Pesquisar este blog

Carregando...

24 de janeiro de 2008

Grito Rock 2008 - A Invasão Independente

Começa nesta sexta-feira, 25 de janeiro, a edição 2008 do Grito Rock, o maior festival integrado da América do Sul. Criado em Cuiabá no ano de 2002 pela produtora Espaço Cubo, o festival é uma alternativa para todos aqueles que não se sentem animados ou simplesmente não gostam da tradicional folia carnavalesca e se estende até 24 de fevereiro.

Integração é uma das palavras-chave ao se pensar em Grito Rock. Em 2008 o festival acontece em 46 cidades, sendo 44 delas brasileiras, espalhadas por 20 Estados, e duas no exterior: Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu (Uruguai). Trata-se de um salto enorme para o festival, que mais do que dobrou sua programação em relação a 2007, quando atingia 20 cidades no Brasil. Este ano, estarão reunidas sobre a mesma bandeira cerca de 300 bandas, muitas delas se apresentando em diversas cidades, aproveitando a oportunidade trazida pelo festival.

Segundo a Espaço Cubo, que coordena a realização do Grito Rock, "a proposta tem como meta fortalecer ainda mais a cadeia produtiva da música independente brasileira, estimulando a circulação dos agentes atuantes no setor, assim como estreitando a rede de contatos do Circuito Fora do Eixo em todo o país". Uma das formas disto acontecer é através da troca de informações entre produtores de todo o Brasil através da lista de discussão do Grito Rock, onde cada responsável pela produção local de uma das edições do GR disponibiliza dados, dúvidas ou comentários sobre sua jornada ao longo da produção do festival. Assim, são trocadas importantes informações, dicas e até mesmo arquivos digitais que agilizam e potencializam o trabalho de produção.

O papel do Cubo, nesse caso, é gerenciar todas essas produções, mas sem intervir em suas realizações. Cabe a cada produtor local definir as atrações, local, estrutura, etc, ficando com o Cubo a centralização de informações referentes a cada edição do GR e sua divulgação. O site oficial do Grito Rock também é colaborativo e é atualizado por todos os produtores envolvidos. Um podast com bandas que se apresentarão no festival também está sendo feito e disponibilizado em partes na internet, editado pelo pessoal do Reator.

O interessante é que toda essa movimentação ocorre através da internet. Ou seja, são 46 cidades sul-americanas, cerca de 100 produtores desenvolvendo um festival conjunto sem nunca terem se encontrado presencialmente uma única vez sequer. Desde o momento em que alguém se interessa em produzir uma edição do Grito Rock em sua cidade, passando pelas instruções sobre como fazer isso até o momento de divulgar a programação (e, posteriormente, contar como foi o festival), tudo ocorre pela internet. Já imaginou realizar algo do tipo apenas com telefones e correio?

+
Tudo que saiu sobre o festival no blog do Fórceps
Perfil do Grito Rock no Flickr
Programação do Grito Rock em cada uma das cidades
Outra matéria sobre o GR
Matéria sobre o Grito Rock 2007
Grito Rock no Overmundo

Nenhum comentário :