Instagram

31 de julho de 2008

Eletronika 2008 divulga programação

Fernanda Takai com Maki Nomiya (Pizzicatto Five), Mallu Magalhães, Instituto tocando Tim Maia Racional, Asobi Seksu, Curumin, Hurtmold com Paulo Santos (Uakti), Macaco Bong e Database são alguns dos destaques do Eletronika - Festival de Novas Tendências Musicais, que este ano realiza sua sétima edição em Belo Horizonte.

Fui pego de surpresa pela divulgação da programação do Eletronika, então em um próximo texto escrevo mais sobre o festival. Infelizmente, Marcelo Camelo não está confirmado, mas Hurtmold e Vanguart continuam escalados.

IMAGEM DOS POVOS - Mostra Internacional Audiovisual
Palácio das Artes
Roxy Club

QUINTA-FEIRA 28/08


Grande Teatro
21h00 - Fernanda Takai + Maki Nomiya (Pizzicatto Five/Japão)
22h30 - Vanguart (MT)

Cine Humberto Mauro
10hs, 13h30, 15hs, 17hs, 19hs e 21hs - Imagem dos Povos Mostra internacional Audiovisual

Sala Mari'Stela Tristão
19h - Ciclo de Debates: “Imagens do Japão Contemporâneo”

Livraria Usina das Letras
Mangáteca


SEXTA-FEIRA 29/08

Grande Teatro
22h00 - Curumin (SP)
23h30 - Instituto apresenta Racional, de Tim Maia (SP)

Sala João Ceschiati
19h30 - Guizado (SP)
20h30 - PexbaA (BH)
21h30 - M. Takara (SP)

Cine Humberto Mauro
10hs, 13h30, 15hs, 17hs, 19hs e 21hs - Imagem dos Povos Mostra internacional Audiovisual

Sala Mari'Stela Tristão
19h - Ciclo de Debates: “Japão Pop: Mangá e Anime”

Livraria Usina das Letras
Mangáteca

Eletronika Club @ Roxy Club
The Twelves (RJ)
Database (SP)
Lucy & The Popsonics (DF)
Entre outros

SÁBADO 30/08

Grande Teatro
21h00 - Mallu Magalhães (SP)
22h30 - Hurtmold (SP) participação especial Paulo Santos (Uakti) (BH)
00h00 - Asobi Seksu (USA)

Sala João Ceschiati
18h00 - Monno (BH)
19h00 - Macaco Bong (Cuiabá)
20h00 - Pop Armada (SP)

Cine Humberto Mauro
10hs, 13h30, 15hs, 17hs, 19hs e 21hs - Imagem dos Povos Mostra internacional Audiovisual

Sala Mari'Stela Tristão
16hs Ciclo de Debates: “Imagens da Amazônia Contemporânea”

Livraria Usina das Letras
Mangáteca

DOMINGO 31/08

Cine Humberto Mauro
10hs, 13h30, 15hs, 17hs, 19hs e 21hs - Imagem dos Povos Mostra internacional Audiovisual

Livraria Usina das Letras
Mangáteca

ENDEREÇOS
Palácio das Artes (Grande Teatro, Sala João Ceschiati, Cine Humberto Mauro, Sala Mari'Stela Tristão, Livraria Usina das Letras)

Avenida Afonso Pena, 1.537 – Centro – Belo Horizonte/MG
Telefone: (31) 3236-7400
www.palaciodasartes.com.br

Roxy Club
Rua Antonio de Albuquerque 729 – Savassi - Belo Horizonte/MG
Telefone: (31) 3269-4410
www.roxybh.com

INGRESSOS
Grande Teatro
Dia 28/08: Fernanda Takai + Maki Noemyia (Pizzicatto Five/Japan) e Vanguart (Cuiabá),
Dia 29/08: Curumin (SP) e Instituto apresenta Racional de Tim Maia (SP)
Dia 30/08: Mallu Magalhães (SP), Hurtmold (SP) particip. especial Paulo Santos Uakti (BH), Asobi Seksu (USA)

Valores (por dia):
R$ 50,00 até dia 20 de agosto (antecipado com desconto)
R$ 60,00 de 21 a 26 de agosto
R$ 70,00 de 27 a 30 de agosto

Teatro João Ceschiatti
Dia 29/08: 19h30 - Guizado (SP) / 20h30 - PexbaA (BH) / 21h30 - M. Takara (SP)
Dia 30/08: 18h00 - Mono (SP) / 19h00 - Macaco Bong (Cuiabá) / 20h00 - Pop Armada (SP)

Valores (por dia): R$ 20,00 até dia 20 de agosto (antecipado com desconto)
R$ 25,00 de 21 a 26 de agosto
R$ 30,00 de 27 a 30 de agosto

Meia-entrada estendida a todas categorias.

29 de julho de 2008

CSS – Donkey

A ironia da burrice


Quando a presença de guitarras distorcidas em uma banda de rock é sinal de alarde e controvérsia, algo está errado. Com as pessoas, é claro.

A crítica musical é notoriamente infestada de imbecis. Então, quando Donkey, “o aguardado segundo álbum” do antigo Cansei de Ser Sexy, atual CSS devido às forças malignas da globalização (mas não se preocupe, o imperialismo é um tigre de papel) destacou-se na “mídia especializada” (entre outras coisas, em criar ídolos descartáveis e modas que provocam vergonha no ano seguinte) por ter guitarras distorcidas e remeter a, pasmem, uma banda de rock (oh!), não era de se espantar. Para quem só conheceu a banda depois do lançamento de seu debut pela TramaVirtual, o novo CD (disponível para download gratuito no Álbum Virtual da Trama, com patrocínio da Volkswagen) pode realmente soar prazerozamente mais próximo do rock ´n roll. Para aqueles que já conheciam a banda, no entanto, trata-se nada mais do que um bem-vindo balanceamento entre a crueza sonora de sua origem e o electro-rock dançante que os tornou famosos em todo o mundo.

Viagem do tempo ativada (porque recordar é viver). 2005. A capa da TramaVirtual destaca “Bezzi”, do Cansei de Ser Sexy. Uma inspirada e direta canção punk à la Stooges. Na página da banda no site, “Art bitch” é uma pedrada electro-rock filhote de Le Tigre, assim como “Ódio, sorry C”. Tratava-se de uma banda de rock com intervenções eletrônicas e uma divertida maneira de flertar com o pop.

Se houve algum motivo para espantos na musicalidade da banda, estes se deram no ano seguinte, com o lançamento do primeiro álbum, no qual as sonoridades eletrônicas e dançantes foram privilegiadas, resultando em versões “eletrônicas” e diferenciadas para músicas como “Bezzi” - antes, um punk setentista sujo e simples, depois, um disco-dance preparado para fazer Borat dançar e sorrir fazendo sua dirty dance em inferninhos kazaques - e “Art bitch” - que perdeu velocidade e animação em relação à versão original, mas ganhou em clima e peso.

No entanto, quem realmente ouviu o álbum ao invés de torcer o nariz para o hype criado em torno da banda (morrendo de inveja) sem nem ao menos ouví-la com atenção, sabia que em meio à eletrônica de músicas como “Computer heat” e “Alala”, estava uma banda que simplesmente não se prendia a rótulos e o demonstrava aos misturar rock alternativo, electroclash, batidas funkeadas e qualquer outro gênero, orgânico ou sintético, que soasse animado e divertido.

Voltando ao presente, Donkey apresenta o meio termo entre os dois momentos da banda, colocando as guitarras distorcidas em primeiro plano em vários momentos, mas não até o ponto de deixar de ser pop. O resultado reforça a identidade do CSS e apresenta um som mais orgânico, ou, como os próprios integrantes vêm afirmando, “um som mais próximo de como a banda soa ao vivo”.

