada inscrito deve apresentar uma música composta com base na interação, na modificação, no reprocessamento, na remixagem, no sampleamento, na adaptação ou na utilização de um ou mais fonogramas - 6 Pequenas Peças para Violoncelo (Rogério Duprat Número 01) e Só Esperança Ficou, de Elpídio dos Santos - e/ou do poema Navio Negreiro, de Castro Alves.

3. Coletivo: Categoria voltada principalmente a instrumentistas (acompanhantes ou solistas), intérpretes, programadores e DJs que desejem desenvolver trabalhos com músicos de outras regiões do país ou de outras comunidades, bairros, estilos musicais, formação, faixa etária etc. A ideia é colaborar para o nascimento de grupos musicais (duos, trios, quartetos ou quintetos) por meio da junção dos artistas selecionados. Por isso, a categoria não visa trabalhar com grupos já existentes.

4. Infantil: Os candidatos devem apresentar três músicas que integrem um projeto musical destinado a crianças de até 12 anos, sem limite de tempo. Não há restrição quanto a gênero, instrumentação, arranjo ou composição, desde que o trabalho represente de alguma maneira a cultura brasileira.

Não há premiação em dinheiro. Os selecionados terão como retorno a divulgação de seus trabalhos pelo Itaú Cultural em rádios e TVs do país, além de show e material produzido pela instituição. Na edição 2007-2009 do Rumos, 2.222 artistas se inscreveram e os selecionados tocaram em vários Estados, além de participarem de uma ótima coletânea com 16 CDs e artistas brasileiros, argentinos, chilenos, uruguaios e paraguaios.

4 de maio de 2010

Discografia do MQN comentada (e para download)


Fabrício Nobre, frontman do barulhento MQN, deu uma entrevista para a nova edição da + Soma e comentou a discografia da banda, uma das principais na cena alternativa brasileira na década passada. A maior parte dos trabalhos da banda está disponível para download no site deles, mqn.com.br, e o comentário sobre um dos lançamentos da banda (o álbum Bad Ass Rock And Roll), você confere abaixo.

"Depois a gente seguiu tocando, um monte mesmo, festivais, abrindo shows gringos, um monte de confusões, numa viagem destas acho que para Curitiba a gente conheceu o Iuri Freiberger, que tinha gravado Proto, Violins, Reu e Condenado e um monte de bandas gauchas, e principalmente os Walverdes e Frank Jorge, que sou fã. O bicho vai para sua casa, mora lá e grava discos, com estúdio, lap top, ou alugando um estúdio foda. Isso já em 2004, já casado com a Gabi, estamos juntos desde de 94, Iuri veio morar na minha casa, na casa dos Reu e Condenado, na casa do Márcio do Mechanics e gravou um monte de discos aqui, até 2006 eu acho. A gente gravou guitarras baixo e bateria no mesmo estúdio UP Music (aquele especializado em DVDs locais), mas com uma ótima sala, e as vozes no banheiro da casa do Daniel Drehmer (Réu e Condenado), a ainda mixou o disco na chácara do Miranda (batera do MQN), com Iuri, seu lap top e cerveja... eu nem fui, mas dizem que deu certo.

Saiu um single em 2004 mesmo, outro split agora, com os Argentinos do Satan Delears pela Monstro e Scatter Records, nosso grandes parceiros da Argentina. E saiu o cd (“Bad Ass Rock And Roll”) em 2005, começo do ano, tipo fevereiro. A gente fez um show de lançamento do caralho no Martim Cerere, onde a pessoa compra o disco e ganha o ingresso, LOTOU FUDIDO! O Iuri, que agora já tinha um quarto aqui em casa (hoje é o quarto da Ana e da Lara, mas já se chamou "quarto do Iuri"), gravou esse show ao vivo (falamos dele já já). Todo mundo gostou, o MQN era uma banda referencial para o Indie/Rock e agora Stoner Rock brasileiro. O disco saiu no mesmo ano do “Playback dos” Walverdes, e ambos apareceram em várias lista de melhores. Cachorro Grande cantou com a gente no disco, o role aconteceu.

E aí, a gente tocou mesmo, mesmo... recém casado, sem filhos, todo o gás do mundo, tocamos fora, tocamos em tudo que é festival, inclusive aqueles que a gente já tinha tocado... foi foda, acho que gente em dois anos, fez mais que 50 shows em cada. Tocou muito, muito, muito!

Lançamos um EP ao Vivo com esse show que o Iuri gravou no lançamento. E o trem foi indo, tocando, até que Jorge (cansou), antes de uma tour no nordeste que faríamos com Bois de Gerião, iríamos tocar no festival de Garunhuns, no DoSol e um monte de show."