Pesquisar este blog

Carregando...

20 de março de 2009

O futuro dos blogs brasileiros e uma pausa para o Radiohead

Enquanto faço uma breve pausa aqui no Rio de Janeiro para conferir os shows históricos do Radiohead no Brasil, deixo aqui uma entrevista que dei para o Felipe Nunes, estudante de comunicação em Brasília, sobre blogs e o Meio Desligado.

Como você vê o futuro dos blogs brasileiros, e, principalmente, dos que tratam de música?
É uma grande incógnita, um assunto muito amplo. É o mesmo que perguntar qual o futuro da internet. Depende de tudo o que estamos fazendo com a ferramenta e como nos relacionamos com ela. "Blog", basicamente, é apenas um formato de publicação de conteúdo.O que essa ferramenta é capaz de produzir a partir de sua interação com as pessoas não é possível de se delimitar tão facilmente. A meu ver, a tendência é uma hibridização cada vez maior. Muita gente já não sabe mais diferenciar alguns blogs de sites e essa mistura é inevitável. A chamada "cultura do mashup" ainda está engatinhando em relação ao seu potencial.

A principal diferença de tudo isso para os blogs que abordam a produção musical é uma aproximação ainda maior dos conteúdos audiovisuais e hipertextuais. É ridículo acompanhar as versões virtuais de muitos dos grandes veículos de comunicação. A maioria sequer sabe usar links (ou acredita que utilizá-los resultará na perda de tráfego), usam podcasts e vídeos de maneira deplorável e que pouco tem a acrescentar ao conteúdo informativo, fazem isso apenas porque acham que devem fazer. Falta uma postura crítica e que busque não apenas seguir a tendência, mas sim buscar formas de transmitir informações de modo mais completo e que realmente interesse ao público. Nesse sentido, por terem um certo caráter anárquico inerente e estarem abertos às experimentações, os blogs estão à frente dos veículos de comunicação tradicionais (ou que não tiveram origem já no ambiente digital).

Quem definirá o futuro dos blogs são os blogueiros, isso é óbvio, porém muita gente não percebe. Enquanto os blogueiros continuarem a se basear em padrões e estruturas pré-definidas por meios de comunicação analógicos, que surgiram e se desenvolveram com tecnologias e em momentos históricos distintos, não haverá evolução relevante em relação ao que existe atualmente.

De onde surgiu a idéia de fazer um blog e como foi o processo de divulgação?
Google e Yahoo! foram minhas ferramentas de divulgação. Não montei um blog para que meus amigos ficassem sabendo o que gosto de ouvir ou o que penso de determinados assuntos do meio musical. Até hoje a maior parte dos meus amigos, aqueles que saem comigo pra beber e que jogavam videogame comigo na época de escola, sequer sabe que eu tenho um blog. Se resolvi disponibilizar isso na internet foi para alcançar novas pessoas, descobrir coisas novas. Nesse sentido, as ferramentas de busca foram cruciais.

Quando se comenta em outros blogs de assuntos semelhantes você naturalmente extende sua rede também. Não me refiro aos chatos que deixam comentários como "Olha, leia o meu blog!". Não, eu não vou ler o seu blog! Agora, se você escreveu algo que se relaciona com algo que publiquei, questionando, completando o que escrevi ou algo do tipo, um link para esse seu post é mais do que bem-vindo. Existe uma grande diferença entre participar e colaborar e ser um spammer de merda.

Sem contar que toda vez que você está logado e deixa um comentário seus blogs estão automaticamente linkados, o que abre a porta para que mais pessoas cheguem ao que você está produzindo.

Sobre o início do Meio Desligado, tudo se resume a "insatisfação". Várias formas de insatisfação, na verdade. Fazia três anos que escrevia sobre cultura pop em outro blog, o Mazzacane, e tinha uma resposta considerável na internet, mas comecei a sentir que aquilo tudo era muito básico, que outras pessoas poderiam fazer aquilo. E se outras pessoas poderiam fazer o mesmo, por que gastar o meu tempo com isso? Se há mais gente escrevendo sobre as mesmas coisas, de forma parecida, para que mais do mesmo? Isso me incomodou bastante. Procurei por algo que fosse diferente, que ninguém estivesse fazendo e que me desse prazer. Daí surgiu o Meio Desligado.

As outras insatisfações a que me referi eram relacionadas às bandas ridículas que eram aclamadas na mídia (tanto na "grande mídia" como na "mídia independente"), na maior parte dos casos por serem bandas de amigos dos jornalistas, enquanto as bandas boas que estavam sempre ali, tocando nos buracos sujos de quarta à sábado, não tinham espaço, não havia nenhuma informação disponível sobre elas para que mais pessoas tomassem conhecimento de suas existências. Parafraseando o filósofo Stallone, para esse cenário doente o Meio Desligado poderia não ser a cura mas pelo menos diminuía a febre.

Qual a idade do blog, e diante desse tempo, quais foram os grandes prazeres que o gerenciamento de uma página de internet lhe proporcionou?
O Meio Desligado foi criado em dezembro de 2006, então tem atualmente dois anos e três meses de existência. Ao longo desse período foram incontáveis momentos de satisfação proporcionados pelo blog. Escrevo porque gosto, porque é uma forma de me expressar e sinto ser útil para outras pessoas. Toda vez que leio algo que publiquei e sinto que dei o melhor de mim, me sinto bem. Por outro lado, sempre que percebo que estou aquém do que gostaria ou sei que poderia fazer, me incomoda bastante. Por vezes prefiro não atualizar o blog do que escrever algo fútil apenas para ganhar alguns acessos e mantê-lo atualizado. Fazer isso seria mentir para mim mesmo.

Nenhum comentário :