Há menos programação eletrônica em Donkey do que no álbum anterior, mais guitarras e os sintetizadores continuam, talvez com um pouco menos de destaque, mas o clima de diversão é o mesmo.

“Jager yoga”, uma das melhores e mais animadas músicas do CD abre o álbum com uma pegada dançante, referências pop (Claudia Ohana?) e lembranças de baladas chapadas (“where´s my gin, where´s my glass, all this mess comes from your ass”). Em seguida, “Rat is dead (rage)” vem carregada de distorção e refrão pop, relembrando o rock alternativo americanos do início dos anos 90, assim como em “Give up”. Nesses e em outros momentos o CSS soa como uma espécie de atualização sintetizada de bandas riot como Slearter-Kinney ou de grupos de rock alternativocom vocais feminino, como The Breeders e Veruca Salt.

“Left behind” é o grande hit do álbum, raro exemplo de boa canção pop com letra decente. E por falar em letras, as do CSS narram não apenas farras como dão destaque aos remorsos e erros da vida, relatos do que não deu certo e das tentativas de consertar tudo isso, permeadas pelas típicas bobagens que só fazem sentido em canções pop (e não há nada errado nisso, oras).



Outros pontos altos são “How I became paranoid”, a rocker “I fly” e a dançante “Move”. “Air painter” e “Beautiful song” são provavelmente as faixas mais tipicamente indie do CD, enquanto “Believe achieve” mostra-se a mais romântica e oitentista. A qualidade cai apenas em “Let´s reggae all night”, totalmente desnecessária – apesar do título engraçadinho.

Com todas as músicas compostas por Adriano Cintra, baixista e vocalista da banda, além de produtor do álbum, e a maioria das letras compostas por Adriano e a vocalista Lovefoxxx, Donkey passa com louvor na amedrontadora prova do segundo álbum, em termos artísticos, independente do resultado que venha a obter junto ao público e a crítica.

Digam o que quiserem, a mensagem já está dada logo na faixa de abertura do CD, “Jager yoga”: “Fuck with us we are CSS”.

Mallu Magalhães, Ratos de Porão e Cordel do Fogo Encantado são as primeiras atrações confirmadas no Jambolada 2008

A quarta edição do Jambolada, principal festival mineiro focado no rock independente, acontece entre os dias 12 e 14 de setembro em Uberlândia e terá como principais atrações três bandas bastante distintas: o hype Mallu Magalhães, com seu folk adolescente e meigo, pela primeira vez em Minas (como já havia sido publicado aqui); a veterana banda punk Ratos de Porão, na ativa há mais de 20 anos; e o performático e intenso Cordel do Fogo Encantado.

Ao todo serão mais de 20 shows, sendo que três deles serão definidos a partir das seletivas do festival, cujas inscrições estão abertas até 8 de agosto. Artistas mineiros interessados em participar devem enviar até três músicas em mp3, foto, release e link de seu material na internet para o email “seletivajambolada@gmail.com”. No caso dos músicos locais, as inscrições devem ser feitas no email “previajamboudi@gmail.com” até 15 de agosto.

28 de julho de 2008

Programação completa dos seminários, oficinas e ações de artes integradas do Calango 2008

Completando o texto anterior sobre a edição deste ano do festival Calango, segue abaixo a programação das atividades complementares do evento, divulgada hoje pelo Espaço Cubo.

TERÇA-FEIRA (05/08)

*CONGRESSO FORA DO EIXO*
Chegada de caravanas e credenciamento
09h às 16h
Misc - Museu de Imagem e som de Cuiabá

*PLASTICALANGO *
Intervenções de grafite e stencil nos muros e ruas de Cuiabá
09h às 18h
Parque Cuiabá, Tijucal & Pedra 90

*MODA NO CALANGO*
Preparação do Figurino das bandas locais para o Festival Calango
09h às 12h
Casa Fora do Eixo

*CALANGO IN VIDEO*
Cobertura de todas as ações realizadas pelo Calango
09h às 18h
Escolas da Rede Pública de Ensino: Oficinas de produção audiovisual e mostra
de vídeos locais

*CALANGO EM CENA*
Oficina de teatro para as bandas locais
14h às 18h
Casa fora do Eixo

*COMUNICALANGO*
Cobertura de todas as ações realizadas pelo Festival Calango
09h às 18h
Cufa - Central única das Favelas: Lançamento do MIC- Mídias Integradas
Cuiabanas.

*LINGUA DE CALANGO*
Visitas às bibliotecas da cidade com alunos da rede pública de ensino
09h às 18h

*CALANGO IN VÍDEO*
18h às 19h
Cine Cubo
MISC - Museu da Imagem e do Som
Entrada Franca

*CALANGO INSTRUMENTAL*
Shows: César Izidoro(MT) | Israel Silva (PE) | Mauro Sérgio (MA)| Miquéas
Santana (SP)
19h às 21h
Sesc Arsenal
Entrada Franca

*CONGRESSO FORA DO EIXO*
Solenidade de abertura
21h15 às 22h 15
Sesc Arsenal

*POCKET SHOWS*
Shows: Linha Dura (MT) | Macaco Bong (MT) | Maldita (RJ)
23h
Misc - Museu de Imagem e som de Cuiabá
Entrada Franca

QUARTA (06/08)

*CONGRESSO DO CIRCUITO FORA DO EIXO*
09h às 12h
Misc - Museu da Imagem e som de Cuiabá

Sala 1- Distribuição (Selos e distribuidoras)
Sala 2- Economia Solidária (Moedas Complementares)
Sala 3- Comunicação (Mídias Independentes)
Sala 4- Circulação e intercâmbio Cultural (festivais, casas de shows,
feiras)
Sala 5- Agência de bandas (Produção e sustentabilidade artística)

*PLASTICALANGO*
Intervenções de grafitte e stencil nos muros e ruas de Cuiabá
09h às 18h
CPA e Jardim Vitória.

*MODA NO CALANGO
*Reunião e credenciamento dos expositores locais
09h às 12h
Casa Fora do Eixo

*CALANGO IN VIDEO*
Escolas da Rede Pública de Ensino: Oficinas de produção audiovisual e mostra
de vídeos locais
Cobertura de todas as ações realizadas pelo Calango
09h às 18h

12h às 13h
Cine Cubo - Museu da Imagem e do Som
Entrada gratuita

*CALANGO ENCENA*
Preparação das intervenções no Festival Calango
14h às 18h
Casa fora do Eixo

*CALANGO NA MESA*
13h às 18 h
Entrada Franca

*13h30 às 15h00 - O Poder Publico no Fomento a Cultura*
Local: Palácio da Instrução

*Daniel Zen - Secretário Estadual de Cultura do Acre
Mario Olimpio Medeiros - Secretário Municipal de Cultura de Cuiabá
Paulo Pitaluga - Secretario Estadual de Cultura de Mato Grosso*

*15h30 às 17h - Debate Moda no Calango: Subvertendo a moda da Soja*
Local: Misc - Museu de Imagem e som de Cuiabá

*Bárbara Rosa - Padam
Amauri Lobo - Instituto Creatio*

*15h30 às 17h00 - Debate Musicalango: Movimentos Associativos*
Local: Palácio da Instrução

*Talles Lopes - Fora do Eixo
Anderson Foca - Nordeste Independente
Vinicius Lemos - Independência ou Norte
Rafael Bandeira - Casas Associadas
Claudão Pila - Abrafin*

