Instagram

31 de dezembro de 2009

Fui ali viver um pouco e já volto

Fim de ano. Listas, festas, bebidas, planos, promessas. Abraços que você queria evitar, emails barangos, mensagens mais bregas ainda. Um saco.

É só mais um dia, mas é compreensível que a maior parte das pessoas use as divisões cronológicas principalmente a favor da memória, uma forma de registrar e dividir os momentos de suas vidas.

A adorável falsa sensação de que podemos começar de novo, o que deu errado ficou no ano que passa (e, agora, na década que se acaba!). Independente dos planos que fazemos e que não serão executados, das programações que abandonaremos já no meio de janeiro, é gostoso sentir que alguém nos deu uma chance de consertar as merdas que fazemos (ou que deixamos de fazer por preguiça), mesmo esse "alguém" sendo nós mesmos, aliados a um senso comum acerca da virada do ano e sua "capacidade" de renegenaração (ou degeneração, para alguns, rs).



Eu só queria que mais pessoas tivessem a noção de que dá pra mudar  (ou ao menos tentar) a cada momento, não a cada 365 dias.

Confesso que pretendia uma grande retrospectiva da década e do ano. Memórias, listas, matérias. No entando, refletindo sobre o assunto, abandonei esses planos, mudei de ideia.

Nos últimos 20 dias estive envolvido em outras ações relacionadas ao meu projeto mais importante: a minha própria vida. Coisas que vão de ficar dias inteiros descobrindo um novo software, criando músicas, fazendo fotos, desenvolvendo um novo blog ou lendo textos que me interessam.

O Meio Desligado é reflexo da minha postura em relação à vida e ela não é rigidamente fixa, pré-formatada. Não gosto de rotina, padrões inalteráveis, formatos eternos, repetição.

Pode ficar confuso, mas o que me motivou a escrever aqui agora foi o fato de eu ter vários textos típicos de fim de ano inacabados e não tive o mínimo interesse em terminá-los porque eu realmente não acredito que começamos novas fases em nossas vidas simplesmente porque alguns números mudaram. É muito mais do que isso. Seguir essa linha de ação, como as outras pessoas, seria mentir para todos vocês. E pior, seria mentir para mim mesmo.

De qualquer forma, fica o registro de que os últimos 12 meses foram muito bons tanto na minha vida como na música independente brasileira, e, sem dúvida alguma, 2010 promete muito mais. No que depende de mim, pretendo fazer deste o melhor ano das nossas vidas (até o momento, é claro).

Foto do Vivere Senza.

21 de dezembro de 2009

R$ 4.622.980 para festivais de música independente em MG

Na última sexta-feira, 18 de dezembro, foi divulgada a lista dos projetos culturais aprovados na Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. Somando o valor aprovado para a realização de festivais focados na música independente/alternativa em Minas Gerais ao longo do ano de 2010, a quantia total dedicada a esses eventos chega a R$ 4.622.980,00.

Atualização: se considerarmos os projetos de festivais de samba, cujo valor total gira em torno de R$ 1.300.000,00, o quantia possível de ser aplicada nos festivais de música independente em MG sobe para quase 6 milhões de reais. Detalhes sobre a cena do samba estão no blog do Pedro Thiago, que me deu o toque. Valeu!

Os festivais que considerei são:
  • 53 HC = R$ 120.955,00
  • BH Music Station = R$ 250.000,00
  • BPM - Beats por Mineiros = R$ 351.895,00
  • Campeonato Mineiro de Surfe = R$ 250.000,00
  • Cidade Hip Hop = R$ 250.000,00
  • Conexão Mineira de Música (a.k.a "Conexão Vivo", né galera?) = R$ 360.000,00
  • Garimpo = R$ 267.500,00
  • Eletronika = R$ 324.000,00
  • Escambo = R$ 200.000,00
  • Formiga Sônica (que nome é esse?) = R$ 66.500,00
  • Jambolada = R$ 322.830,00
  • Lixo e Cidadania = R$ 172.300,00
  • Marreco = R$ 230.000,00
  • Música Independente = R$ 360.000,00
  • Música no Museu Inimá de Paula = R$ 160.000,00
  • Palco Hip Hop = R$ 230.000,00
  • Pequenas Sessões = R$ 101.000,00
  • Sabará Musical = R$ 270.000,00
  • Savassi Festival = R$ 300.000,00
  • Triumph of Metal Festival = R$ 36.000,00

