Pesquisar este blog

Carregando...

7 de julho de 2010

Bordel do Fogo Encantado

Neste sábado, 10 de julho, estreia um novo projeto do Fórceps do qual estou à frente: o Bordel do Fogo Encantado. Trata-se de uma festa que acontecerá regularmente no Nelson Bordello, novo espaço cultural localizado no hipercentro de Belo Horizonte, apresentando bandas independentes, DJs variados e artistas de diferentes áreas expondo seus trabalhos. É um espaço de experimentação, a prioridade será para bandas que ainda não tocaram nos eventos do Fórceps, as exposições serão de artistas (ainda) pouco conhecidos e os DJs, assim como as bandas, serão diversificadas, buscando dar espaço para aqueles que ainda não tocaram em outras festas (sendo que sempre haverá um DJ residente do coletivo para manter a identidade da proposta).

Em sua primeira edição, a banda que se apresentará é a Lupe de Lupe, de BH. No único show que vi da banda (apenas alguns pedaços) pareciam apenas mais uma cópia de Arctic Monkeys, o que não causou muito interesse da minha parte. Eis que, após conhecer o figuraça Vítor, guitarrista da banda, depois do show do Jair Naves em uma das festas Meio Desligado (e sairmos todos para comer e beber em uma noite divertidíssima) ele me manda um mp3 da nova fase da banda: suja, dissonante, pesada. O noise dos anos 80/90 com um pouco de grunge repaginado, bastante interessante, julgando a partir das duas gravações (demo) que estão no MySpace da banda e da outra música que escutei até o momento. O nome da banda é terrível, mas sugiro que escutem e não se deixem levar somente pelo nome (afinal, Macaco Bong também não é nenhuma pérola e no início da banda eu tinha preguiça em escuta-la por puro preconceito em relação ao nome, o que se mostrou uma enorme burrice).


A exposição será da artista plástica Patrícia Mara, que conheci por acaso em uma das noites do (super recomendado) festival Tardes Tortas, em BH. Suas pinturas e desenhos são marcados por personagens femininas ora meigas, ora bizarras, porém sempre da estética feminina. Um trabalho em vídeo de Patrícia também será exibido durante a festa.
O trabalho de Patrícia, definido por ela mesma: "Meu trabalho é fundamentalmente figurativo e transita pelo universo feminino. Esse interesse vem da minha experiência como mulher junto à observação do comportamento das mulheres que me cercaram e das manifestações dos contraditórios ideais que se impõe sobre este objeto".

O som mecânico (eu ia escrever "as pick-ups ficam nas mãos de...", mas só vamos usar celulares e notebooks, the times, they are a-changin´...) fica por minha conta, com uma seleção de músicas distorcidas; Tina, uma transformista sueca que selecionará alguns rocks para flertar; e Canhotagem, pseudônimo do João, artista das ruas, um dos caras mais ligados em cultura urbana que conheço e autor do blog Canhotagem.

Bordel do Fogo Encantado
10.07, sábado
Show: Lupe de Lupe
DJs: Meio Desligado, Canhotagem, Tina
Exposição: Patrícia Mara
no Nelson Bordello, BH
(Rua Aarão Reis n554, centro, debaixo do viaduto Santa Tereza, próximo a Serraria Souza Pinto)
R$ 10
A partir das 22h

3 comentários :