*17h15 às 18h15 - Debate Comunicalango: O papel das Mídias independentes!*
Local: Palácio da Instrução

*André Pomba - Dynamite
Ricardo Rodrigues da Silva - UFscar | Independência ou Marte
Marielle Ramires - Portal Fora do Eixo | Espaço Cubo
*

*17h15 às 18h15 - Debate Plasticalango: Para além das Onças e dos Cajus
*Local: Misc - Museu da Imagem e do Som

*Edson Charles - Dois Loco Tattoo
Pack Noleh - CUFA*

*REUNIÃO DAS CASAS ASSOCIADAS*
19h às 23h
Palácio da Instrução
Somente para associados

*CALANGO INSTRUMENTAL
*Shows: Glauber Feijão (MT) | Sandro Soul (MT)|Paulo de Oliveira (RN) |Ney
Neto (SP)
19h às 21h
Sesc Arsenal
Entrada Franca

*POCKET SHOWS
*Atrações: Maitri (MT) e Astronauta Pingüim (SP)
Discotecagem: Dagoberto Donato
22 h
Misc - Museu de Imagem e Som de Cuiabá
Entrada Franca

QUINTA-FEIRA (07/08)

*CONGRESSO DO CIRCUITO FORA DO EIXO*
09 às 12h
Misc - Museu da Imagem e som de Cuiabá

Sala 1- Distribuição (Selos e distribuidoras)
Sala 2- Economia Solidária (Moedas Complementares)
Sala 3- Comunicação (Mídias Independentes)
Sala 4- Circulação e intercâmbio Cultural (festivais, casas de shows,
feiras)
Sala 5- Agência de bandas (Produção e sustentabilidade artística)

*CALANGO IN VIDEO*
Oficinas de produção audiovisual e mostra de vídeos locais
Cobertura de todas as ações realizadas pelo Calango
14h às 18h
Escolas da rede pública de ensino

12h às 13h
Cine Cubo - MISC
Entrada Franca

*PLASTICALANGO*
Intervenções de Grafitte e Stencil nos muros e ruas
09h às 18h
Várzea Grande

*CALANGO NA MESA*
13h às 18h
Entrada Franca

*13h às 15h - Economia Solidária*
Local: Palácio da Instrução
Paul Singer - Senaes (Secretaria Nacional de Economia Solidária)

*15h30 às 16h30 - Debate Musicalango: Novos modelos de distribuição e
Circulação da Música!*
Local: Palácio da Instrução
*Dagoberto Donato - Tramavirtual
Eduardo Ramos- Slag Records
Bruno Ramos - Música e Mercado*

*15h30 às 16h30 - Debate Língua de Calango: Rede literária no Circuito Fora
do Eixo*
Local: Misc - Museu de Imagem e som
*Ney Hugo Silva - Editora Cativa
Wander Antunes - Estação Leitura*

*17h às 18h - Debate Musicalango: Produção de Feiras e Festivais
*Local: Palácio da Instrução
*Jomardo Jomas - Mada (RN)
Aluizer Malab - Eletronika (MG)
Ivan Ferraro Filho - Feira da Música de Fortaleza (CE)
*

*17h às 18h - Debate Calango em Cena: Curto Circuito, integração do Teatro
Mato-Grossensse
*Local: Misc- Museu de Imagem e Som
*Jan Moura - COCCAR
Emanuel Araújo - Confraria dos atores*

*REUNIÃO DA ABRAFIN
*19h às 23h
Palácio da Instrução
Somente para associados

*CALANGO INSTRUMENTAL*
Shows: Ricardinho do Recife (PE) | Ebinho Cardoso (MT) |Celso Pixinga (SP)
19h às 21h
Sesc Arsenal
Entrada Franca

*POCKET SHOWS*
Shows: Papier Tigre (FRA) | Manoel Izidoro Trio(MT) | Mentecapto (SP)
23h
ZumZum Club
Entrada Franca

SEXTA-FEIRA (08/08)

*REUNIÃO DA ABRAFIN*
09h às 12h
Somente para associados

*CONGRESSO DO CIRCUITO FORA DO EIXO*
14h às 18h
Misc - Museu da Imagem e Som de Cuiabá

Sala 1- Distribuição (Selos e distribuidoras)
Sala 2- Economia Solidária (Moedas Complementares)
Sala 3- Comunicação (Mídias Independentes)
Sala 4- Circulação e intercambio Cultural (Festivais, casas de shows,
feiras)
Sala 5- Agencia de bandas (Produção e sustentabilidade artística)

*CALANGO IN VIDEO*
Oficinas de produção audiovisual e mostra de vídeos locais
14h às 18h
Escolas da Rede Pública de ensino

12h às 13h
Cine Cubo - MISC
Entrada Franca

18h - Abertura dos Portões da Cidade das Artes.

SÁBADO (09/08)

*CALANGO TOUR*
Passeio para a Chapada dos Guimarães: Cachoeiras, rapéu e demais pontos
turísticos locais.
08h às 18h
Para os Congressistas do Circuito Fora do Eixo

*WORKSHOP - "COMO TURBINAR SUA BANDA"*
Com Rodrigo Lariú - Midsummer Madness |Festival Evidente | Abrafin
14h às 18
Misc - Museu da Imagem e som de Cuiabá
Para bandas e músicos em geral

*CONGRESSO FORA DO EIXO*
Reunião de coordenadores para sistematização de propostas
14h às 18h
Centro de Eventos Pantanal

*ABERTURA DOS PORTÕES DA CIDADE DAS ARTES
*18h

DOMINGO (10/08)

*CALANGO TOUR*
Passeio para a Chapada dos Guimarães: cachoeiras, rapéu e demais pontos
turísticos locais
08h às 18h
Para os produtores, jornalistas e bandas convidadas para o Festival Calango
2008

*CONGRESSO FORA DO EIXO*
Plenário Final
14h às 17h
Palácio da Instrução

*ABERTURA DOS PORTÕES DA CIDADE DAS ARTES
*17h30 | Centro de Eventos do Pantanal

27 de julho de 2008

Festival Calango 2008

Cuiabá e o Espaço Cubo estão no cerne da movimentação realizada no rock independente brasileiro nos últimos três anos e parte de seu trabalho culmina na sexta edição do festival Calango, que apresenta uma das mais completas e interessantes programações de todo o circuito de festivais entre os dias 5 e 10 de agosto de 2008, no Centro de Eventos do Pantanal.

Apesar do rock ainda ser o estilo com maior presença no Calango, o festival deste ano apresenta programação mais abrangente, com atrações experimentais, de hip hop e ritmos regionais brasileiros. Algumas das principais bandas alternativas do país, como Hurtmold, Vanguart e Macaco Bong, estão escaladas junto a grupos veteranos da cena, como o ícone rock/hardcore Garage Fuzz, Walverdes e MQN. No campo das novidades musicais, destacam-se as instrumentais Elma e Fóssil, o quarteto indie pós-punk Sweet Funny Adams e os cariocas Do Amor. A presença de Curumim, Cabruêra, Contra Fluxo e Cérebro Eletrônico deixa clara a diversidade sonora e intensifica a importância e qualidade do evento.

Hurtmold, "Miniotario"


Indo além da música, o festival promove uma extensa programação de seminários, oficinas e encontros entre agentes culturais. Em meio à tudo isso, destancam-se o Primeiro Congresso Nacional do Circuito Fora do Eixo, a segunda reunião anual da Abrafin e os encontros do projeto Comprador e Imagem, parceria com a BM&A (Brasil, Música e Artes), que levará até Cuiabá representantes de festivais e intituições culturais estrangeiras, possibilitando que a música brasileira alcance novos palcos em outros países.