Ao todo, 1.259 projetos foram aprovados e estão aptos a captar recursos junto a empresas que deduzirão 80% do valor patrocinado do pagamento de imposto (ICMS - Imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços). O valor total dos projetos aprovados é de R$ 203 milhões, porém o valor máximo aprovado pelo Governo do Estado para renúncia fiscal é de R$ 53 milhões (0,3% da arrecadação líquida do ICMS corrente em MG). Ou seja: apenas 23% dos projetos aprovados poderão efetivamente ser patrocinados via Lei de Incentivo (caso todos captem integralmente os valores aprovados). Essa é uma estratégia do Governo que se ampliou em 2009, aprovando mais projetos e deixando que o próprio mercado defina quais serão as iniciativas culturais que mais interessarão as empresas patrocinadoras.

Segundo dados da Secretaria de Cultura de MG, 706 projetos aprovados são de empreendedores de Belo Horizonte e 553 de cidades do interior de MG. O resultado é parte do crescente movimento de interiorização que ocorre na Lei de Incentivo e que em 2013 deve chegar a 43% do total de propostas aprovadas tendo origem no interior.

20 de dezembro de 2009

Fórceps no Prêmio Mixsórdia


O Mixsórdia é um interessante informativo sobre a cena cultural de Belo Horizonte e em sua eleição dos melhores do ano o coletivo Fórceps e suas ações estão indicados em 5 categorias. Independente do resultado (que será divulgado no dia 20 de janeiro), é muito legal saber que o nosso trabalho está sendo reconhecido por diferentes pessoas.

Muitos projetos legais estão concorrendo ao prêmio e em algumas categorias é difícil escolher somente uma opção. De qualquer forma, eis as categorias em que o Fórceps está concorrendo:

13 de dezembro de 2009

A festa mais destruidora de todos os tempos da última semana

Humildade é para os fracos.

O que disseram da estreia da Fanfarra dos Funcionários da Embaixada Colombiana no Baile Punk de 3 anos de Meio Desligado na última quinta-feira:

"Do caralho!" (97 pessoas)
"Fóda!" (97 pessoas)
"Muito bom" (uma pessoa evangélica que não fala "do caralho" ou "fóda" porque são termos "vulgares")
"Não sei quem eu sou hoje" (gatinha na internet no dia seguinte)
"A melhor coisa que você já fez" (me enviaram por email essa, acredita? Não me subestime!)
"Uma zona do caralho, porra" (gerente da Obra, rs)

E você, pobre mortal, não foi? Então lamente, chore, se corte, bata a cabeça na parede por não ter ido enquanto vê parte do registro de uma das noites mais incríveis:
a) da semana
b) do ano
c) da sua vida
d) da história, porra!
e) da mente imbecil de quem escreve este blog






Além da vibração incrível que rolou durante o nosso show (pelo que me lembro e/ou consegui ver, mal dava pra distinguir quem era da banda e quem era público, rs), a parte do karaokê também foi muito boa, rolando coisas como "California Ubber Alles" comigo, Malibu e Pepo (ambos Cães do Cerrado) na base instrumental e um monte de desconhecidos nos microfones e "Territorial Pissings" do Nirvana. Lindo!

Foi realmente muito bom e queria agradecer a todos os envolvidos. Amo vocês! (lágrimas nos olhos)

Ps.: o próximo show da Fanfarra é no dia 25, em uma festa de Natal, comemorando o nascimento do menino Jesus e o consumismo alienante.

9 de dezembro de 2009

Baile punk para comemorar 3 anos de Meio Desligado!

Há cerca de meia-hora cheguei do segundo ensaio da Fanfarra dos Funcionários da Embaixada Colombiana, o mais próximo que consigo imaginar de um super-grupo da tosqueira alternativa artevista contemporânea de BH (mais quadrilátero suburbano/metropolitano). Na realidade, a parte musical do ensaio terminou bem mais cedo, mas como todos sabem, a cerveja pós-estúdio é parte crucial na formação e desenvolvimento de qualquer banda que se preze.

