Pesquisar este blog

Carregando...

5 de setembro de 2010

Mechanics – 12 arcanos

Quando eu tinha 13 anos, lembro que algumas das poucas pessoas com as quais podia conversar sobre rock na minha escola eram os repetentes mais velhos, que constantemente matavam aula e pulavam o muro da escola para fumar maconha e ir embora mais cedo. Nessas conversas, o que mais se destacava (ou talvez o que eu mais achava engraçado) eram os clichês e histórias sobre como eles acreditavam que o rock era uma manifestação do mal e que provocava ações sobrenaturais. Histórias sobre canções amaldiçoadas, seres que apareciam e desapareciam de repente e sensações esquisitas sentidas enquanto ouviam Black Sabbath, Venom, Death...

Aos 13 anos, eu concordava com a cabeça e ria internamente, enquanto pensava que conhecer aquelas pessoas era a melhor propaganda pró-escola e anti-drogas que alguém poderia ter. Foram necessários 10 anos até que eu mudasse de ideia, ao ter contato, há alguns meses, com 12 arcanos, novo CD da banda goiana Mechanics (liderada por Márcio Jr, sócio da Monstro Discos). 

Desde seu material gráfico macabro (que inclui uma espécie de carta de tarô para cada faixa) à sonoridade, há toda uma atmosfera pesada em torno de 12 arcanos. Algo que lhe faz sentir como se este CD realmente condensasse uma série de sentimentos ruins e os manifestasse em forma de música ruidosa e brutal. Stoner rock com letras de death metal. 13 canções ao longo de 38 minutos que emulam Black Sabbath, Kyuss, Nirvana e Nebula, entre outros. 


A cada segundo de audição do álbum a impressão de que algo ruim vai acontecer a qualquer momento cresce. A cada riff distorcido e pesado, acompanhado de frases jogadas rasgadamente como “arranquei todos os seus dentes, seu sorriso mais doente / engoli a sua alma, porque te quero calma”, aumenta a sensação de descontrole. E você deseja mais. Esse é um dos grandes êxitos do Mechanics neste CD: transformar sua música em catalisadora de sentimentos extremos. 

Dentro de sua proposta, 12 arcanos é um dos melhores CDs lançados nos últimos anos. E, justamente por isso, um dos mais perigosos.

Nenhum comentário :