A programação de artes integradas também inclui todos os núcleos do Espaço Cubo, como o de audiovisual, no Calango In Vídeo, artes plásticas, educação, moda e até mesmo uma convenção de tatuagem. Outro diferencial é que todo o processo de produção do calango 2008 pode ser acompanhado no blog calangotec.blogspot.com, onde estão disponibilizados planilhas e arquivos de texto sobre cada ação do festival, além de releases de todas as bandas, oficinas e relação das matérias sobre o evento publicadas na mídia.

Programação musical completa do Calango 2008

Sexta-feira. 08/08
02:30 - Cascadura (BA)
02:00 - The Melt (MT)
01:30 - Papier Tigre (Fra)
01:00 - Jumbo Elektro (SP)
00:30 - Garage Fuzz (SP)
00:00 - Pata de Elefante (RS)
23:30 - Venial (MT)
23:00 - MQN (GO)
22:30 - Diego de Moraes e o Sindicatto (GO)
22:00 - Mamelo Sound System (SP)
21:30 - Ebinho Cardoso Trio (MT)
21:00 - Sweet Fanny Adams (PE)
20:30 - Los Bobs (MT)
20:00 - Banda das Prévias

Sábado. 09/08

02:30 - Hurtmold (SP)
02:00 - Macaco Bong (MT)
01:30 - Cérebro Eletrônico (SP)
01:00 - El Mato Un a Policia Motorizado (Arg)
00:30 - Linha Dura (MT)
00:00 - Filomedusa (AC)
23:30 - Walverdes (RS)
23:00 - Strauss (MT)
22:30 - Do Amor (RJ)
22:00 - Lopes (MT)
21:30 - AMP (PE)
21:00 - Three Pockers (MT)
20:30 - The Dead Lover's Twisted Heart (MG)
20:00 - Hey Hey Hey (RO)
19:30 - Banda Compacto.Rec

Domingo. 10/08

01:00 - Vanguart (MT)
00:30 - Cabruêra (PB)
00:00 - Contra Fluxo (SP)
23:30 - Supercordas (RJ)
23:00 - Rhox (MT)
22:30 - Curumin (SP)
22:00 - Porcas Borboletas (MG)
21:30 - Snorks (MT)
21:00 - Fóssil (CE)
20:30 - Revoltz (MT)
20:00 - Elma (SP)
19:30 - Ayakan (MT)
19:00 - Filhos de Empregada (PA)
18:30 - Stereovitrola (AP)
18:00 - Aoxin (MT)

26 de julho de 2008

Mombojó: música nova, shows com China e H. Stern band, trilha sonora para skate e comércio de instrumentos

"Papapa", música nova do Mombojó (além daquela que tocaram no Circo Voador), ao vivo no SESC Pompéia. Sem comentários sobre o dançarino. (Descobri isso no blog da Alê)




Trechos de ensaio com China e a H. Stern band (sua banda de apoio) e filmagens de bastidores de um show em conjunto feito no Circo Voador.




"Isso não é um promo". (E eu achava que era a única pessoa que andava de skate ao som de Mombojó...)



E no mês passado o Felipe, vocalista e agora também guitarrista da banda, colocou à venda no site do Mombojó algumas de suas guitarras e pedais. Ele já deve ter vendido tudo, mas não custa saber o que era.

25 de julho de 2008

Primeira festa do MySpace Brasil acontece em BH com The Twelves e Digitaria

A dupla The Twelves, um dos principais expoentes da nova cena eletrônica brasileira, é uma das atrações da primeira festa realizada pelo MySpace no Brasil, que acontece na boate Roxy, em Belo Horizonte, no dia primeiro de agosto. O MySpace já realiza seus "secret shows” com bandas independentes (como Superguidis e Autoramas) há algum tempo, mas esse é o primeiro evento definitivamente com o caráter de festa a ser promovido pelo site.

A festa marca o lançamento do perfil Nightlife do MySpace, criado em parceria com o site Rraurl, e que, como o nome indica, é dedicado à vida noturna e festas de música eletrônica.

DigitariaAlém do Twelves (que já fez remixes para bandas como New Young Pony Club e Black Kids), a noite ainda conta com apresentações da Digitaria, dupla mineira de electro-rock com forte presença no exterior e que prepara o lançamento de seu segundo álbum para os próximos meses, Roots Rock Revolution e os DJs Fred Mafra e Fael.

24 de julho de 2008

Porão do Rock 2008

Considerado um dos maiores festivais independentes brasileiros ao lado do Abril Pro Rock, o festival Porão do Rock chega à sua 11ª edição em grande estilo, prometendo uma das maiores estruturas do circuito e uma grande escalação que tem como principais atrações a banda inglesa Muse (aclamada como uma das melhores bandas ao vivo dos últimos 10 anos) e o ícone do skate-metal (não duvide, isso existe) americano Suicidal Tendencies. Do lado nacional, algumas das mais interessantes atrações são a revelação goiana Black Drawing Chalks, Autoramas (figurinha carimbada no circuito de festivais) e o grande Mundo Livre S/A.

NancyNancy e Tom Bloch estão entre as mais comentadas novidades da cena independente e merecem ser conferidas ao vivo no festival, que acontece nos dias 1 e 2 de agosto, em Brasília, no estacionamento do estádio Mané Garrincha.

Assim como em outros festivais, como o já citado Abril Pro Rock (cuja cobertura de sua edição 2008 você também leu aqui no blog), a primeira noite do Porão é dedicada às vertentes mais pesadas do rock com shows do Mukeka di Rato, DFC, Nitrominds, Matanza, entre outros. No sábado acontecem os shows do Canastra, Lucy and the Popsonics e também dos internacionais Papier Tigre (França) e The Tandooris (Argentina).

Escute "Big deal", do Black Drawing Chalks, uma das atrações do festival.


Ou "Dois dedos de conhaque", do Canastra, outra atração do Porão.


Programação completa do Porão do Rock 2008
Sexta-feira (1/8)

Palco Principal
19h – Sayowa (SP)
19h35 – Vougan (DF)
20h10 – Almah (SP)
20h55 – Lesto! (DF)
21h30 – Nitrominds (SP)
22h05 – Mukeka Di Rato (ES)
22h50 – Macakongs 2099 (DF)
23h25 – Madame Saatan (PA)
0h – MQN (GO)
0h35 – D.F.C. (DF)
1h20 – Matanza (RJ)
2h25 – Suicidal Tendencies (EUA)

Palco Pílulas
18h – Device (DF)
18h50 – Podrera (DF)
19h40 – Black Drawing Chalks (GO)
20h30 – Elffus (DF)
21h20 – Astros (SP)
22h10 – Kill Karma (Espanha)
23h – Rafael Cury & the Booze Bros. (DF)
23h50 – Moretools (DF)
0h40 – Maldita (RJ)

Sábado (2/8)

Palco Principal
17h – Canastra (RJ)
17h35 – Vai Thomaz no Acaju (DF)
18h10 – SickCity (Alemanha)
18h45 – Sapatos Bicolores (DF)
19h20 – The Tandooris (Argentina)
19h55 – Lucy and the Popsonics (DF)
20h30 – Papier Tigre (França)
21h05 – Autoramas (RJ)
21h50 – Mundo Livre S/A (PE)
22h35 – Supergalo (DF)
23h20 – Pitty (BA)
0h25 – Muse (Inglaterra)

Palco Pílulas
16h – Gilbertos Come Bacon
16h50 – The Pro (DF)
17h40 – Tom Bloch (RS)
18h30 – Super Stereo Surf (DF)
19h20 – Amp (PE)
20h10 – O Círculo (BA)
21h – Janicedoll (DF)
21h50 – Orgânica (SP)
22h40 – Nancy (DF)

Matéria sobre o Porão do Rock 2007, feita pela TramaVirtual.