Na terça-feira passada, enquanto voltava para casa após o trabalho, resolvi que montaria uma banda para tocar na próxima festa do Meio Desligado, que acontece nesta quinta-feira, 10 de dezembro. Cinco dias depois acontecia o primeiro ensaio da Fanfarra. Nesse meio-tempo reuni pessoas que estão envolvidas com algumas das mais interessantes bandas da cidade nos últimos tempos animadas em celebrar o barulho e a diversão em torno do punk rock no primeiro Baile Punk (especial de fim de ano) do Meio Desligado em parceria com o coletivo Fórceps. São tantas as bandas e pessoas que uma listinha ajuda a entender que porra de Fanfarra é essa:

A formação da Fanfarra dos Funcionários da Embaixada Colombiana na quinta-feira (e as bandas de cada integrante) e a seguinte:

  • Eu (P.U.T.A, Viva Nayla!, m.a.s FEAR SATAN, Eu tenho uma banda, eu tenho o poder!, Pornochanchada do Canal Brasil, Miss Leck, Ménage): guitarra sem noção do que são acordes, kinder ovo, lata de biscoito com areia e pedras, baixo, tamborim, teclado e vocais;
  • Chico (baterista do Fadarobocoptubarão e Esquadrão Relâmpago Monster Surf): vocais esguelados, guitarra e bateria estilo coelhinho da Duracell;
  • Dynamite (7 Contra Tebas, ex-vocalista do Cães do Cerrado): vocais, expressão facial e apoio moral;
  • Porquinho (ex-UDR, guitarrista do Grupo Porco de Grindcore Interpretativo e Fadarobocoptubarão): violão, tamborim, vocais e coreografias;
  • Shairon (vocalista e guitarrista do Fusile e Esquadrão Relâmpago Monster Surf, ex-Millicents): vocais, pandeirola e íma para atrair groupies;
  • Batista (baixista do Grupo Porco de Grindcore Interpretativo e Fadarobocoptubarão): baixo, vocais e concentração;
  • Alf (vocalista e baterista do Teach Me Tiger e Ménage, ex-Cold Eaten Plate): bateria e vocais masculinos e femininos (!!!)
Além dos seres citados acima, é provável que ocorra a participação do Malibu (Cães do Cerrado) e Tamás (Pequena Morte), que no legítimo estilo punk preguiçoso abriram mão de ensaios para fazer um esquema roots alcoolizado na quinta-feira.

Eu poderia terminar aqui com a total certeza de ter passado o recado, mas tem mais.



O Baile Punk, além de servir como festa de comemoração dos 3 anos de existência do Meio Desligado (a festa aconteceria de qualquer forma, essa é só mais uma desculpa para aqueles que precisam justificar a diversão descompromissada durante a madrugada de uma quinta-feira), é a última ação do coletivo Fórceps em 2009 e fecha este que foi um ano super importante para o coletivo, responsável, entre outras coisas, pelo festival Escambo, um dos maiores festivais independentes de Minas Gerais (senão o maior do Estado), que em 2009 teve público de 10 mil pessoas na cidade histórica de Sabará.

E tem mais! Pois é, o patrão enlouqueceu e só nesta quinta-feira vai rolar o legítimo karaokê punk rock´n´roll!!! Quem estiver presente na sauna Obra vai poder escolher (dentro de uma lista selecionada por nós, é claro) as músicas que quer cantar e tocar! Isso é que é integração, não é minha gente?!

Pronto! Tô de saco cheio e falar de algo com o qual estou tão involvido fica na na frágil divisão entre a benéfica prepotência irônica e o spam fila da puta. Fico por aqui, 8 parágrafos com toques movidos à Itaipava em uma madrugada de quarta-feira são suficientes.

Nos vemos na quinta. Ou não. Se você não for também não fará falta, só divulgo o evento porque quero dinheiro.