23 de julho de 2008

Os 50 CDs independentes mais importantes dos últimos 10 anos

Por mais que se critique ou desconfie de listas – principalmente aquelas relacionadas à cultura pop, não há como negar que são informativas e, de certa forma, um reflexo da cultura em um determinado período.

No caso da lista dos "50 CDs independentes mais importantes dos últimos 10 anos" feita por Fernando Rosa, do Senhor F, trata-se de um serviço em prol da produção musical alternativa contemporânea, relacionando raridades, obscuridades e “clássicos” independentes para que mais pessoas tenham acesso à diversidade e qualidade da música feita no Brasil e que não se apresenta pelos grandes palcos.

Fernando Rosa é figura respeitada no meio musical e seu conhecimento do assunto o torna uma das pessoas mais gabaritadas para realizar uma seleção como essa. Sem definir uma ordem de importância ou qualidade, o que invariavelmente tornaria ainda mais subjetiva e questionável a valoração de tal lista, Rosa apresenta os álbuns em ordem alfabética e aborda desde o previsível Bloco do Eu Sozinho, clássico do Los Hermanos (e que poderia ser classificado como o mais importante CD desta década na música brasileira) à bandas obscuras de metal e hardcore.

Obviamente você não precisa baixar todos os álbuns para bancar uma de sabidão ou simplesmente posar de indie-cu(lt), mas ouvir um pouco das bandas listadas com certeza tornará você um ser menos ignorante (musicalmente falando, é claro) e poderá proporcionar algumas boas horas de prazer via ondas sonoras. Mostre que você sabe clicar em links, utilizar o Google, MySpace e TramaVirtual e se prepare para pensar coisas como:
“Caralho, esse cara é um idiota!”
“Porra, muito bom isso!”
“Merda, que perda de tempo”

Caso você não seja boca-suja, as mesmas frases acima também se aplicam, apenas tirando a primeira palavra de cada frase.

Eis alguns álbuns listados:
Thee Butchers’ Orchestra – Golden hits by ... (SP)
Grenade – Is an out of the body experience (PR)
Astromato – Melodias de uma estrela falsa (SP)
Os Atonais – Em amplitude modulada (RS)
Mopho – Mopho (AL)
Suite Super Luxo – El Toro! (DF)
Os Pedrero – Hard rock dreams … (ES)

19 de julho de 2008

Marcelo Camelo estréia projeto solo em BH ao lado de Hurtmold e Vanguart

Em primeira mão!

O ícone indie-cult Marcelo Camelo, ex(?)-Los Hermanos, fará o primeiro show de seu projeto solo em 29 de agosto, no festival Eletronika, em Belo Horizonte. Ao seu lado tocarão ninguém menos que o excelente grupo paulista Hurtmold , que já havia sido anunciado como grupo de apoio do cantor em sua primeira turnê, e o hypado Vanguart, que no ano passado tocou em BH no festival Garimpo.


O primeiro álbum solo de Camelo será lançado em setembro e conta com participações do Hurtmold, Domenico Lancelotti e outros convidados.

Engraçado que o No ar Coquetel Molotov estava sendo anunciado como a estréia do projeto solo de Camelo, mas o festival acontece apenas em setembro, nos dias 19 e 20.

Foto: David A. Pinto (licença Creative Commons)

Mallu Magalhães pela primeira vez em Minas

Mallu Magalhães
Em primeira mão!!!

Mallu Magalhães, o maior hype musical brasileiro surgido na internet, fará seu primeiro show em Minas Gerais no festival Jambolada, que acontece em Uberlândia nos dias 19, 20 e 21 de setembro.

Foto: Tatu (liberada via Creative Commons)

18 de julho de 2008

Novidades do CSS: download grátis, singles e vídeos

Donkey, segundo CD do CSS, será lançado na próxima sexta-feira, 25 de julho, e estará disponível tanto nas lojas convencionais como em formato digital. Até lá, dá para ouvir o álbum completo no MySpace da banda. O CD será lançado no Brasil pela Trama, que irá liberar o álbum para ser baixado gratuitamente através de seu projeto Álbum Virtual, no qual alguns CDs são disponibilizados para download durante um período limitado e o artista é remunerado pelo patrocinador de acordo com o número de downloads feitos. No exterior o álbum será lançado nesta segunda-feira, 22 de julho, em CD e vinil, além de contar com uma edição especial acompanhada de um CD-R com três músicas inéditas.

É possível encontrar o álbum pela internet há cerca de uma semana, mas, oficialmente, foram lançados até o momento apenas dois (ótimos) singles: "Rat is dead (rage)" e "Left behind". Ambas as músicas mostram uma pegada mais roqueira da banda, porém continuando com as levadas dançantes. Como disse a guitarrista Luísa Sá, é um álbum mais próximo do que a banda apresenta nos shows, fruto da evolução da banda e das melhores condições técnicas que conseguiram para as gravações do trabalho, realizadas no estúdio da Trama em São Paulo. Produzido por Adriano Cintra, principal compositor da banda, além de baixista, baterista e ainda cuidar dos backing vocals, Donkey foi masterizado por Mark Stent, que tem no currículos artistas como Björk, Oasis e Massive Attack.

"Rat is dead (rage)", o primeiro single, foi lançado no final de abril e causou certo espanto em boa parte do público devido aos riffs distorcidos e ao som orgânico da música, longe dos sintetizadores e programações habituais do CSS. A música está liberada para download no site da banda e teve seu vídeo dirigido por Nima Nourizadeh, responsável por vídeoclipes da estrela pop Lilly Allen e "Over and Over", grande hit do Hot Chip.




"Left behind", o segundo single, e é ainda mais pop que "Rat is dead (rage)". Extremamente pegajosa, melódica e marcada por seu sintetizador, a música tem uma pegada new wave e um daqueles refrões capazes de provocar uma descarga de endorfina no corpo a cada vez que você os escuta. Seu vídeo (tosco e kitsch, mas nem por isso menos... "interessante") foi dirigido pela multi-artista Renata Abbade.




E para quem não se lembra ou não viu, vale conferir a entrevista que fiz com a banda no início de 2005 (link longo com tecnologia "anti-idiota que não identifica links".

17 de julho de 2008

FF >> festa Fórceps

O coletivo sabarense Fórceps realiza a primeira edição da festa FF>> no sábado, dia 19, na casa de shows Matriz, em BH. O objetivo é promover um intercâmbio cultural fazendo com que bandas independentes de estilos diferentes do interior, região metropolitana de BH e da capital se apresentem juntas, trocando informações, oferecendo uma nova experiência ao público e fomentando a diversidade cultural do Estado.

flyer
Para isso, a FF >> conta com cinco bandas de quatro cidades diferentes indo desde o rock com influências de MPB até o metal alternativo. Em comum as bandas têm o fato de estarem tocando e/ou atuando intensamente no cenário musical independente nacional com shows em festivais e casas de renome, atuando em coletivos e trabalhando para o fortalecimento de cenas locais. A FF >> representa também a continuidade das ações do coletivo em BH, após parcerias com os festivais Stereoteca e Outro Rock, e da criação do projeto “Pequenas Sessões”, com o selo musical La Petite Chambre.

The Dead Lover´s Twisted HeartAlgumas das atrações da festa já são relativamente conhecidas no cenário musical, como o Ácido Groove, que venceu o prêmio Toddy/Dynamite na categoria banda revelação e já se apresentou no festival Jambolada, assim como o The Dead Lover's Twisted Heart, que tocou no mesmo festival em 2007 e se prepara para, além de lançar o disco de estréia, tocar pela primeira vez no Festival Calango, em Cuiabá, este ano. Outras bandas, embora ainda não tenham chegado aos grandes festivais, se destacam de outros modos, como o Aura... que mesmo sendo do interior conseguiu entrar em uma coletânea ao lado de nomes fortes do punk internacional como o Shelter (USA). A banda 4, embora tenha apenas três meses de existência, já possui no currículo uma apresentação no festival Minas Instrumental e uma página no MySpace com suas músicas ouvidas mais de 700 vezes apenas em seu mês de estréia. Já o Hold Your Breath apresenta uma sonoridade mais pesada e experimental, contando com uma agitada agenda de shows até agosto em várias cidades como BH, SP e Curitiba, além de ter um EP recém-lançado, produzido por Daniel Debarry, da banda Udora.

Feito à Fórceps

Numa atitude que mescla a ideologia do “Faça você mesmo” com a do “Artista igual pedreiro” o Fórceps continua implementando suas ações baseado no trabalho coletivo, independentemente de apoio e patrocínio. Na FF >>, músicos ligados ao coletivo estarão trabalhando na produção do evento e as bandas de outras cidades ficarão hospedadas nas casas dos próprios integrantes do coletivo em Sabará, já que não há verba para hotel.
“Não dá pra ficar esperando as melhores condições surgirem para fazer as coisas. Precisamos agir dentro das possibilidades, estabelecendo contatos e construindo uma rede para que quando tenhamos uma condição financeira melhor toda a estrutura já esteja minimamente estabelecida. A questão no momento é planejar, agir e se estabelecer no mercado. Desde o início todo nosso planejamento é de longo prazo”, explica Leo Santiago, do coletivo Fórceps.

APCI

Durante a FF >> pela primeira vez se ouvirá falar da sigla APCI (Associação dos Produtores de Cultura Independente), que estréia como parceira do Fórceps. A entidade está passando por uma consultoria no Seminário Prático da Música do festival Stereoteca e será lançada em setembro durante o festival Escambo, unindo o coletivo Fórceps, o cineclube CineBrasa, o coletivo MuSa e outras entidades voltadas para a cultura independente, todas surgidas a partir da atuação do Fórceps. A idéia é agregar forças sob a sigla APCI, que funcionará como uma espécie de guarda-chuva fortalecendo ações em bloco e a troca de tecnologia e experiência entre seus integrantes.

Abertura de inscrições para festival Escambo

A FF >> também marca a abertura das inscrições para a segunda edição do festival de artes integradas Escambo, que será realizado pelo coletivo em setembro em Sabará com shows, seminários, oficinas e exibições de vídeos abrangendo as áreas de música, literatura, teatro e áudio-visual. A última vez que o Fórceps abriu inscrições para bandas foi no final de 2007, para o festival Grito Rock, quando 64 bandas de 11 Estados diferentes se inscreveram.

SOBRE AS BANDAS DA FESTA FÓRCEPS:

The Dead Lover's Twisted Heart (BH)
Ácido Groove (Uberaba)
Hold Your Breath (BH)
Aura... (Divinópolis)
4 (Sabará)

DJs
Coletivo P.U.T.A (pós-punk/rock/indie)
B Flogin (rock/hits/grunge/barulho)

SERVIÇO
Festa Fórceps
Matriz (Terminal Turístico JK – Centro)
Dia 19/07
21hrs
R$ 10

* Texto escrito pelo Leo e que utilizamos como release da FF>>.

14 de julho de 2008

Festival Deckdisc 10 anos

A gravadora Deckdisc chega aos seus 10 anos e para comemorar a data realiza esta semana um festival com alguns dos seus principais artistas, de diferentes gêneros, no Rio de Janeiro. Famosa por fazer a ponte entre a cena independente e o mainstream, a Deck foi a responsável pela contratação de bandas como Pitty, Dead Fish, Matanza e Mukeka Di Rato.

A parte rock do evento acontece nos dias 16 e 17 de julho, quarta e quinta-feira, no Circo Voador. Enquanto isso, se apresentam na Fundição Progresso o DJ Marlboro, Marcelinho da Lua e outros grupos que me recuso a citar. Na sexta-feira o evento passa para o Viva Rio e tem foco na MPB, com shows dos mineiros Fernanda Takai (Pato Fu) e Vander Lee, além do garoto-prodígio pernambucano Vítor Araújo.

16 JUL – Matanza, Dead Fish, Mukeka di Rato, Ratos de Porão, Cólera
Ingressos: R$ 30,00 / R$ 15,00* (meia)
17 JUL - Strike, Cachorro Grande, Nação Zumbi, Pitty. Participações: Jullie e Marcelo D2.
Ingressos: R$ 50,00 / R$ 25,00* (meia)
18 JUL - Vitor Araújo, Vander Lee e Fernanda Takai.
Ingressos a partir de R$ 40,00 / R$ 20,00* (meia)

13 de julho de 2008

Coberturas retardatárias: Bananada 2008, PMW 2008 e Casarão 2008

Uma das maiores vantagens da internet (senão, a maior) é a facilidade de acesso à informação. A possibilidade de retransmiti-la facilmente vem logo em seguida, como outra grande vantagem. Mesmo assim, muitas pessoas insistem em fechar seus conteúdos e/ou evitar citações ao que acontece no restante da rede, em blogs ou sites similares aos seus.

Aqui, a história é diferente. Como ativista do Creative Commons e da cultura livre, minha intenção é que a informação chegue até as pessoas, independente de onde ela foi publicada. Então, se outras pessoas conseguiram ir aos festivais que acontecem ao redor do país, enquanto eu não pude, por que não conferir o que elas escreveram e indicar aos meus leitores?

É por isso que a seguir você confere trechos e links para as coberturas dos festivais Bananada, Casarão e PMW, que aconteceram em maio e não foram comentados aqui após suas realizações.


Cobertura do festival Casarão 2008 (em Porto Velho, RO), por Bruno Dias, do Urbanaque
"Antes da grande atração da noite, os paulistas do Travecos Falsos (Ecos Falsos com Daniel Belleza) fizeram um show visceral e bem humorado. Tocaram músicas do último disco dos Ecos Falsos, Descartável Longa Vida. como 'A revolta da musa', 'O Bom Amigo Inibié' e 'Findo Milênio', e algumas do Daniel Belleza e Os Corações Em Fúria como 'Aonde estão as flores da sua cabeça'. Além de Belleza, o combo paulistano ainda contou com a participação do guitarrista da banda de Pitty, Martin. No final ainda rolou um cover de 'Bullet With Butterfly Wings', do Smashing Pumpkins".

Do Amor tocando "Isso é carimbó", no festival Casarão 2008


"No geral o festival mostrou potencial para crescer ainda mais. Assim como o Jambolada do ano passado, a aposta em headliners de peso + bandas locais, conseguiu atrair um bom público para o festival. Tirando algumas falhas estruturais como as do sábado e o excesso de bandas locais de hardcore e metal, o Casarão já figura como um dos maiores festivais da região norte".