7 de dezembro de 2009

Marina G.A.S.O.L.I.N.A na gringa

Marina Ribatski, ex-vocalista do famigerado Bonde do Rolê, se juntou ao trio de produtores alemães de electro Acidkids para lançar o EP Big Foot (liberado para download gratuito), que traz cinco versões para a faixa-título e outra música, "Josef Geld". "Big foot" aparece em duas versões do próprio Acidkids e em remixes de Mixhell (projeto eletrônico de Iggor Cavalera), Krikor e Schlachthofbronx (ótimo trio de DJs alemães vencedores do prêmio de "nome mais difícil de ser pronunciado" do ano).

A letra de "Big foot" é deveras imbecil e sem a ironia da antiga banda de Marina, mas a principal função das palavras, nesse caso, é sua sonoridade e apoio na construção melódica, não seu significado. No geral, soa como mais um exemplo da tendência na cena eletrônica em se misturar kuduro, electro e pseudo-funk carioca para as pistas europeias (vide o próprio Schlachthofbronx, que faz isso de forma mais original, e os luso-africanos do Buraka Som Sistema), sendo que, neste caso, os remixes acabam sendo mais interessantes que a música original.

Prévia do lançamento do EP com trechos das músicas e remixes


O lançamento oficial de Big Foot em formato físico acontece no dia 11 de dezembro e uma compilação de remixes também está programada para ser lançada, com versões de "Big foot" criadas por João Brasil, Zombie Disco Squad e outros.

6 de dezembro de 2009

Pata de Elefante, "Um olho no fósforo, outro na fagulha"

Vencedora do prêmio VMB 2009 de "Melhor banda instrumental brasileira", a gaúcha Pata de Elefante também fez um dos melhores vídeoclipes do ano. "Um olho no fósforo, outro na fagulha", além de ser super bem produzido, ainda conta com uma solução interessante para tornar atraente a transposição da música da banda para o vídeo.




O clipe é tão legal que merece destaque para toda a equipe envolvida, conforme apresentado no site oficial da banda.

Direção: Rafael Rodrigues
"A produção é da Low Filmes, com fotografia de Glauco Firpo. Rafael Rodrigues assina o roteiro com colaboração de Gustavo Telles e Grace Luzzi. Direção de Produção de Richard Tavares; Produção de Gustavo Almeida, Assistência de direção de Mariana Moraga; Figurino de Manu Menezes; Maquiagem de Bianca Prunes; Still de Ananda Kuhn; Assistência de câmera de Carolina Krebs; Produção de set de Henrique Shaffer; Maquinistas Jô Fontana e Serginho; Transporte de Paulo Zé Barcellos.
A realização do clipe só foi possível com o apoio das produtoras Liliane Pereira e Ana Carola Biazus, dos músicos Pedro Metz, Pedro Marine e Marcio Petracco; da Quanta, Parque Farroupilha e Dmae."

5 de dezembro de 2009

Brasileiros selecionados para o festival South by Southwest 2010

A BMA, associação voltada para a divulgação da música brasileira no exterior, divulgou recentemente a lista com os 9 artistas brasileiros selecionados para se apresentarem no festival estadunidense SXSW - South by Southwest 2010, que acontece na cidade de Austin, no Texas, e é um dos maiores do mundo. A lista inclui algumas bandasjá conhecidas de quem lê o Meio Desligado, como Júlia Says, L.A.B e M. Takara, e é bem diversificada musicalmente. Eis os artistas selecionados:

Canja Rave (Porto Alegre)
Julia Says (Recife)
L.A.B. (Novo Hamburgo)
M. Takara 3 (Guarulhos)
MegaRex (São Paulo)
Moxine (São Paulo)
Natalia Mallo (São Paulo)
The River Raid (Recife)
Vander Lee (Belo Horizonte)

O SXSW 2010 acontece entre 17 e 21 de março e terá entre suas atrações musicais bandas alternativas de várias países. Algumas das bandas selecionadas nas coletâneas mensais do Music Alliance Pact estão na programação, como The Middle East, da Austrália, Fanfarlo, da Inglaterra, e o próprio Júlia Says, de Recife. Entre as bandas mais "conhecidas" que farão shows no festival estão We Are Scientists, Crystal Method e Japandroids.