Cobertura do festival Bananada 2008 (em Goiânia, GO), por Higor Coutinho, do Goiânia Rock News
"Pois é, e do Bananada, o que você me conta? Pra mim a “novidade” foi que, em três dias de shows num festival de rock, as duas melhores apresentações foram de grupos sem guitarras. A Mallu Magalhães, no auge daquele adorável e meigo constrangimento adolescente, teve a meia-hora mais concorrida do festival, com tumulto na abertura das portas do teatro e a mesma devoção digital histérica aprendida outro dia nas telinhas do Youtube. Já seus conterrâneos do Are You God? se valeram de uma selvageria barulhenta controlada entre recortes improváveis, numa espécie de grindcore matemático, em que o intenso deboche-autista do vocalista João (na única vez em que se dirigiu ao público, fitando o teto escuro, foi para dizer que o show não tinha valido as doze horas de viagem até Goiânia), deu um sentido ainda mais dramaticamente dantesco a uma das melhores apresentações do primeiro dia."

Banda da Eline, com umas 10 pessoas no palco (ou mais) tocando "Pussy Control", da extinta banda Hang The Superstars, na qual Eline era uma das vocalistas (repare no Fabrício Nobre, da MQN / Monstro Discos / Abrafin, distribuindo latas de cerveja para o público, rs)


Cobertura do festival PMW 2008 (em Palmas, TO), por Higor Coutinho, para o Urbanaque
"O PMW parece ser uma espécie de pai amoroso e paciente das bandas do Tocantins, e assim que surgir um grupo local com qualidade talentosa para marcar território no acirrado cenário nacional, o festival fatalmente será apontado como um dos culpados. Por enquanto a aposta da produção ainda é o fomento de bandas novas, e esse parece ser mesmo o melhor caminho para uma cidade tão jovem e que espera a hora de tirar dessa efervescência toda um cartão de visitas decente, que dialogue de igual para igual com os demais grupos espalhados pelos festivais tupiniquins. Enquanto isso, o jeito é ir exercitando a paciência!"

12 de julho de 2008

Vanguart - Semáforo



Ainda não tinha visto o vídeo de "Semáforo", do Vanguart, e achei bem legal. As cenas coloridas me lembram uma viagem de ácido do Homer em algum episódio dos Simpsons. Minhas cenas favoritas são aquelas feitas com a câmera do alto.

Participação especial do Tuba, baterista do Faichecleres.

10 de julho de 2008

Engrenagens da noite

Para que uma nova cena de DJs aflore, é crucial que os personagens que movimentam as festas encontrem espaços onde possam mostrar seus trabalhos. Em Belo Horizonte, a maioria dos clubes noturnos tem se mostrado receptiva aos DJs iniciantes, dando espaço para suas apresentações e até mesmo criando festas específicas para eles.

A situação é semelhante tanto nos clubes de música eletrônica como nos de rock, apesar de ambos possuírem suas singularidades. A Obra, casa noturna belo-horizontina com mais de 10 anos de existência, por exemplo, possui cerca de 20 DJs fixos, mas mesmo assim sempre dá espaço para novatos. Como nenhuma das festas promovidas na Obra se repete em um mesmo mês e em cada edição se apresentam cerca de três DJs, é freqüente a presença de novos nomes. Segundo Claudão Pilha, proprietário do local, esta é uma forma de variar a programação, atrair um novo público e fomentar a cena.

Já na Mary in Hell, boate focada em diferentes estilos de música eletrônica e no rock, os DJs fixos são apenas três e dar espaço para os iniciantes é visto como uma maneira de descobrir novos talentos. “A vantagem de um DJ fixo é que ele sabe do que o público gosta, o que funciona e o que não funciona. Uma possível desvantagem é que ele pode acabar se acomodando e não variando muito o set, algo que não acontece com quem está começando”, afirma Túlio Borges, um dos proprietários da casa.

HPIM1067

A escolha dos DJs é baseada em critérios que se repetem em todas as boates: a pessoa tem que conhecer o público da casa, saber que tipo de música se adequa ao local e à determinada festa, ter interesse em pesquisar e escutar sempre muita música. “No caso de novos DJs, é sempre bom ser alguém que vá levar um bocado de amigos para a festa”, brinca Túlio, sem esconder a realidade. Como a maioria dos iniciantes recebe seu cachê de acordo com o valor arrecadado na bilheteria, esta é mais uma forma de estimular a divulgação das festas e atrair mais público. “É uma maneira de tanto a casa quanto o DJ trabalharem ativamente na divulgação da festa, quanto mais pessoas comparecem, mais o DJ ganha”, comenta Claudão.

O feeling e a técnica

Uma discussão recorrente quando se trata de DJs envolve a técnica no momento de mixar e alterar as músicas e o preparo para sentir o movimento da pista e tocar a música mais adequada. Nas boates de música eletrônica é um pouco mais comum o apuro pela técnica, mas tanto proprietários como freqüentadores sentem uma queda na preocupação do público. “Existe um pequeno público mais especializado que presta atenção nas mixagens, conhece os bons DJs e tem suas preferências, mas são pouquíssimas pessoas”, diz Túlio, da Mary in Hell. “A grande maioria quer mesmo é dançar e cantar as músicas que conhece, independente de quem estiver tocando”, completa. Reiler Canesso, freqüentador assíduo da boate Deputamadre, no bairro Floresta, concorda: “O que importa é se divertir na pista. Só reparo no DJ se a música estiver ruim”.

E é justamente em termos de resposta do público que reside o maior perigo entre os DJs que estão começando. Segundo o experiente Robinho, que discoteca há quase 20 anos, muitas vezes um DJ novato acaba escolhendo músicas que agradam ao seu gosto pessoal, mas que não funcionam na pista. Para ele, a pessoa que “aperta play” e deixa a música rolar não pode ser considerada DJ. A opinião de Claudão Pilha é divergente. “Acho que o bom DJ (ou mesmo o bom trocador de música, ou seja, o cara que não mixa nem cria, mas coloca uma música na seqüência da outra) depende do feeling, de sentir a resposta da pista e direcionar seu som de acordo com essa resposta”.


Trechos das entrevistas realizadas e que acabaram não entrando no texto final:

Eu: Na comunidade da própria Mary In Hell no Orkut houve, recentemente, uma discussão interessante sobre os DJs que estão tocando atualmente no clube e alguém apontou que, com a popularização da função de DJ e os avanços tecnológicos, a qualidade cai e agora ocorre uma estabilização de nível por baixo. Você concorda com isso?
Túlio Borges: De certa forma, sim, é um pouco difícil de negar. Com a popularização da função hoje qualquer um é "DJ" e isso acabou provocando uma queda nos cachês de DJs profissionais, já que se pode conseguir um DJ mais barato em qualquer esquina. O problema é que com DJs amadores podemos cair no problema explicado acima e a economia pode acabar se voltando contra o próprio contratante. Eu acho que a solução deve vir das próprias casas, selecionando melhor as pessoas que tocam em suas festas. Mas isso depende muito do tipo de clube, do que se pretende com a festa e do público que se pretende atingir.

Eu: Porque as principais noites da Obra, sexta e sábado, são dedicadas a DJs e não às bandas? O público é mais receptivo aos DJs?
Claudão Pilha: Não, porque o custo da Obra é extremamente alto, e a combinação de grana com as bandas é totalmente diferente, daí precisamos fazer festas na sexta e sábado pra nossa receita ser suficiente pra bancar os custos de abertura com dias de banda. Ou seja, na real a sexta e o sábado pagam a quarta e a quinta da Obra.

Trecho de matéria que publiquei no jornal Estado de Minas.

9 de julho de 2008

“Dizem que sou louco”

Tudo bem, a pausa foi suficiente. Fugindo dos clichês, não preciso de uma data comemorativa ou inventar motivos especiais para o “retorno” do Meio Desligado. Aspas porque em momento algum ele se foi, como eu já havia explicado e sido mal interpretado por alguns (mas ao menos rendendo algumas piadas).

Aceite tudo isso como uma homenagem aos três anos desde o dia em que morri (olhe o texto do dia 1 de julho, final da página).

Sem mais delongas, meu retiro espiritual foi extremamente satisfatório. Ainda não alcancei o nirvana, mas se a vida fosse um jogo de RPG, meu personagem teria evoluído diversos níveis.

Deu um certo aperto no coração ver muita coisa bacana acontecendo nas últimas semanas e eu afastado do Meio Desligado, mas agüentei firme, mantive-me longe da tentação blogueira. Até mesmo meus RSS selecionados ficaram semi-abandonados enquanto concentrava em minha busca pela definição de uma postura em relação à vida e escrevia os primeiros capítulos do meu (primeiro) futuro best-seller de auto-ajuda Como Conquistar Favores Sexuais, Fama e Sucesso com o Poder da Mente e uma Caneta Bic Vermelha (já citado anteriormente).

Chega de bobagem ou de contar meus planos mercadológicos. Muita coisa precisa ser feita.

8 de julho de 2008

Cena(s) capturada em imagens

debate's last show

Hurtmold (2)

.NRK no Vegas

Comma @ Virada Cultural 2008, Santos.

Garotas Suecas

yeahhhhh!!!! VENTORES

fusile @ bpm

De cima para baixo:
Debate, por Gabriela Munin
Hurtmold, por Ariela Calanca
NRK, por Helena
Comma, por Felipe Almeida
Garotas Suecas, por Suelen Pessoa
Ventores, por Estela Fonseca
Fusile, por Nathalia Mendes

Todas as fotos disponíveis na indie BR.

3 de julho de 2008

Gig Rock 2008

Em meio à efervescente (termo clichê, mas são 3 da madrugada de uma quinta-feira, seria demais cobrar por adjetivos mais elaborados agora) cena musical independente brasileira, a região sul brasileira tem se mostrado estranhamente afastada do restante do país, com poucos festivais e bandas expressivas. Um dos poucos festivais alternativos da região a obter certa visibilidade fora de seu Estado de realização é o Gig Rock, realizado em Porto Alegre, e que este ano chega à sua quinta edição.

Um dos diferenciais do Gig Rock é que o festival se estende ao longo de mais de uma semana, promovendo cerca de cinco shows diários no Porão do Beco, reunindo e dando visibilidade à bandas gaúchas e de outros Estados de diferentes vertentes roqueiras.

Alguns nomes já "conhecidos" como Superguidis, Ecos Falsos, Tom Bloch, Walverdes e Frank Jorge estão na programação, mas um dos principais atrativos (e deveres) de uma iniciativa como essa é a revelação de novas bandas locais ao restante do país, o que o Gig Rock faz ao selecionar dezenas de bandas até então desconhecidas fora do Rio Grande do Sul (ou até mesmo fora de Porto Alegre!).

Além dos shows, o festival promove um debate sobre produção musical e outros dois encontros que abordam diferentes momentos da atuação de uma banda independente, como divulgação, relacionamento e uso de novas mídias e produção executiva. Esses encontros contam com profissionais como Pablo Miyazawa (revista Rolling Stone Brasil), Fabrício Nobre (Presidente da Abrafin e vocalista da MQN) e Frank Jorge (Graforréia Xilarmônica, ex-Cascavelletes, professor e coordenador da escola do rock brasileira).

Programação completa:

Sexta, 4 de julho
Cartolas, Valentinos, Planondas, Poliéster e Severo em Marcha

Sábado, 5 de julho
Frank Jorge, Tom Bloch, Locomotores, Supergatas e Apanhador Só

Domingo, 6 de julho
Morgan Le Femme, Yesomar, Redoma, Alcalóides e Los Vatos

Segunda, 7 de julho
FENX, Eu, Zé e os Caras, Gulivers, Alcaphones e Rockfort

Terça, 8 de julho
Grosseria, Xamorx, 6sicks6, Disrupted Inc. e Burning brain

Quarta, 9 de julho
M.I.P.V (Músicas Intermináveis Para Viagem), Chaka, No Rest, Chicken..s Call (França) e Bandinha Di Dá Dó

Quinta, 10 de julho
Lautmusik, Reverso Revolver, Space Rave, Subtropicais e Fruet e os Cozinheiros

Sexta, 11 de julho
Yanto Laitano, Andina, Identidade e Flutuantes

Sábado, 12 de julho
Walverdes, Móveis Coloniais de Acaju (Brasília), Império da Lã, Ecos Falsos (São Paulo) e Pública

Domingo, 13 de julho
A Red So Deep, Superguidis, Damn Laser Vampires e El Mato a Um Policia Motorizado (Argentina)

+ DJs Machuca e Schutz (residentes do Porão do Beco)


GIG ROCK DEBATE
Comprei uma guitarra. O que eu faço agora?
Horário: 17h
Curador: Marcelo Ferla

Convidados:

Sábado, 5/7/08
1.Pablo Miyazawa (Rolling Stone)
2.Mini Bittencourt (Walverdes)
3.Lelê Bortholacci (LB Produtora)
4. Jimi Joe (Unisinos FM)

Sábado, 12/7/08
5.Fabrício Nobre (Abrafin-Monstro Discos-MQN)
6.Tiago Carandina (MySpace)
7.Roger Lerina (Zero Hora)
8.Iuri Freiberger (Tom Bloch-Curador do Gig Rock)

Temas
1.jornalismo musical
2.alternativas independentes
3.produção executiva de bandas
4. o rock de ontem e o de hoje
5.festivais independentes
6.novas mídias
7.jornalismo local
8. produção musical

Domingo, 13 de julho, no Porão do Beco às 17 hs
Você transforma, o rock transforma você

"Dentro da programação da 5° edição do Festival GIG ROCK, o Rock’n’Talk UNISINOS – caminhos alternativos para a produção musical - irá unir elos não vistos claramente por quem está dentro do contexto da produção cultural de música do país.
O que tem em comum Casa Brasil, Pontos de Cultura, Software Livre, a internet, a Associação dos Festivais Independentes, a Secretaria de Economia Solidária - SENAES e um curso de produção em rock é o mote da nossa conversa.
Quais caminhos um aluno, ou alguém que busca trabalhar com música nas suas mais diversas formas, tomar em viéses diferentes daqueles talhados pela mídia e pelo mainstream, de difíceis acessos e com dificuldades impeditivas para as demandas que vivenciamos nos tempos atuais."

Convidados:
Luciano Canez, Secretaria de Economia Solidária - SENAES, do Ministério do Trabalho
Everton Rodrigues, da Casa Brasil
Fabrício Nobre, da Abrafin, Monstro Discos, vocalista da banda MQN
Ronaldo Zulke, deputado estadual
Moisés Lopes, do Forum Permanente de Música RS

Mediação: Frank Jorge, músico, compositor, Coordenador e Professor do Curso de Formação de Produtores e Músicos de Rock / UNISINOS

Preço:
Sextas e Sábados: R$15
Domingos, Segunda e Quinta: R$ 10
Terça e Quarta: R$ 5
Palestras: 1kg de alimento
Passaporte para todos os dias: R$80

Onde: Porão do Beco, Av.Independência, 936 – Porto Alegre

Vídeo da TramaVirtual sobre o Gig Rock 4, realizado em 2006




2 de julho de 2008

Aniversário de 40 anos do Otto



Na última sexta-feira, em Belo Horizonte. Pensei em um título engraçadinho, mas me sensibilizei com o momento do Otto e mudei de idéia. Veja a foto acima e use a imaginação.